Reconcilia-te com Deus e terás a paz

Reconcilia-te com Deus e não deixe que a falta de fé te separe de Deus. As dificuldades são apenas obstáculos a se superar.

 

Reconcilia-te com Deus e terás a paz269x329

No Hosana Brasil 2017, Márcio Mendes prega sobre a falta de fé. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Nós, que queremos encontrar um sentido para nossa vida, um alívio para o coração, inclusive dos muitos pecados que carregamos, temos apenas uma ordem: “Reconcilia-te com Deus!”. Entreguemos ao Senhor nossas súplicas e nossos agradecimentos.

Precisamos estar reconciliados com Deus, pois Ele é a única saída para nossa vida, é a direção que precisamos e o caminho para a verdadeira felicidade, que vai acontecer à medida que estivermos reconciliados com Ele pela fé. Por isso precisamos pedir ao Senhor que tire do nosso coração a dúvida e a indecisão, para colocar no lugar a fé, porque é por meio dela que podemos vencer. Este novo ano será de vitória também para nós.

Em Números 13,30-33, a Palavra nos mostra que pensamos ser nossos pecados a interromper nossa comunhão com Deus, que, por causa dos nossos erros, Deus não vai nos ouvir. No entanto, não existem nenhum santo que não tenha pecado. Com exceção de Nossa Senhora, todos erraram, pecaram e estavam perdidos, mas se voltaram para Deus. Para o pecado existe um remédio, existe o perdão, a misericórdia. O Senhor sabe das nossas limitações, dos nossos pecados e falhas.

Nossos pecados são realmente uma limitação, um empecilho, mas não geram em nós uma ruptura, pois existe a misericórdia de Deus. Há apenas uma coisa que, quando deixamos entrar no nosso coração, impede-nos, inclusive, de recorrer a Deus e pedir perdão dos nosso pecados: a falta de fé; ela é mais grave que o próprio pecado.

Quando não confiamos em Deus, rompemos com Ele. Deixamos de nos reconciliar com o Senhor quando deixamos de acreditar na Sua misericórdia, no perdão, no amor e no poder do recomeço com Ele. Isso é tão sério, que nos deixa amarrados e não nos permite alcançar a graça de Deus.

Na teologia usa-se a expressão “amarrado” para um pecado que não nos deixa exercer os sacramentos que Deus nos dá como graça. Assim, é o exemplo de um padre que é ordenado em Estado de pecado grave. Nas Missas que ele celebra, as graças vêm normalmente para quem está participando, mas esse padre não goza das graças de Deus para ele. Esses exemplos não tornam os sacramentos inválidos, mas, a partir do momento da confissão e da reconciliação com Deus, a teologia diz que a pessoa ressurge, revive e, naquela hora, a graça volta.

Apenas um sacramento fica ligado com pecado mortal: o nosso batismo. Nenhum pecado nos separa das graças do batismo. Apenas a falta de fé pode quebrar as promessas de Deus no nosso batismo. A falta de fé nos impede de nos enxergarmos como filhos amados de Deus. Existe, no céu e da parte de Deus, a vontade da nossa salvação, a vontade de nos conceder bênçãos, mas precisamos nos reconciliar com Ele, dando-Lhe a fé que Ele merece, acreditando no Seu amor e na Sua misericórdia, acreditando que Ele nos quer bem e nos perdoa.

Nessa Palavra, em Números, Deus tinha prometido a seu povo a Terra Prometida, mas, quando chegaram lá, encontraram-na ocupada, porque, quando vamos fazer a vontade de Deus, sempre há obstáculos. Assim, Moisés mandou um grupo fazer um reconhecimento da terra. Eles viram a mesma coisa, mas a opinião deles se dividiu. Uns achavam que poderiam conquistar aquela terra; outros achavam que não poderiam enfrentar aquele povo, pois pareciam enormes e mais fortes.

Aquele grupo viu a mesma coisa, mas suas histórias não batiam, pois a diferença não estava na situação, mas sim nas pessoas que a enfrentavam. Nós também enfrentamos, neste ano, muitos problemas, mas não fomos só nós; geralmente, os problemas e dificuldades são parecidos, senão iguais. A situação não muda, ou muda muito pouco, o que difere é quem a enfrenta. Essa palavra nos mostra o retrato de uma pessoa sem fé e sem confiança em Deus diante de um problema.

Reconcilia-te com Deus e terás a paz595x420

“A falta de fé nos impede de nos enxergar como filhos amados de Deus.”, Márcio Mendes. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Quando não temos confiança em Deus, isso nos impede de receber as promessas d’Ele para nós. Quantas graças deixamos de receber de Deus, não por falta de vontade d’Ele, mas por não colocarmos o mínimo de condição para essa graça aconteça, que é a fé. Quando uma pessoa não tem confiança em Deus, ela é capaz de usar a sua percepção, seus talentos e os dons que recebeu de Deus.

Aqueles homens que fizeram o reconhecimento da Terra Prometida entraram para história como pessoas pessimistas e covardes. Não é assim que devemos ser. Eles tiveram a chance de incentivar seu povo, mas, em vez disso, desanimaram-nos e criaram confusão no próprio povo. Assim acontece conosco quando não temos fé em Deus, pois a falta de fé cria ideias na nossa cabeça, achamos que nosso grande problema é o pecado, mas quando nos colocamos sobre a misericórdia de Deus, Ele nos devolve a graça.

A falta de fé nos faz diminuir diante dos nossos problemas, e nos colocamos como mosquitos perto de gigantes. Nós nos acovardamos diante das dificuldades, e ela nos faz acreditar que somos fracos, incapazes de enfrentar nosso pecado. A tentação mina nossa fé até nos fazer acreditar que não damos conta, mas somos de Deus e vamos vencer, porque não estamos sozinhos. As forças de Deus e do Espírito Santo sempre superam as forças do mal e das dificuldades. Temos de acreditar que, quando nos unimos a Deus, Ele nos desperta e nos dá forças para levantar nosso ânimo e nossa coragem.

A falta de fé faz crescer em nós várias coisas como o medo, o complexo de inferioridade, o pessimismo e a superestima do problema; ela nos coloca na boca a desculpa para não enfrentarmos nossos problemas. Assim, o mal vai sabotando nossas forças e a nossa vida não se realiza, pois fazemos a única coisa que pode nos afastar de Deus: deixamos de confiar n’Ele.

Se isso acontecer conosco, serão necessárias duas coisas para mudar esse quadro: tomar a decisão de não nos deixarmos derrotar e tomarmos para nós a graça de Deus. Tem de haver decisão, fazer a nossa parte, saber que tudo parte da graça de Deus.

Temos de ficar atentos aos nossos “gigantes”, pois eles podem estar em qualquer lugar, até no nosso coração. Somente com a decisão de nos unirmos a Deus, de nos reconciliarmos com Ele, vamos sair com forças para enfrentar esses problemas. E se não o enfrentarmos, eles irão nos massacrar e engolir. Assim nos tornamos mais fortes. Deus não nos põe nesta luta para sairmos derrotados, mas nos mostra que, se crermos n’Ele, venceremos.

A grande promessa de Deus para nós é o céu, e não podemos desistir dele. Enfrentaremos problemas e dificuldades, mas só quem tem fé e confia no Senhor pode abrir o coração para Ele e confiar que terá forças para ir ao encontro de Suas promessas.

Transcrição e adaptação: João Paulo dos Santos 

Assista a essa pregação pelo Canção Nova Play 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo