A força da oração

Sônia Venâncio. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Sônia Venâncio. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Deus te vê e ouve a sua oração

A graça de Deus passa pela nossa vida, uma, duas… cem vezes, mas uma delas pode ser a última. Hoje é o dia da graça de Deus, não a deixemos passar, não a deixemos para amanhã!

Nunca estamos sozinhos, pois está sempre conosco o Espírito Santo, Jesus e Deus. Vejamos o que nos diz a Carta a São Tiago 4,3: “Pedis e não recebeis, porque pedis mal, com o fim de satisfazerdes as vossas paixões”.

Nós gostamos de pedir, e nossa lista de pedidos é grande! Mas, muitas vezes, nós não sabemos como pedir. Pedindo mal, não recebemos o que pedimos.

A Igreja nos ensina sobre a oração

No Catecismo da Igreja Católica (CIC) está assim: “A oração é o impulso do coração, um olhar simples para o céu, um grito de reconhecimento e amor”. O Papa Francisco nos diz: “Quando rezo, Deus respira na minha alma”. Quando rezamos, Deus vive dentro de nós.

Padre Léo disse: “Desde o momento em que você acorda até o momento em que vai dormir, tudo tem de se transformar em oração. Rezar a vida, rezar em todas as situações da vida, transformar tudo em matéria-prima para a oração”.

O fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib, ensina-nos: “Temos o trabalho santificado e a oração ao ritmo da vida”. Nosso trabalho e tudo em nossa vida tem de ser a partir da oração. Traga Deus para junto de tudo o que for realizar, peça o Espírito Santo nas situações do dia a dia.

Antes de conhecer a Canção Nova, eu tinha um jeito de rezar. Ia à Missa cedo, rezava o terço, lia a Palavra de Deus e pronto! Na Comunidade, aprendi a rezar todo o tempo do meu dia, estar o tempo todo conectado com Deus, pois a oração nos leva para o Senhor e Ele vem a nós.

Leia mais:
:: Artigos sobre oração

Qual é a verdadeira oração? Papa Francisco disse: “A característica da verdadeira oração nos faz sair de nós mesmos”. Ele explica as duas saídas: “Sair de nós mesmos e irmos até as chagas de Jesus, porque nelas o Pai nos vê”. A outra saída é irmos ao encontro do nosso irmão e ver nele as chagas de Jesus.

Os santos nos ensinam sobre a oração também. São Tomás de Aquino disse: “Todas as graças que Deus determinou para nos conceder, Ele não as concederá se não for por meio da oração”. O santo disse também: “A oração é necessária não só para que Deus conheça nossa necessidades, mas para reconhecermos nossa necessidade de Deus”.

Santo Afonso de Ligório disse: “Se, em toda a minha vida, eu tivesse de fazer uma única pregação, faria sobre oração”.

Santa Tereza D’Ávila disse que quem está passando por uma situação difícil, em tempos de tristeza e inquietação, não deve abandonar suas práticas de oração, mas as intensificar.

“Você verá com que prontidão o Senhor o sustentará!”. Ele se apressa, por isso, não deixe de rezar. Intensifique sua oração e o Senhor o sustentará.

"Deus te vê e te ouve" Sônia Venâncio. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

“Deus te vê e te ouve” Sônia Venâncio. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Seguir a vontade de Deus é a melhor escolha

No Ano da Misericórdia, Santa Faustina nos ensina a rezar. “Não devemos forçar Deus a nos dar o que queremos, mas, antes, temos de nos submeter a Sua vontade”.

Acredite: o Senhor sabe o que é melhor para cada um de nós. Ele sabe a hora e o jeito certo, sabe do que precisamos. Temos de fazer sempre a vontade d’Ele, não a nossa, pois quando insistimos na nossa, sofremos um desgaste.

Padre Jonas diz que, quando fazemos a vontade de Deus, nosso nome passa a ser felicidade. A oração nos leva a conhecer e fazer a vontade do Senhor. Isso não significa deixar de lutar, mas ter fé por meio da oração.

Deus nos dá, por meio na oração, o jeito de resolvermos as situações com as quais não sabemos lidar. Cada um tem o seu jeitinho de rezar, e isso agrada a Deus. Deixe que seu coração reze, seja sincero e ousado com sua oração e com Deus.

À medida que vamos convivendo com o Senhor, pegamos o “jeitinho” d’Ele. A oração nos leva à intimidade com o Pai, e essa intimidade nos leva à santidade.

Professor Felipe Aquino nos dá cinco passos para retomarmos a oração. O primeiro passo é o sinal da cruz, é recordar, num só gesto, tudo o que Jesus fez por nós. O segundo, são as gotinhas de oração, as frases curtas que aprendemos, as jaculatórias; elas nos ajudam a estar na presença de Deus. O terceiro passo é escutar, treinar o coração para ouvir Deus. O quarto passo é contemplar algo belo, rezar com aquilo que é belo. O quinto e último passo é cantar, pois quem canta reza duas vezes. Cante suas tristezas, seus medos, sua alegria. Faça da sua vida uma canção.

Quando eu tinha 20 anos, fui a um grupo de oração. Era uma quinta-feira e, ali, do oitavo banco onde eu estava, fiz minha oração. “Jesus, eu não sei cantar, não sei rezar nem mesmo pregar Sua Palavra, mas aqui estou.”

Jesus olha para você, Ele o vê e ouve sua oração.

Transcrição e adaptação: João Paulo dos Santos

Adquira essa pregação pelo telefone: (12) 3186-2600


Sônia Venâncio


Missionária da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo