Sede perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celeste

Padre Duarte Lara/ Foto: Wesley Almeida

Padre Duarte Lara/ Foto: Wesley Almeida

O amor exige sacrifício, capacidade de se doar a Deus e ao outro

Um dos maiores objetivos do demônio é fazer você acreditar que a santidade não é para você, mostrando que você é fraco e pecador. É verdade, você é fraco e pecador, isso é verdade, mas você pode ser santo. A santidade é para você.

Anos atrás, a Igreja viveu o Concílio Vaticano II. O Espírito Santo recordou à Igreja que todos nós, sem exceção, somos chamados à santidade.

No documento LUMEN GENTIUM está escrito:

Todos os cristãos são, pois, chamados e obrigados a tender à santidade e perfeição do próprio estado. Procurem, por isso, ordenar rectamente os próprios afectos, para não serem impedidos de avançar na perfeição da caridade pelo uso das coisas terrenas e pelo apego às riquezas, em oposição ao espírito da pobreza evangélica, segundo o conselho do Apóstolo: os que usam no mundo, façam-no como se dele não usassem, pois é transitório o cenário deste mundo (1 Cor. 7,31 gr.) (135).

Quinta-feira Padre Roger nos explicou o que é o amor de caridade. (Confiira)
Vocacionados ao amor

O Concílio define a santidade como viver a perfeição do amor, da caridade. Como se manisfesta a caridade em nossas vidas.

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que retine em vão.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.”
Coríntios 13:1-13
Sua vocação mais fundamental, você foi criado para amar e ser amado. O maior drama na vida da pessoa humana é quando ela se engana na estrada do amor e não experimenta o amor. Aí muitas pessoas experimentam a depressão e ansiedade. O seu coração não vai ter paz enquanto você não se sentir amado por Deus e amar neste amor.

Vamostomarasarmas_espirituais

“Não se vai ao campo de guerra sem proteção. Somos esse soldado em ordem de batalha.”, disse Ironi. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Ser feliz é ser santo

A vocação à santidade é amar e ser amado.

Essa foi uma das verdades que mais transformou minha vida: ser santo é ser feliz. Os santos e as santas viveram 100% o amor. E quando mais amamos, mais somos felizes.

Nossa cultura passa muito o individualismo, mas não existe felicidade sem Deus e sem irmãos.

Perguntaram a Bento XVI quantos tipos de santos existem? E ele respondeu, têm o tanto de tipo de pessoas do mundo, porque cada um de nós é único. Cada um tem seu jeito de amar. Deus criou essa grande variedade.

A santidade não é negar nossa humanidade, Deus só quer tirar o pecado, o mal da sua vida, agora sua humanidade Ele quer santificar.

A religião cristã não está em primeiro lugar o que devemos fazer, mas o que Deus fez por nós, a ação de Deus para nossa salvação.

Santidade é entrar em contato com o Deus três vezes santo, é divinização. Deus é a fonte de toda santidade. A iniciativa vem de Deus, Deus pai que nos amou e nos salvou. A santidade não existe sem Espírito Santo.

Santo Agostinho diz: “ Se tu dissesse de fato que é santo por mérito seria soberbo. Por outro lado se é fiel a Cristo e membro de Cristo, e dissesse que não é santo seria ingrato”.

No dia que você se batizou, você passou a ser morada de Deus, por isso faço festa no aniversário de batismo.
Se o batismo é uma verdadeira entrada na santidade de Deus, seria contrassenso se contentar com uma vida medíocre, vivida segunda uma ética miminimista, dizia São João Paulo II.

A mãe de família se santifica fazendo as coisas de casa, por exemplo, ela faz o café da manhã para seu filho, por amor a Deus e ao seu irmão. Se uma mãe abandona seus filhos e suas obrigações para rezar, ela não estaria se santificando.

Suas obrigações são oportunidade de se santificar. Seja uma mãe exemplar, profissional exemplar, através de suas obrigações demostre seu amor a Deus e aos irmãos.

A universidade do amor

Não pense que a felicidade é a ausência de sofrimento. O amor exige sacrifício, capacidade de se doar a Deus e ao outro.
A universidade do amor para mim é a família. Vejo na família, um marido que se sacrifica trabalhando, por amor a seus filhos e sua esposa. Veja uma mãe, que logo quando tem o filho está vivendo as dores, mas se seu filho chora ela corre para atender. O amor implica esquecer de si mesmo e doar-se. Por isso, o inimigo quer destruir a família.
Jesus disse eu te amo dando a vida por nós. O amor é sacrifício, não tenhas medo, deixe-se seduzir pelo amor.
O amor é Deus! Quando o amor é grande a cruz torna-se leve. Tem gente que corre do sofrimento, mas é impossível correr da cruz. Um dos grandes desafios é que para crescer no amor não posso fugir do sofrimento.
O cristão não é masoquista, não corre atrás do sofrimento, mas o aceita. Não foi a dor de Jesus que nos salvou, mas sim seu amor.
O demônio tenta nos confundir sobre o que é o amor.
Na nossa relação com Deus, Ele nos dá muita ajuda, os teólogos falam que são as consolações de Deus. Temos que ter cuidado para não viver buscando as consolações de Deus e sim o Deus de consolação.
Deus quer que você cresça no amor.
Tem um jovem carioca chamado Guido que está em processo de beatificação. Ele gostava de surfar e estudou medicina. Ele era um cristão cheio do amor de Deus. Guido ajudou muito os pobres.

Ser feliz é amar sem condições. Quem mais amar, mais estará unido a Deus. O céu começa com Deus em nosso coração.

Olhemos para a vida e o que acontece, e vejamos como possibilidade de crescer no amor.

 

Transcrição e adaptação: Elcka Torres

Adquira esta pregação pelo telefone (12) 3186 – 2600

contribuicaocn1

 


Padre Duarte Lara


Sacerdote da Diocese de Lamego, Lisboa, Portugal

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo