O remédio da misericórdia

Não sejamos muito severos com o outro, queiramos usar o remédio da misericórdia

Oremediodamisericordia

Dom João Inácio Müller. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Este é o dia em que celebramos o 4º Domingo do Advento, dia em que vamos ordenar oito diáconos e dia em que realizamos a abertura da Porta Santa neste Santuário do Pai das Misericórdias.

O Messias, prometido, está às portas e Ele mesmo será a nossa paz. Sabemos que o Messias é manso e humilde de coração, nunca preocupado consigo, com Seus direitos, vive voltado para o outro, o pobre, ferido, necessitado e nisto investiu todo o Seu viver até o alto da cruz.

A carta aos Hebreus fala do modo como fomos salvos, o texto é o próprio Jesus que fala do Seu sacrifício, descreve Sua morte e ressurreição como lógica da fiel obediência ao Pai. Deus prefere a obediência ao sacrifício e Jesus realizou essa obediência, Seu corpo foi dado em oferta e recebemos a salvação e santificação.

No Evangelho, temos a bela moldura da visitação de Maria Santíssima à sua prima Isabel, ela é a Virgem feita Igreja que leva a alegria do Evangelho a Isabel. Na casa de Zacarias e Isabel temos o encontro das mulheres grávidas, João Batista é apresentado como o precursor de Jesus. João reconheceu Jesus como Senhor e Isabel aderiu a esse anúncio, declarando Maria como bendita e bem aventura, porque acreditou.

meu _presente

Assim, por caminhos tão humanos, duas senhoras grávidas, Deus se aproxima e visita seu povo, Sua presença provoca alegria. “Como posso merecer que a mãe do meu senhor me venha visitar?”

No Natal, o próprio Senhor vem nos visitar. Ele nos visita nos sacramentos especialmente na Eucaristia. São Pio ficava se demorando longamente sobre Aquele que acabara de nascer por suas mãos, é uma maravilha muito grande e faltam poucos dias para recebermos Jesus.

A misericórdia do Pai visibilizou-se em Jesus, no seio da Virgem Maria, pela obra do Espírito Santo

O_remediodamisericordia

“Que todos nós queiramos usar mais do remédio da misericórdia que o da severidade, não sejamos muito severos, rígidos com o outro, sejamos misericordiosos.” (Dom João). Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Maria, portadora do rosto da misericórdia do Pai, Jesus, o verbo encarnado de Deus, em tudo obediente ao Pai. Para vivermos este Ano Santo com proveito, vários são os sinais que caracterizam este ano, de acordo com o Santo Padre o Papa: o amor, o perdão, a confissão, prática das obras de misericórdia. Nossa vida deve ter a marca destas atitudes, é um verdadeiro programa de vida para este ano, temos um projeto de vida pronto diante de nós, este projeto é Jesus, a Porta Santa.

O convite é que caminhemos com Jesus, por Jesus e como Jesus, que pela porta do nosso coração passe Cristo que nos empurra a irmos aos outros para lhes levar a Sua pessoa, o Seu modo de viver. Abrimos a Porta Santa neste Santuário, convite para acolher o Deus menino que nasce em Belém, Ele é nossa paz. Que todos nós queiramos usar mais do remédio da misericórdia que o da severidade, não sejamos muito severos, rígidos com o outro, sejamos misericordiosos. Estendamos o dom do perdão, da paz, da presença do Senhor a todas as pessoas.

Veja também:
:: Homilia do padre Roger Luís
::O que fazer para chegar à eternidade?
::Vigiai, pois não sabeis o dia

Para apalpar a vida plena é necessário ir a Belém, ao contemplar o menino do presépio veremos as necessidades de nossos irmãos e irmãs, onde o próprio Senhor nos espera. Deus é tão grande que pode se tornar pequeno, é tão poderoso que pode se tornar uma criança indefesa de quem podemos nos aproximar e amar.

Hoje temos também a alegria de ordenar oito seminaristas, que são homens maduros, que estão na nossa diocese atraídos pelo carisma Canção Nova. A vocação do diácono nos lembra que a fé cristã é uma vocação a servir. Como Cristo se fez servo, também nós somos chamados a servir, especialmente os últimos e rejeitados, assim como Jesus fazia com tanta naturalidade e sabor. Ele tinha uma predileção em se dobrar àqueles que tinham maiores necessidades.

A todos, na esperança de sermos transparências vivas e testemunhas autênticas da misericórdia divina, eu desejo: Feliz e Santo Natal! O Ano Santo da Misericórdia seja vivido na fé, na esperança e na prática das obras de misericórdia corporais e espirituais. Assim, o novo ano será cheio de saúde e prosperidade, justiça e alegria, amor, paz e benção. Que a Mãe da Misericórdia nos assista e acompanhe!

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Transcrição e adaptação: Míriam Bernardes

contribuicaocn1


Dom João Inácio Müller


Bispo da Diocese de Lorena – SP

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo