Felizes aqueles cuja a vida é pura e seguem a Deus

“Felizes aqueles cuja a vida é pura e seguem a Deus” (Salmo 118,1)

Materia---P---269x329-Eliana-Ribeiro

Eliana Ribeiro – Foto: arquivo cancaonova.com

Este foi o tema que me foi confiado. Para mim a palavra que saltou aos olhos para proposta destes dias que vamos viver, é a palavra “puro”. Uma condição para ser feliz. Existe uma condição para ser feliz e outra, para não ser feliz. Então, vamos lá.

Qual a condição para ver a Deus?

A palavra diz: “Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus” (Mateus 5,8). A pureza também é uma condição para entrar na casa de Deus: “Senhor quem entrará no santuário pra te louvar? Quem tem as mãos limpas e o coração puro”.

Você quer ser feliz? Eu também quero ser feliz! O problema é que limitamos nossa felicidade a esta vida terrena. Todavia, a palavra de Deus diz que não; nossa felicidade é ter uma vida pura e seguir as leis do Senhor. Se para sermos felizes precisamos ser puros, logo para sermos infelizes é só ter uma vida impura.

“Os fariseus e alguns dos escribas vindos de Jerusalém tinham se reunido em torno dele. E perceberam que alguns dos seus discípulos comiam o pão com as mãos impuras, isto é, sem lavá-las. Com efeito, os fariseus e todos os judeus, apegando-se à tradição dos antigos, não comem sem lavar cuidadosamente as mãos”… Tendo chamado de novo a turba, dizia-lhes: Ouvi-me todos, e entendei. Nada há fora do homem que, entrando nele, o possa manchar; mas o que sai do homem, isso é que mancha o homem. Todos estes vícios procedem de dentro e tornam impuro o homem.” (São Marcos 7,1-14)

Hoje, é questão de higiene lavar as mãos antes de comer, mas não podemos determinar uma pessoa por aquilo que ela come. É de dentro do coração, que saem as más intenções.
Quando falamos em pureza logo pensamos nas imoralidades sexuais, mas é muito pobre limitar a impureza somente a isto. Não estou tirando as imoralidades sexuais, isto também, mas existem outras coisas que também tem a ver com impureza, como cita a palavra: “devassidões, roubos, assassinatos, adultérios, cobiças, perversidades, fraudes, desonestidade, inveja, difamação, orgulho e insensatez”.

Deus sabe de nossos pecados, de nossa condição, e por isto nos orienta, porém, nos deixa livres para fazermos nossas escolhas. O salário do pecado é a morte! Onde você quer chegar com as fraudes, com as traições, e seus vícios?

Você acha que foi criado para a morte?

A morte terrena faz parte, mas a pior é a morte definitiva, de não adentrarmos no céu. Sofrimento e cruz haverá no meio de nós, mas isto não pode nos deprimir. O que vai nos fazer viver é a constância em Deus, é nossa intimidade com ele. Não podemos deixar de pensar onde queremos chegar, o bem e o mal são colocados à nossa frente, somos nós quem escolhemos por onde queremos ir.

“Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade” (1 carta aos Tessalonicenses 4,7). Deus não nos chama para a impureza, mas para a santidade.

Leia também:
::Esposa testemunha a restauração do casamento através da oração
:: Que nossa alegria seja constante mesmo na tribulação 
:: Nossa alegria tem nome 

E como viver a santidade?

A Palavra de Deus nos traz tudo isto com clareza, sem enigma, sem charada. “Como um jovem poderá ter a vida pura? Observando, ó Senhor, vossa palavra”. (Salmo 118)

Para ter uma vida pura, ser feliz, ver a Deus, entrar em Sua casa, é preciso ser fiel à sua Palavra. Onde você quer chegar com sua vida? Isto não depende de outra pessoa, a escolha é pessoal. Temos a tendência de colocarmos a culpa nos outros, mas quem decide é você.
Satanás nos faz experimentar o pecado, vai nos alimentando aos poucos, e nós gostamos. Assim vai nos convencendo de que o pecado é bom, e vai nos escravizando. Nosso alimento não pode ser o que o demônio quer nos dar, mas precisa ser a Palavra de Deus, a Eucaristia e a oração.

Não podemos buscar a solução dos nossos problemas onde Deus não está. Se há problemas, dificuldades, solidão, você precisa buscar onde Deus está! O demônio quer nos destruir e roubar do Senhor. Não importa as escolhas que você fez, os caminhos que você tomou, você continua sendo filho de Deus. O Senhor detesta o pecado, mas ama o pecador que sou eu e você.

O caminho que precisamos percorrer é de uma vida pura, santa em Deus. Você aceita o desafio? Você quer?

Ouça o testemunho de Eliana Ribeiro durante a pregação:


Existe uma briga feia no mundo espiritual, o demônio que quer nos roubar, quer nos convencer de que Deus não é o melhor. Mas Deus não desiste de nós, Ele não quer nos perder.

As lutas vêm, vamos ter dias difíceis, vamos chorar, mas não é isto que vai nos segurar. Nestes dias, é o Senhor quem vai nos guardar. Vamos vencer os obstáculos pelo desejo de ser mais Dele. Estar mais perto de Deus é ser de Deus, não é um palco ou estar na Canção Nova que vai lhe dar proximidade com Deus.

Haverá pessoas que precisarão malhar a alma, treinar o coração para ser de Deus, senão na metade do caminho desistirão. Mas por favor, não desista!
Você foi feito para as coisas do alto, para o céu. E se você cair ou vacilar, o Senhor vai te levantar.

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo