O que é a graça de Deus?

Padre Duarte Lara. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Padre Duarte Lara. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Com a graça de Deus, podemos dizer: “Tudo posso naquele que me fortalece”

Quero refletir com vocês sobre a graça de Deus. Pegue sua Bíblia e abra em II Coríntios 12,7-10.

“Demais, para que a grandeza das revelações não me levasse ao orgulho, foi-me dado um espinho na carne, um anjo de Satanás para me esbofetear e me livrar do perigo da vaidade. Três vezes roguei ao Senhor que o apartasse de mim. Mas ele me disse: Basta-te minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente a minha força. Portanto, prefiro gloriar-me das minhas fraquezas, para que habite em mim a força de Cristo. Eis por que sinto alegria nas fraquezas, nas afrontas, nas necessidades, nas perseguições, no profundo desgosto sofrido por amor de Cristo. Porque quando me sinto fraco, então é que sou forte.”

São Paulo nos conta, nessa pequena passagem, algo do seu coração, de suas lutas interiores. Ele conta que um espinho na carne [um anjo de satanás] foi para para ele uma grande fonte de humilhação. E acrescenta: “Três vezes roguei ao Senhor que o apartasse de mim. Mas ele me disse: Basta-te minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente a minha força”.

Vejam: São Paulo, um instrumento escolhido por Deus, que realizou tantos prodígios, rezou pedindo que o Senhor o libertasse, que o curasse, tirasse dele o espinho na carne. Mas Deus lhe disse ‘não’, pois aquilo que São Paulo estava passando era uma bênção na vida dele.

Nessa palavra de Coríntios, há muitos ensinamentos para nossa vida. Às vezes, rezamos: “Senhor, tire de nós essa provação, esse espinho”, mas Deus o permite. Em Portugal, há um provérbio que gosto muito: “Há males que vêm por bem”.

O que é a graça de Deus-

“Que Deus nos dê essa graça de olharmos para a vida com os olhos do céu”, disse padre Duarte.

Aquele sofrimento, aquela humilhação eram fontes de graça, de bênção na vida de Paulo. Todos queremos ser humildes, mas quando a humilhação bate à nossa porta, queremos fugir. Um dos segredos dos santos é abraçar a humilhação, porque, ao fazê-lo, a humildade cresce. Aprenda com os santos a abraçar a humilhação e olhe para Jesus, que foi humilhado e caluniado.

Deus resiste aos soberbos e dá Sua graça aos humildes, diz o Salmo. Por isso, no fim da leitura, São Paulo diz: “Sinto alegria nas dores, nas humilhações e dificuldades”.

Que Deus nos dê essa graça de olharmos para a vida com os olhos do céu e conseguirmos nos enxergar com aquilo que humanamente nos humilha.

O que é a graça de Deus?

É sempre bom pensarmos sobre isso. Diz o nosso Catecismo da Igreja Católica número 1999: “A graça de Cristo é dom gratuito que Deus nos faz da sua vida, infundida pelo Espírito Santo na nossa alma para a cura do pecado e a santificar.” A graça de Deus é Sua própria vida, que nos cura, lava e santifica.

Deus quer morar em nós. O Pai, o Filho e o Espírito Santo querem fazer morada em nós. Jesus está no sacrário da nossa paróquia por um motivo, porque Ele quer morar em nosso coração. O sacrário da paróquia é um lugar de passagem para Jesus, porque Ele não quer ficar lá, Ele quer ficar em nós.

Outro número do Catecismo diz: “A graça é uma participação na vida de Deus” (CIC n.1997). Quem está na graça de Deus está em comunhão com Ele. Se você quiser aquilo que vamos experimentar em plenitude no céu, já pode viver e experimentar em seu coração por meio da graça que o Senhor lhe dá.

Na Europa, um dos maiores problemas é que muitos cristãos já não percebem a graça de Deus nos sacramentos. Não sei como está acontecendo aqui no Brasil, mas os sacramentos foram instituídos por Deus para nos encher de Sua graça.

Qual é o maior presente que uma mãe e um pai podem dar para seu filho? A graça de Deus. E como isso acontece? No batismo, no sacramento. O maior presente que você pode dar para seu filho é o próprio Deus, que quer morar no seu coração por meio da graça.

Por que a graça de Deus é tão importante?

Quem viver e morrer na graça de Deus vai para o céu; e quem morrer em pecado mortal vai para o inferno. O inferno é muito pior que o mal.

Existe uma jaculatória que você pode rezar sempre:

“Virgem Santíssima, não permitais que eu viva nem morra em pecado mortal. Em pecado mortal não hei de viver nem morrer, que a Virgem Santíssima me há de valer. Amém!” Simples e muito importante, para não esquecer.

O pecado mortal nos faz perder o maior de todos os bens: o próprio Deus, a vida eterna. Por isso o pecado é o maior dos males. Os santos perceberam isso. A graça de Deus não anula o empenho humano, mas o fortalece e lhe dá uma capacidade de fazer coisas, que pelas suas forças não conseguiria.

Existe uma frase muito bonita de Santa Teresa: “Teresa sem a graça de Deus é uma pobre mulher; com a graça de Deus, uma fortaleza; com a graça de Deus e muito dinheiro, uma potência.” Mais do que Teresa é Jesus, que diz: “Sem mim nada podeis fazer” ( João 15,5 ).

Com a graça de Deus, podemos dizer: “Tudo posso naquele que me fortalece”. Esse é o programa de vida dos filhos de Deus, uma vida na graça do Senhor. Todo resto, que também é importante, é menos importante. Nós queremos, em primeiro lugar, uma vida de comunhão com Deus.

Que o Senhor os abençoe!

Transcrição e Adaptação: Adailton Batista

Assista essa pregação pelo Canção Nova Play

Veja também:
.: A mulher e o dragão
.
: Colocando o mal em fuga
.: Não submeta sua vida ao jugo da escravidão
.
:  A oração muda a nossa vida


Padre Duarte Lara


Sacerdote da Diocese de Lamego, Lisboa, Portugal

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo