Um coração reconciliado

Para termos um coração reconciliado, somos chamados a olhar para nossa história e nos conhecermos

Um coração reconciliado 269x329

Alexandra Gonçalves prega na Quinta-feira de Adoração na Canção Nova. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Viver reconciliado é viver em tempo integral reunindo a nossa vida em Cristo, numa constante reconciliação com Deus, mas não só com Ele, e sim com nós mesmos. Viver reconciliado não é simplesmente perdoar da boca para fora, mas é difícil falar de perdão, pois ele pede vida, pede testemunho.

São Pedro perguntou a Jesus quantas vezes ele deveria perdoar alguém. Jesus responde setenta vezes sete. Esse número representa uma plenitude, de modo que o perdão seja pleno, ou seja, é preciso perdoar sempre. No Evangelho de Lucas 17,3-4, Jesus diz para perdoarmos quantas vezes o irmão vir até nós arrependido.

O coração do cristão precisa ser forte, resiliente e disponível, pois não é fácil perdoar a mesma pessoa quando ela nos machuca frequentemente. Toda essa força só vem quando nos abrimos a receber a graça de Deus.

Reconciliar é difícil, pois requer convivência, já que não perdoamos pedras, e sim pessoas. Não é fácil viver a reconciliação, mas não é impossível. Somos chamados a perdoar setenta vezes sete e viver como verdadeiros cristãos, pois se nos recusamos a perdoar, não estamos sendo cristãos de verdade.

Precisamos entender a nossa história, abrir-nos à experiência com Deus, que nos leva a conhecer nossa história e não deixarmos brechas para o mal por causa do coração ferido. Negar a parte escura do nossa vida e não deixá-la iluminar-se só nos afasta ainda mais de Deus.

Um coração reconciliado 595x420

“Para viver reconciliados temos de lançar as luzes dentro de nós e descobrir o que nos mantém divididos”, Alexandra Gonçalves. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Neste Ano da Misericórdia, temos de melhorar nossa linguagem de misericórdia. Justiça não é o contrário de misericórdia; o contrário dela é a vingança. A justiça potencializa a misericórdia. Reconciliar-se é ser misericordioso com o outro e com nós mesmos; e, a partir daí, reconciliar-se com Deus.

Uma alma não reconciliada é dividida, e uma alma dividida não consegue enfrentar batalhas. Para viver reconciliado, temos de lançar as luzes dentro de nós e descobrir o que nos mantêm divididos, se é nosso egoísmo, nossa distância de Deus ou outra coisa.

Não temos que ter vergonha de enxergar nossos erros, mas sim de não voltar para Deus. Pedro e Judas traíram Jesus, mas a diferença é que um experimentou e aceitou o olhar de amor e misericórdia de Deus. Reconciliar-se é saber que, todos os dias, podemos fazer diferente o que fizemos de errado no passado.

O Senhor nos chama a vivermos reconciliados, a abrirmos o coração e iluminarmos, com a luz da misericórdia de Deus, o que nos divide. ele nos convida a termos a coragem de nos levantarmos, reconciliarmo-nos com nossa história, com nós mesmos, assim como Pedro teve a coragem de dar um passo de libertação após perceber que estava errado.

Transcrição e adaptação: João Paulo dos Santos

Assista a essa pregação no cancaonova.com/play

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo