A fecundidade da fé

Tiba Camargos.
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

A fecundidade da fé é a vontade de Deus para nós

Deus quer falar a nós, quer que compreendamos que temos de estar preparados para nos encontrar com Ele. Hoje, pode ser o Dia do Senhor para nós ou para aqueles que estão próximos a nós.

Quando Jesus fala aos Seus discípulos, ele se apresenta como a videira verdadeira, ou seja, existe uma videira falsa, mas, mais do que isso, apresenta-se como uma videira que dá frutos. Além disso, ele adverte que os ramos que estão enxertados nele, que não dão frutos, são cortados e jogados no fogo.

A frutificação é uma condição de vida, não uma escolha, aquilo que está em nossas mãos para fazer, e nós não fazemos, será cobrado de nós!

Precisamos nos dispor a fazer a vontade d’Ele e suportar as podas de Cristo, pois Ele quer que você frutifique, ele não deseja ver você arrancado d’Ele. O Senhor não deseja que sejamos galhos ressequidos, mas também não deseja que tenhamos apenas folhas, o desejo d’Ele para nós é que tenhamos uma vida frutificada.

Viver para nós deve ser Cristo, somos os ramos, mas Ele é a nossa vida. Não temos vida em nós mesmos, mas devemos ser dependentes d’Ele, dispostos a fazer aquele que é o nosso papel, o de dar frutos.

Devemos buscar uma vida de frutificação, devemos contagiar os outros ramos próximos a nós, para que também frutifiquem, para que eles também não se percam. Devemos despertar, corresponder à vontade de Deus para nós e sermos sentinelas para aqueles que estão próximos a nós.

Leia também:
Fé, um exercício contínuo
Aplicando a fé

Transcrito e adaptado por Jonatas Passos

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo