Convidados a irmos ao encontro da misericórdia

Somos convidados a irmos ao encontro de Deus, com o coração aberto, para recebermos a Sua misericórdia

Padre José Custódio - Foto: Regiane Calixto/cancaonova.com

Padre José Custódio – Foto: Regiane Calixto/cancaonova.com

No relato do Evangelho de hoje, vemos o Senhor chamar um cobrador de impostos. Este cobrador é Mateus (Levi). Aquele homem tinha pessoas ao seu serviço e estes extorquiam, exerciam poder autoritário e machucavam as pessoas. Porém, ao ouvir o chamado de Jesus, Mateus levantou-se, largou tudo o que fazia de errado e O seguiu.

Gosto de refletir sobre como deve ter sido olhar de Jesus sobre aquele homem. Jesus o olhou com amor e compaixão. Ele não disse: “Levante-se vagabundo”. Jesus o olhou com amor.

O carisma da aliança de Misericórdia vai ao encontro das pessoas que estão beirando o inferno, pessoas necessitadas da misericórdia do Senhor. Quantas pessoas foram tiradas das bocas de fumo. Aquele olhar, o olhar de Jesus, nos leva a sair do buraco.

Jesus quer nos transformar, Ele quer que deixemos tudo para irmos ao Seu encontro.

Como é este deixar tudo?

“Assim fala o Senhor, se destruíres teus instrumentos de opressão, e deixares os hábitos autoritários e a linguagem maldosa; se acolheres de coração aberto o indigente e prestares todo socorro ao necessitado, nascerá nas trevas a tua luz e tua vida obscura será como o meio-dia. ”  (Is 58,9b-14)

Meus irmãos, podemos pensar que não oprimimos ninguém, que é o governo quem nos oprime, mas quantas vezes pecamos contra as pessoas, descontando a raiva nelas, querendo que tenham medo de nós, que elas se submetam. Esta não é a vontade de Deus, o Senhor nos quer humildes, destruindo todos os instrumentos de repressão, devemos deixar todos os hábitos autoritários.

Devemos deixar a língua maldosa, deixar de falar dos outros, de reclamar. Este é o caminho de conversão que Deus nos pede, que deixemos os hábitos maus. O Papa Francisco pediu aos religiosos para deixar a fofoca, pois ela é como o terrorista que solta uma bomba no meio do povo e não volta para recolher os corpos.

“se acolheres de coração aberto o indigente e prestares todo socorro ao necessitado, nascerá nas trevas a tua luz e tua vida obscura será como o meio-dia. ” (Is 58,9b-14)

As pessoas passam perto de nós e nos pedem esmola, sempre dizemos que não temos, mas será que realmente não temos? Ficamos pensando no que a pessoa vai fazer com o dinheiro, que vai gastar com coisas erradas e não damos. Meus irmãos, isto não importa! A caridade é livre.

Devemos ser fiéis ao chamado de Deus. Não há dificuldades que possam cegar os nossos olhos, se nos abrirmos ao Senhor. Cristo pode nos conduzir sempre. Às vezes, apenas precisamos abrir os nossos braços e deixar que Deus nos ame.

“Serás como um jardim bem regado, como uma fonte de águas que jamais secarão”.

Cada um se tornará uma fonte para aqueles que estão perto de si. É tão bom nos aproximarmos de quem é bom. Que seja assim conosco, que as pessoas que se aproximam de nós saiam edificadas.

Missa no Santuário do Pai das Misericórdias - Foto: Regiane Calixto/cancaonova.com

Missa no Santuário do Pai das Misericórdias – Foto: Regiane Calixto/cancaonova.com

Como as pessoas saem de perto de você?

Saem melhores, mais de Deus ou destruídas pela fofoca?

Por que o carisma da Aliança de Misericórdia acolhe os moradores de rua? Porque são os mais sujos, os mais estropiados, são destes que gostamos. Queremos amá-los de forma concreta.

Muitas vezes, visitamos a Cracolândia e vemos o estado daquelas pessoas dependentes. É quase impossível uma pessoa dependente de crack se recuperar, mas já vimos este milagre!

Certa vez, um dos moradores de nossas casas fugiu, porque não aguentou a crise de abstinência. Ele fugiu sem nada, só com a Bíblia. O jovem foi para a Cracolândia, reencontrou um colega e lá os dois decidiram assaltar uma pessoa para conseguir dinheiro e comprar drogas. O rapaz que era de nossa casa de acolhida quis rezar antes de fazer o assalto, orou em línguas e depois abriu a Bíblia, caiu justamente na passagem de Efésios que diz: “Aquele que roubava, não roube mais”. Eles não tinham percebido, mas Deus já lhes havia roubado o coração. Não assaltaram e foram para a casa da Aliança de Misericórdia e se libertaram de sua vida antiga.

Precisamos renunciar ao pecado para fazermos uma experiência profunda do amor de Deus.

Levi era pecador, cobrador de impostos, ainda assim fez uma profunda experiência do amor de Deus e largou todas as coisas erradas para seguir Jesus. Este é o convite de Deus a cada um de nós. Que larguemos o mal deste mundo para sermos verdadeiramente felizes.

Precisamos ser expressão viva do amor misericordioso do nosso Senhor, esta deve ser uma escolha de cada um. Se entendermos que nossa vocação é um chamado de Deus, sem dúvidas nossa vocação será muito mais bonita.

Precisamos ser filhos e filhas da misericórdia do Senhor.

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair

Adquira esta pregação pelo telefone (12) 3186 – 2600


Padre José Custódio


Presidente e Moderador da Com. Aliança de Misericórdia

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo