O servo bom e prudente

O próprio Cristo nos dá pistas sobre como ser um servo bom e prudente

Oservobomeprudente

Cristiane Henrique. Foto: Arquivo Canção Nova

Eu quero convidar você a refletir e experimentar a misericórdia de Deus. Não há melhor lugar para estarmos do que nos braços do Pai.

Muitas vezes, encontramo-nos como ovelhas sem pastor, perdidos, a ponto de até mesmo cometermos um suicídio, mas a Palavra que está em Mateus 24 traz-nos a descrição do servo fiel, daquele a quem é confiado algo.

“Quem é, pois, o servo fiel e prudente que o Senhor constituiu sobre os de sua família, para dar-lhes o alimento no momento oportuno? Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, na sua volta, encontrar procedendo assim! Em verdade vos digo: ele o estabelecerá sobre todos os seus bens. Mas, se é um mau servo que imagina consigo: – Meu senhor tarda a vir, e se põe a bater em seus companheiros e a comer e a beber com os ébrios, o senhor desse servo virá no dia em que ele não o espera e na hora em que ele não sabe, e o despedirá e o mandará ao destino dos hipócritas; ali haverá choro e ranger de dentes.” (Mateus 24,45-51)

Essa Palavra é para nós, e Jesus está nos perguntando: “Quem julgais que é o servo fiel?”. Fiel é aquele que demonstra zelo, lealdade, constância no compromisso assumido com alguém. Jesus vai falando de fidelidade e eu vou me questionando ao estudar a Palavra: “Eu sou fiel? As pessoas, quando olham para mim, dizem que sou fiel?”.

Jesus está falando que escolheu pessoas para estar à frente de um bem precioso, o Cristianismo. Estamos num tempo em que temos olhado muito para o Oriente Médio, falamos de pessoas que estão dando a vida por Cristo. Somos chamados a ter uma fidelidade a toda prova e preparar o povo com a nossa vida. Somos chamados a ter gana por almas, convidados a nos levantarmos do nosso lugar, irmos ao encontro do outro e sairmos da nossa comodidade.

O servo escolhido por Deus, que precisa ser bom, também pode se perder, por isso Jesus fala sobre o servo mau. A nossa responsabilidade é grande, e podemos corresponder ou não ao chamado do Senhor. Neste Ano da Misericórdia, Cristo nos dá pistas sobre como ser um servo bom.

“Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com ele, sentar-se-á no seu trono glorioso. Todas as nações se reunirão diante dele e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. Colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estão à direita: Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo, porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim. Perguntar-lhe-ão os justos: – Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos peregrino e te acolhemos, nu e te vestimos? Quando foi que te vimos enfermo ou na prisão e te fomos visitar? Responderá o Rei: – Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes.” (Mateus 25,31-40)

meu _presente

Jesus nos mostra como sermos servos bons

Somos chamados a ser sal e fermento neste mundo! Precisamos ser fiéis a Deus, pararmos de olhar para nós mesmos, para os nossos problemas e irmos ao encontro do outro. Hoje, o Senhor nos convida a passar pela cruz, mas olhando para o próximo. Muitas vezes, somos tentados a agir como o servo mau, mas precisamos sair do nosso egoísmo e ir até o povo de Deus, para anunciar Aquele que mudou a nossa vida. E essa vida não pode ser contrária ao Reino de Deus, temos de dar testemunho de uma vida autêntica. Somos chamados a retornar para o Senhor! Somos chamados a ir às ovelhas perdidas e trazê-las de volta para o Pastor.

A Palavra prossegue: “Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: – Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos. Porque tive fome e não me destes de comer; tive sede e não me destes de beber; era peregrino e não me acolhestes; nu e não me vestistes; enfermo e na prisão e não me visitastes. Também estes lhe perguntarão: – Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, peregrino, nu, enfermo, ou na prisão e não te socorremos? E ele responderá: – Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que deixastes de fazer isso a um destes pequeninos, foi a mim que o deixastes de fazer. E estes irão para o castigo eterno, e os justos, para a vida eterna.” (Mateus 25,41-46)

O Senhor está nos chamando a proclamar a Boa Nova, que é capaz de restituir a pessoa humana. O Evangelho nos deixa livres. Deus não aprisiona ninguém. Somos livres para seguir e viver. O Evangelho é Palavra de salvação e nós precisamos anunciá-lo.

Ao abrir a Porta Santa, o Papa nos diz que o perdão é para todos. É tempo de voltarmos para a casa do Pai, é tempo de assumirmos nosso lugar como servos fiéis e prudentes. Peçamos ao Senhor que visite nosso coração e nos conduza ao querer d’Ele. Digamos a Deus que queremos voltar, que desejamos ser servos fiéis.

Neste novo ano, Ano da Misericórdia, queremos dizer: “Senhor, queremos voltar!”. Cristo vai à lama em que estamos para nos tirar de lá; Ele nos lava e tira todas as imperfeições. O Senhor lava-nos e coloca vestes novas em nós, para que tenhamos dignidade de filhos de Deus. Mas é preciso que queiramos sair da lama, sair do pecado em que estamos. O cristão não pode se cansar! As lutas existem e elas serão vencidas com os joelhos no chão.

Como cristãos, precisamos olhar para as pessoas com dignidade. Somos chamados a acender velas na vida das pessoas. A nossa vida precisa refletir o Evangelho. O Santo Padre nos fala sobre olharmos para o próximo. Paremos de olhar para nós mesmos e olhemos para o próximo. Somos chamados a salvar um povo. Jesus acredita em nós até o fim, o Cristianismo é a fé da humilhação, e Jesus se tornou “um” conosco.

Que possamos ter o desejo de anunciar que Jesus está vindo, que Ele está voltando. Vivamos as exigências de um servo fiel e prudente. E para sermos servos assim, só por meio da oração!

Transcrição e adaptação: Míriam Bernardes

contribuicaocn1


Cristiane Henrique Silva


Missionária da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo