O Espírito Santo nos torna paráclitos

Padre Roger Luís. Foto: ArquivoCN

Padre Roger Luís. Foto: ArquivoCN

O Espírito Santo quer ter acesso às nossas vidas e nos fazer paráclitos de Deus

Para que possamos experimentar o avivamento, o Pentecostes em nossas vidas, precisamos ter uma experiência com a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade: O Espírito Santo. Vejamos o que o Evangelho de João nos diz:

“Quando vier o Paráclito, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. Também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio.” (Jo 14, 25-26).

E neste Evangelho, podemos ainda ver o que Jesus nos fala sobre o Espírito Santo:

“Muitas coisas ainda tenho a dizer-vos, mas não as podeis suportar agora. Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão. Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vô-lo anunciará.”(Jo 16, 12-13)

Para que possamos entender melhor o que a palavra de Deus está nos dizendo, precisamos recordar que o Evangelho não foi escrito antes dos fatos ocorridos, na verdade o Evangelho de João foi escrito por volta dos anos 90 dC (Depois de Cristo), depois dos acontecimentos da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor. Nas narrativas acima, percebemos a recordação do que Jesus havia dito a respeito da ação do Espírito Santo.

Mas o que é paráclito? A palavra “paráclito” vem do grego, que quer dizer “aquele que intercede em nosso favor como um defensor”. Na antiguidade, esta palavra era usada para descrever o papel dos defensores nos processos romanos. Jesus é o primeiro paráclito, o nosso primeiro defensor contra o maligno, contra o mal. Isso fica claro quando Ele diz que deixará um outro paráclito para cuidar de nós, quanto voltar ao Pai. Este outro paráclito é o Espírito Santo.
Logo, em qualquer situação ou problema, seja qual for, temos que nos lembrar que Jesus nos deixou um ajudador, um socorro. O Espírito Santo é o Espírito da verdade, ele foi incumbido de trazer à memória dos discípulos que Jesus é Deus, que se encarnou e nos salvou. O Espírito Santo nos a respeito das verdades espirituais, da salvação que o Senhor Jesus nos veio trazer e nos dando força na caminhada de santificação. O Espírito Santo é o animador da Igreja.
Se você tem dificuldade em se lembrar da Palavra de Deus, peça ao Espirito Santo que lhe conceda a graça de torná-la vida dentro de você, de pô-la em prática. Se você não sabe se o que você quer fazer é o certo, pergunte à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, pergunte ao Espírito Santo, pois Ele mostrará a você a verdade.

O agir do Espírito Santo

O agir do Espirito consiste também em nos conscientizar do pecado, da justiça e do juízo, pois Ele quer nos ajudar a entrar em intimidade com Deus. Ele nos Socorre no combate contra a carne e durante as tentações do maligno.
Os discípulos só puderam fazer o que era necessário para o crescimento da Igreja, porque o Espirito Santo agia na Igreja, agia nas suas vidas. Naquela Igreja ainda jovem, ainda primitiva, era perceptível um vivo e intenso agir do Espirito Santo. Muitos eram presos, torturados e mortos, mas o Espírito Santo os consolava, a experiência daqueles homens com a Espírito fez com que a Igreja sobrevivesse à perseguição.

"O Espirito Santo nos dá a certeza da vitória, independente dos problemas, das lutas e das dificuldades, ele nos abraça, nos sustenta e nos dá convicção de que teremos a vitória" (Pe. Roger Luís). Foto: ArquivoCN

“O Espirito Santo nos dá a certeza da vitória, independente dos problemas, das lutas e das dificuldades, ele nos abraça, nos sustenta e nos dá convicção de que teremos a vitória” (Pe. Roger Luís). Foto: ArquivoCN

Como eles falavam com tanta propriedade do Espirito Santo? Eles não O podiam ver. Mas eles tiveram fé nas palavras de Jesus e compreenderam que, quem os capacitava, era o Espirito Santo. Nós, que fazemos parte da Igreja do século XXI, precisamos seguir o exemplo da Igreja primitiva, é hora de confiarmos nas palavras de Jesus e de termos a convicção de que o Paráclito, o Espírito Santo, estará sempre conosco.

Também somos chamados a ser paráclitos de Deus

O Espirito Santo, no processo de Salvação, tem, por excelência, a função de consolador. Ele nos ajuda a alcançar a temperança, a vencer as tentações e a buscar a santidade. Ele sempre traz, à nossa mente, a advertência de Jesus: “No mundo tereis aflições”. Mas, ao mesmo tempo, nos traz o conforto, lembrando o que Jesus disse: “mas eu venci o mundo”. Essa consolação não é alienação, é um bálsamo para o nosso espírito, mesmo quando as lágrimas nos fogem ao controle. Ele, o Espírito Santo, nos conhece e pode nos curar.

O Espirito Santo nos dá a certeza da vitória, independente dos problemas, das lutas e das dificuldades, ele nos abraça, nos sustenta e nos dá a convicção de que teremos a vitória.

Para finalizar, gostaria de citar o Papa Francisco que diz que cada cristão deve ser também um paráclito, pois somos imitadores de Cristo. Como Ele, nós também devemos consolar e ajudar os outros. Recebemos, por graça, o amor de Deus. E é o Espirito Santo que nos move a não nos conformamos no ter este amor apenas para nós, mas para difundirmos este amor de Deus para todos os homens. Sejamos também paráclitos enviados por Deus para ajudar-nos uns aos outros.

 

Transcrição e adaptação Jonatas Passos.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo