Manifestemos nossa alegria diante do Senhor

Que nossa alegria seja constante mesmo na tribulação

Jesus Cristo é o Senhor!

Coube a mim a pregação “Manifestemos nossa alegria ao Nosso Senhor”. No Carnaval o pessoal está manifestando a sua alegria, mas a palavra de Deus vai nos convidar a manifestar nossa alegria ao Senhor, uma alegria que vem do alto, que vem do coração, uma alegria que é dom de Deus. Essa é a nossa alegria.

269x329 Carnaval

Foto: Gustavo Borges/CN

“Vinde, manifestemos nossa alegria ao Senhor, aclamemos o Rochedo de nossa salvação; apresentemo-nos diante dele com louvores, e cantemos-lhe alegres cânticos, porque o Senhor é um Deus imenso, um rei que ultrapassa todos os deuses; nas suas mãos estão as profundezas da terra, e os cumes das montanhas lhe pertencem. Dele é o mar, ele o criou; assim como a terra firme, obra de suas mãos. Vinde, inclinemo-nos em adoração, de joelhos diante do Senhor que nos criou. Ele é nosso Deus; nós somos o povo de que ele é o pastor, as ovelhas que as suas mãos conduzem” (Sl 94, 1-7).

 

Meus irmãos, o Senhor requer, porque Ele é o Senhor, ele requer de nós que manifestemos nossa alegria diante D’Ele, alegria de cristãos, de filhos de Deus, de pertencentes à Igreja. Aclamemos, e aclamar não é simplesmente falar, mas é clamor!

Aí está a razão: “O Senhor é um Deus imenso, que ultrapassa todos os deuses. Inclinemos em adoração e ajoelhemo-nos”.

Aqui no versículo seis há uma importância especial. Antigamente, quando no Ofício Divino se rezava este Salmo, neste versículo seis todos se ajoelhavam porque era um convite do próprio Deus. Esse é o tema de todo o nosso Acampamento e da minha palestra, e eu já comecei, graças a Deus!

Seja notória a vossa alegria

Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito: alegrai-vos! Seja conhecida de todos os homens a vossa bondade. O Senhor está próximo. Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstâncias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as súplicas e a ação de graças. E a paz de Deus, que excede toda a inteligência, haverá de guardar vossos corações e vossos pensamentos, em Cristo Jesus. Além disso, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é nobre, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, tudo o que é virtuoso e louvável, eis o que deve ocupar vossos pensamentos” (Fl 4, 4-8).

São Paulo quando escreveu aos filipenses, e como a escritura é perene, ele escreveu também a nós. Repito, não é uma coisa qualquer. Primeiro, uma palavra de ordem. Deus quer que nós nos alegremos sempre, constantemente.

Outra coisa que vem em seguida: seja conhecida por todos os homens a vossa amabilidade. Uma tradução melhor é: seja notório. Notório é um termo jurídico para dizer que todo mundo compreenda, todos percebam, saibam.

A primeira consequência da alegria é sermos amáveis, bondosos. Homens e mulheres que amam e, porque amam, tornam-se bons. Seja notório.

Aqui São Paulo está falando dos fins dos tempos. E, já naquele tempo, São Paulo falava da volta iminente do Senhor. Na hora que eles menos esperassem o Senhor poderia chegar. Todos em todos os tempos precisam estar preparados, porque uma hora ou outra Ele vai chegar.

Se o Senhor não vem,  nós iremos a Ele

Se o Senhor não vem, nós vamos. Minha irmã por exemplo, nós não esperávamos, nós não queríamos, mas ela faleceu.

Não quero assustar ninguém, mas num outro Carnaval um grupo grande que estava aqui, um grupo de Minas Gerais, no caminho o ônibus se desviou, “ziguezagueou”, e caiu. O número de mortos foi grande, e eles saíram de um encontro como este. O Senhor não veio na sua vinda última, mas eles foram para o Senhor.

E o que São Paulo diz nessa ocasião: alegrai-vos! Não é para ficar com medo, pelo contrário, alegrai-vos! Há muitas coisas que podem nos inquietar, mas São Paulo diz: “Não vos inquietemos com nada”, e nada quer dizer nada.

Foi doloroso o processo da morte da minha irmã, foi. Mas, nós não nos inquietamos, sofremos, mas não nos inquietamos. Ela foi definhando e antes era como uma chama. Visitei-a, na noite anterior à morte dela. Repita comigo: Não vos inquieteis com nada. Senhor, eu não posso me inquietar com nada.

Leia também:

:: Nossa alegria tem nome
:: Monsenhor Jonas explica porque não devemos nos entristecer
:: Canção Nova acolhe peregrinos neste carnaval

Como não se inquietar em meio as tribulações?

E qual é o remédio para isso? Estar sempre alegre e não se aquietar com nada? Apresentai a Deus vossas preocupações. Nossas preocupações, nós as apresentamos a Deus, não guardamos em nossa cabeça.

Veja bem, a paz de Deus que excede todo entendimento. É assim que eu quero viver, apresentar sempre a Deus minhas preocupações e eu sei que a paz de Deus que excede todo entendimento, haverá de guardar todo o meu coração e meus pensamentos.

“Tudo o que é verdadeiro, puro, justo, amável, de boa fama, louvável, eis o que deve ocupar os vossos pensamentos”. Aqui há também uma palavra de ordem, o que deve ocupar nossos pensamentos.

Mas o que acontece é que deixamos os nossos pensamentos se povoarem de todas as coisas ruins e não falta coisa ruim ao nosso derredor e nos enchemos como se fossem coisas estragadas. Isso estraga nossos pensamentos, nosso coração, nossa vontade. E como estraga!

Deus vem nos dizer: Não, meu filho! Tudo o que é verdadeiro, e o verdadeiro é o contrário de falso… Não deixe sua cabeça se encher de coisas falsas. E o contrário de nobre é ordinário. Tem muita coisa ordinária por aí, na internet, na TV. Assim como o vírus do mosquito, que está fazendo um grande estrago, essas coisas fazem um estrago extraordinário em nossa mente.

Diga comigo: Eis o que deve ocupar os meus pensamentos. É isso, Senhor, que eu quero que povoe os meus pensamentos. Dai-me esta graça.

A ordem de Deus é: Alegrai-vos! Manifestemos nossa alegria diante do Senhor. Só que estamos cercados de tribulações por todos os lados. Quem de nós não é assolado por tribulações? Mas há um remédio e o Senhor quer que o tomemos.

“Aliás, sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são os eleitos, segundo os seus desígnios” (Rm 8, 28) .

595x420 Carnaval

Foto: Gustavo Borges/cancaonova.com

 

Até o mal sofrido se transformará em bem

Embora num primeiro momento não pareça, com o passar do tempo nós percebemos que até o mal sofrido concorre para o bem daqueles que amam a Deus. E é tão simples amar a Deus. É difícil muitas vezes amar pessoas, mas amar Deus é fácil.

“Que diremos depois disso? Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Rm 8, 31). Se Deus é por mim, quem será contra mim? Gente! Essa é uma grande verdade. Quem será contra nós? Podemos ter plena certeza.

“Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada?” (Rm 8, 35). A tribulação, veja aí ela de novo. Ela não vai te separar de Deus, porque Ele vai continuar amando você, você que se deixa apartar, porque fica preocupado. É duro ser perseguido, mas a perseguição não vai nos tirar do amor de Cristo, então também não deixe que ela tire seu amor por Cristo.

“Mas, em todas essas coisas, somos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou” (Rm 8, 37) – Somos mais que vencedores. Repita comigo: em todas essas coisas somos mais que vencedores, pela virtude Daquele que nos amou.

Na própria Carta aos Romanos, um pouco à frente. Vocês estão vendo que eu estou sendo bem bíblico. Estou repassando ela com você. “Sede alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração” (Rm 12, 12). “Sede alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração”. Diga assim: quero ser alegre na esperança, paciente na tribulação e perseverante na oração.

Aguenta firme meu filho!

Há um padre que eu conheço que dizia e ainda diz: Aguenta firme, meu filho. Na tribulação, aguenta firme, meu filho. Aguenta firme minha filha!

“Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência, a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança. E a esperança não engana. Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5, 3-5). Veja bem que beleza, nos gloriamos até nas tribulações. Vamos proclamar: A esperança não engana. E o resultado é chegar lá no versículo três novamente, nos gloriamos até nas tribulações. Ele (Paulo) aguentava firme, nas prisões, nas chicotadas.

Aguentando firme estamos provando que somos fiéis. É muito importante assumir que a fidelidade comprovada produz a esperança, é bonito isso. Quem foi que semeou a esperança em nossos corações? O Espírito Santo que nos foi dado.

Vamos orar!

Paremos um pouquinho de falar para rezar. Chegamos num ponto chave. Cantemos “E me faz novo, todo novo, renovado em Jesus. Espírito Santo vem, Santo vem. Espírito de Deus”.

O Senhor nos quer alegres, sempre alegres e a alegria vem do Teu Espírito Santo. E ela nos faz firmes nas tribulações. Em vez de deixarmos que as preocupações tomem conta de nós, pedimos que seja o Teu Espírito Santo que tome conta de nós, que nos transforme. Peça essa alegria do Espírito, peça o batismo do Espírito, o espírito da alegria. Batiza-nos na alegria.

600x450 Carnaval

Foto: Gustavo Borges/cancaonova.com

 

Atingidos pela misericórdia, sejamos propagadores

Vamos pegar agora aquilo que se tornou chave para a Canção Nova.

“Bendito seja Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias, Deus de toda a consolação, que nos conforta em todas as nossas tribulações, para que, pela consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus, possamos consolar os que estão em qualquer angústia!” (II Cor 1, 3-4).

Que nós possamos consolar todo aquele que está na tribulação. Somos consolados por Deus e porque assim o somos, vamos consolar aqueles que estão na tribulação.

Os hebreus não tinham aumentativos, temos o bom e o boníssimo. Então o que eles faziam? Eles colocavam no plural. Pai das misericórdias, quer dizer que Ele é cheio de misericórdia, de toda a misericórdia. E essa consolação não é só bater no ombro da outra pessoa, não. Mas primeiro, não deixar só e depois dar força.

Diga: Eu não preciso ficar na tribulação, porque eu tenho um Pai de Misericórdia e a Ele eu recorro em toda tribulação.

Possamos consolar, eu repito, somos consolados por Deus, então confortemos uns aos outros, não os deixemos sozinhos, para que sejamos um povo forte, um povo aguerrido, um povo de Deus.

Coragem! Eu venci o mundo

“Referi-vos essas coisas para que tenhais a paz em mim. No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo” (Jo 16, 33). Jesus está dizendo que enquanto vocês estiverem no mundo tereis aflições. Aqui está a chave: “Coragem, eu venci o mundo”!

A sua ressurreição é a grande vitória. Desde agora, Ele já é vitorioso. Coragem, aguentem firme. Suportem todas as aflições.

E por fim, pegamos “Proclamai isto entre as nações: Declarai a guerra! Chamai os valentes! Aproximem-se, subam todos os guerreiros! Os vossos arados, transformai-os em espadas,e as vossas foices, em lanças! Mesmo o enfermo diga: Eu sou guerreiro!” (Jl 4, 9-10).

Depois de tantos textos do Novo Testamento, exceto o Salmo, eu agora pego este de Joel. Ele nos traz uma grande certeza.

Neste mundo estamos numa constante guerra. Devemos, não somente estar em estado de defesa, mas também de ataque. E você entende muito bem quem devemos atacar: o inimigo de Deus.

Mesmo enfermo, diga: “Eu sou guerreiro!”

Mesmo o enfermo diga “eu sou guerreiro”. Até eles devem declarar porque eu tenho o Espírito Santo, eu tenho um Pai. Tanta gente em depressão e tantas outras doenças da alma. Repita: Mesmo enfermo “eu sou guerreiro”. Amém! Proclamai isso entre as nações!

Interessante, eles eram um povo agrícola, e o Senhor quer que eles se transformem em guerreiros. Os cristãos não se apavoram. Quanta gente pensando em aborto, num apavoramento de ter uma criança doente. Não tem sentido, não tem propósito, para não ter um filho doente, mata a criança.

Repita mais uma vez: Mesmo enfermo “eu sou guerreiro”.

Então, podemos terminar como começamos: “manifestemos nossa alegria ao Senhor” (Sl 94, 1).

E terminemos mesmo com “Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito: alegrai-vos!” (Fl 4, 4).

Seu irmão,

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

Transcrição e adaptação: Sandro Arquejada

Adquira: kit_dvd_pal_carnaval


Monsenhor Jonas Abib


Fundador da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo