Clamar ao Senhor para nos livrar das ciladas do mal

padre_roger_luis

Padre Roger Luis. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Confie no Senhor e seja firme na fé diante das ciladas do demônio

Oremos com perseverança! Somos convidados a clamar ao Senhor para que nos liberte das ciladas do maligno. Padre Duarte Lara falou, em sua pregação, sobre os setes erros e enganos que a Nova Era tem espalhado pelo mundo e que estão semeando falsas doutrinas de uma maneira sutil.

Leia também
.: O demônio é mentiroso e pai da mentira –, padre Duarte Lara

Não estamos ilesos diante do maligno, principalmente quando, na sutileza, ele muda nosso comportamento diante das realidades que vivemos. Vamos adentrar em nossa caminhada espiritual para aprendermos o caminho da liberdade interior, da consciência e também dos passos que nós temos de dar para nos livrarmos dessas ciladas.

A Bíblia é um grande instrumento de formação para nós cristãos. O Antigo Testamento nos revela o novo e aquele que veio, Jesus Cristo, para nos libertar de todo mal. Ele nos mostra as atitudes, os posicionamentos e as posturas que se repetem na história e na caminhada.

Se fôssemos estudar o livro de Números, nos capítulos 13 e 14, veríamos uma das ciladas do demônio na nossa caminhada. Moisés já havia libertado o povo do Egito e estava caminhando há muito tempo no deserto. Esse povo já havia experimentado muitos sinais da parte de Deus, a começar pela libertação do Egito, da escravidão, de tudo aquilo que eles viveram pelo poder e manifestação de Deus para libertá-los do julgo do faraó, cuja figura do mal escraviza, amarra, humilha e prende.

Moisés já havia passado pelo mar vermelho. Ali, às portas da terra prometida, instruído por Deus, ele enviou 12 homens para fazerem uma espionagem, explorar a terra e trazer para a comunidade a informação de como era a terra prometida por Deus.

Moisés, na sabedoria, pegou um líder de cada tribo e mandou os 12 homens para o local. Esses homens se impressionaram com a terra, porque lá corria leite e mel, frutos e água;  a terra era fecunda. Eles se depararam com homens que já habitavam aquela terra, com cidades fortificadas e pessoas que, na linguagem deles, diziam ser gigantes, homens muito grandes. Moisés reuniu uma assembleia, e os 12 trouxeram as informações daquela terra, disseram que, realmente, Deus prometeu que lá correria leite e mel.

Se o Senhor prometeu aquela terra, Ele é poderoso para nos dá-la, porque Ele está conosco.

peregrinos_acampamento_libertacao

Peregrinos acompanham atentamente as palavras do padre Roger Luis neste primeiro dia do “Acampamento de Cura e Libertação”. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

 

O discernimento para vencer o demônio

Umas das maiores ciladas que o demônio nos propõe é a capacidade de sermos negativos, de perdermos nossa fé em Deus. Por isso, eu digo aos fiéis que não cedam ao pessimismo e ao negativismo, pois, dessa forma, nossa fé em Jesus vai enfraquecendo.

Diga: “Senhor, eu não quero ceder a essa cilada, porque o Senhor é o meu libertador”.

A Nova Era tem semeado esse espírito que mina a fé em Nosso Senhor. No entanto, nenhum outro é mais poderoso que Deus, por isso não podemos deixar de acreditar n’Ele.

Você é cristão ou pagão? Nós estamos nos aproximando do fim dos tempos, e o Espírito Santo tem trabalhado, a fim de que, no fim, haverá a separação do joio e do trigo. O joio tem se manifestado e o Espírito Santo vai trabalhando!

Nós precisamos entender que o poder de Deus faz com que as criaturas pequenas vençam as grandes, pois o Senhor precisa de homens e mulheres que confiem em Deus. Quando vencemos o inimigo? Quando esperamos e confiamos no Senhor.

Temos de vencer as ciladas da desconfiança e da falta de fé. Temos de confiar e esperar em Deus. Precisamos nos aproximar d’Ele e depositar toda a nossa confiança n’Ele, assim não sucumbiremos diante das ciladas do inimigo, porque o mal nos afasta das doutrinas e da fé da Igreja.

Discernimento é graça do poder de Deus para que não nos deixemos ser seduzidos pelo maligno. Esse discernimento só vem pelo conhecimento da Palavra, da Doutrina e da intimidade com o Senhor.

Quanto tempo temos dedicado à oração em línguas? Precisamos dessa experiência, precisamos aprender a discernir o que é bom e ruim. Tenha a certeza do discernimento em Deus!

O discernimento vem da oração e do entendimento da Palavra, pois existem tantas vozes e ensinamentos espalhados pela internet, que vão entrando no nosso coração! Mas se não conhecermos a Palavra de Deus e a Doutrina, vamos nos afastando do Senhor. Cuidado com as verdades mascaradas! É tempo de vivermos no Espírito Santo, porque mais forte é o Deus.

No livro de Neemias 6,1-16, podemos compreender esse discernimento:

“Sanabalat, Tobias, Gossem o árabe, e outros inimigos nossos, souberam que eu havia reconstruído a muralha e que não havia mais brechas; entretanto, até aquele momento eu não havia ainda colocado os batentes nas portas. Mandaram solicitar-me uma entrevista com eles numa das aldeias do vale de Ono. Projetavam fazer-me mal. Enviei-lhes mensageiros para dizer-lhes: Estou em vias de executar um trabalho importante; não posso descer. Não tenho desculpa para interromper meu trabalho e não posso deixar a obra para descer a vós. Quatro vezes eles me endereçaram a mesma mensagem, e eu cada vez enviava-lhes a mesma resposta. Pela quinta vez Sanabalat fez-me a mesma proposta por um seu servo, o qual, desta vez, trazia na mão uma carta aberta que continha o seguinte: Foi divulgado entre as gentes, e Gossem afirma que, se tu reconstróis a muralha, é porque tu e os judeus estais projetando uma revolta. E, pelo que se diz, desejas tornar-te o rei deles, e terias mesmo enviado profetas para proclamar-te rei de Judá em Jerusalém. Todos esses boatos chegarão aos ouvidos do rei. Vem, pois, e entendamo-nos. Eu lhes respondi: Nada existe de verdadeiro no que dizes: foste tu que inventaste tudo isso. Todos procuravam intimidar-nos. Diziam entre si: Fatigar-se-ão de tal modo que abandonarão o trabalho; este jamais será terminado. Agora, pois, ó meu Deus, sustentai os meus braços! Fui depois à casa de Semaías, filho de Dalaías, filho de Metabeel, que se tinha fechado em sua residência. Vamos juntos, disse-me ele, à casa de Deus, ao interior do templo, e fechemos as portas do santuário, porque procuram matar-te; nesta mesma noite virão liquidar-te. Respondi-lhe: Como! Então um homem como eu há de fugir? Por outra parte, como pode um homem como eu entrar no templo sem perder a vida? Ali não entrarei. Eu compreendera, com efeito, que não fora Deus quem o enviara; se ele tinha pronunciado sobre mim tal predição, era porque Tobias e Sanabalat o haviam subornado. Eles o faziam para intimidar-me e fazer-me pecar segundo o seu desejo; isto lhes permitiria cobrir-me de opróbrios e lançar-me em má reputação. Lembrai-vos, ó meu Deus, das maldades de Tobias e de Sanabalat; e também do profeta Noadias, bem como dos outros profetas que procuravam atemorizar-me. Terminou-se a muralha no vigésimo quinto dia do mês de Elul, em cinqüenta e dois dias. Quando nossos inimigos souberam disso, encheram-se de temor todas as nações vizinhas: pois seu ânimo arrefeceu e reconheceram que, se aquela empresa fora levada a bom termo, era graças ao nosso Deus.”

Ouça, na íntegra, a oração de Roberto Tannus e o padre Roger Luis ao final da pregação:

Transcrição e adaptação: Alessandra Borges

contribuicaocn1

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo