A importância de uma fé operativa

Lúcio Domício.
Foto: arquivocn/cancaonova.com

É importante que a fé seja acompanhada de obras

A fé sem obras, sem uma manifestação visível a outros, manifestações do viver, é uma fé morta. Logo, precisamos não só crer, mas viver segundo a fé, para que possamos ter uma fé viva.

A fé não é algo que vai de acordo com a racionalidade humana, mas é conforme a carta de São Tiago: dom de Deus. Um dom não para que vivamos apenas de falar, mas para praticar essa fé.

A fé é um dom de Deus que nos possibilita enfrentar as situações da vida, acreditando que onde existem limitações humanas Deus vai nos ajudar! Enfrentando situações que podem inclusive nos levar à morte, como a violência e a doença.

Temos duas opção na caminhada cristã: viver uma vida de prática de fé ou uma vida de morte de fé, sem obras. Pois, é simples dizer que acredita sem se sacrificar, sem agir, falar para que os outros façam aquilo que você não está disposto a fazer.

Mas a fé nos dá garantias de que Ele sempre fará aquilo que queremos? Não! Mas a fé nos trás a certeza de que se confiarmos Ele sempre fará o melhor por nós! Mesmo que não seja da forma e quando queremos, mas viver e crescer na fé é aprender a viver e aceitar a vontade de Deus.

Este é um processo que não é fácil, mas viver da fé é, em cada circunstância das nossas vidas, ter a confiança e o descanso de saber que a vontade de Deus, se vivermos em obediência, vai nos guiar ao melhor, ainda que isso seja a morte!

Vamos no nossa dia a dia buscar ter uma vida de fé com obras, uma vida em que confrontemos as adversidades crendo na providência e na soberania de Deus.

Leia também:
A cruz é a perfeição do amor
Quem é este Deus?

Transcrito e adaptado por Jonatas Passos


Lúcio Domício


Missionário da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo