Operários do tempo da misericórdia

O Senhor quer que celebremos muitas vitórias, porque eterna é a Sua misericórdia

Monsenhor Jonas Abib. Foto: Wesley Almeida/cancanova.com

Monsenhor Jonas Abib. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

A beleza do Evangelho de hoje começa dizendo que Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em Suas sinagogas, pregando o Evangelho e curando todo tipo de doença e enfermidade. Isso tudo aconteceu após Jesus revelar que o Espírito Santo estava n’Ele.

Aquele povo se admirava e se enchia de fé por tudo que Jesus fazia. O Evangelho continua dizendo que o Senhor, vendo as multidões, compadeceu-se delas. Meus irmãos, a comparação que o evangelista São Mateus faz é muito forte. Não estamos acostumados, hoje em dia, a ouvir sobre as ovelhas, mas, na época de Jesus, era comum, porque todo rebanho de ovelhas tinha seu pastor.

As ovelhas não têm muito sentido de direção, por isso se desviam facilmente do caminho. Se há um buraco ou um precipício, com facilidade elas cairão. Desse modo, precisam de um pastor que cuide delas, e este precisa ser um verdadeiro veterinário.

Jesus compara aquele povo com ovelhas que não tem pastor. Infelizmente, os fariseus e doutores da Lei não cuidavam do povo; pelo contrário, oprimiam-nos cada vez mais com o excesso de leis.

meu _presente

A palavra “compadecer” significa “sofrer junto”, e Jesus sofreu junto daquele povo. Cristo voltou-se para os Seus e disse: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos” (Mateus 9, 37).

“Messe” é um termo muito bonito, algumas vezes se traduz como ‘colheita’. Se você tem uma plantação e colhe no tempo errado, você a perde toda. Imagine o prejuízo!

O que Jesus quis dizer sobre a messe?

Aquela messe estava para se perder, porque não havia operários para recolher a plantação.

Tudo o que diz esse Evangelho está presente em nossa época também. Porque, a messe é grande, mas os operários são poucos.

Nós temos uma enorme plantação de irmãos, que estão se perdendo na ignorância, estão na lama de vícios, pecados e violências. Jesus não os quer perder, por isso eles precisam ser salvos por nós!

Hoje, completamos um ano da dedicação do Santuário do Pai das Misericórdia! O Papa decretará, por estes dias, o Ano Santo da Misericórdia, para nos inspirar e nos mostrar que estamos no tempo da misericórdia do Senhor.

Monsenhor Jonas Abib. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

“Rezemos, façamos o que nos cabe e o Senhor realizará a obra”, aconselha Monsenhor Jonas Abib. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

O que há nesse tempo de misericórdia?

A misericórdia de Deus. Por essa razão, Jesus quer nos mostrar, neste Evangelho, que nossa messe é grande e corre um grande risco de se perder. Ele quer que peçamos operários para cuidar dela. Esse operário é você! Existem filhos nossos se perdendo e você é chamado por Deus a salvar essas pessoas, não as deixar se perderem.

Veja também:
Um ano da dedicação do Santuário do Pai das Misericórdias
Manter a coroa de glória
Eu quero a misericórdia

Talvez você pense que essas pessoas são “cabeças duras” e não pensam no que você diz a elas. Porém, vale a pena insistir. Mas se você não conseguir, reze sem cessar. Tenha o coração em Deus e peça, suplique a Ele a misericórdia.

Traga seus entes queridos de volta para Deus. Queira ser veículo de salvação para os seus, eles precisam de você, porque não podem se perder.

Quais são as ovelhas perdidas da sua casa?

Entre os seus, os próximos a você, existem muitas “ovelhas negras”, mas elas não podem se perder, está na hora de serem salvas. Faça o que Jesus mandou fazer, mãos à obra, não perca nenhum dos seus.

“Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios” (Mateus 10,8).

O lema do nosso Acampamento é: “Celebrai as vitórias, porque eterna é a Sua Misericórdia”. O Senhor quer que celebremos muitas vitórias, porque eterna é a Sua misericórdia! Rezemos, façamos o que nos cabe e o Senhor realizará a obra!

Transcrição e adaptação: Karina Aparecida

meu presente(1)


Monsenhor Jonas Abib


Fundador da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo