Levanta-te, pega a tua maca e anda!

O pecado é uma paralisia que nos impede de caminhar!

Palavra meditada está em Marcos 2,1-12:

“Alguns dias depois, Jesus entrou novamente em Cafarnaum e souberam que ele estava em casa. Reuniu-se uma tal multidão, que não podiam encontrar lugar nem mesmo junto à porta. E ele os instruía. Trouxeram-lhe um paralítico, carregado por quatro homens. Como não pudessem apresentar-lho por causa da multidão, descobriram o teto por cima do lugar onde Jesus se achava e, por uma abertura, desceram o leito em que jazia o paralítico. Jesus, vendo-lhes a fé, disse ao paralítico: “Filho, perdoados te são os pecados.” Ora, estavam ali sentados alguns escribas, que diziam uns aos outros: “Como pode este homem falar assim?Ele blasfema. Quem pode perdoar pecados senão Deus?” Mas Jesus, penetrando logo com seu espírito tios seus íntimos pensamentos, disse-lhes: “Por que pensais isto nos vossos corações? Que é mais fácil dizer ao paralítico: Os pecados te são perdoados, ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito e anda? Ora, para que conheçais o poder concedido ao Filho dó homem sobre a terra (disse ao paralítico), eu te ordeno: levanta-te, toma o teu leito e vai para casa.” No mesmo instante, ele se levantou e, tomando o. leito, foi-se embora à vista de todos. A, multidão inteira encheu-se de profunda admiração e puseram-se a louvar a Deus, dizendo: “Nunca vimos coisa semelhante.”

A primeira característica de um verdadeiro cristão é levar o outro para Deus. Quando levaram o paralítico até Jesus, eles eram quatro. Quando chegaram à casa, havia uma multidão. Se eles não fossem amigos, eles diriam: “Vamos embora, nunca vamos conseguir entrar naquela casa”. Mas disseram: “Vamos passá-lo pelo telhado”. Eles eram amigos.

“O amigo ama a todo tempo, e na desgraça se torna um irmão”. Houve momentos em minha vida que eu tive esses quatro amigos. Quem nunca passou por uma doença ou uma dificuldade financeira? Eu sou muito grato aos meus amigos. Como é bom ser carregado quando você não tem forças!

A segunda característica de ser um verdadeiro cristão é a fé. Quando foram levar o paralítico, dois ficaram em cima do telhado e outros dois embaixo. Imagina o medo daquele homem! Ele devia dizer: “Gente, eu já não ando, agora vou quebrar a cabeça!”. Eu fico maravilhado com a fé daqueles quatro, porque eles tinham uma fé verdadeira, de ação; não se deixaram abater pelas dificuldades. O mais bonito é que fizeram um trabalho de equipe. Sabe o que é mais difícil na Igreja? É você não ver um trabalho de equipe.

Hoje, parece-nos que ninguém se importa com ninguém. Como é bom quando encontramos alguém que olha para a nossa dor e nos diz: “Eu quero ajudá-lo!”. É um amor verdadeiro, que não quer nada em troca. Esse amor o mundo esqueceu, mas nós não podemos nos esquecer dele! Essa é a caridade da qual não podemos nos esquecer.

levanta-te_pega_a_tua_maca_e_anda

Roberto Tannus. Foto: Arquivo/cancaonova.com

Precisamos amar sem interesse. “De graças recebestes, de graça deveis dar” ensina-nos Jesus.

Em 1969, eu comecei a evangelizar. Tenho 35 anos de consagrado e nunca cobrei para evangelizar. Eu sou um missionário, não um mercenário.

A terceira característica do verdadeiro cristão é a perseverança. Não existe cristão sem perseverança, pois não existe cristão que nunca caia e nunca cometa um erro, mas sim que sempre persevera até o fim.

A quarta característica que precisa haver no cristão é a comunhão. Quem é servo tem de fazer o papel de comunhão e equipe. Quando vamos à Praça de São Pedro, em Roma, vemos lá duas colunas: uma de Pedro e outra de Paulo, no lugar onde eles foram martirizados.

Para Deus é grande quem leva o outro até Jesus. Se você quer ser reconhecido como cristão, não é preciso ficar à frente na Igreja ou no seu grupo, basta que seja servo. O seu lugar de honra não é neste mundo, mas no céu, por isso, seja servo.

A quinta característica que o cristão precisa ter (que eu vi nesses quatro homens do Evangelho) é a ousadia. O cristão precisa ser ousado sem ser inconveniente. Uma pessoa ousada não para nas barreiras.

Eu costumo sempre chamar minha esposa de “doce querida”, a Neuzinha. Eu a amo demais! É ela quem me leva para os pés de Jesus, quem me acorda de madrugada para eu rezar. É uma mulher que tem caridade, determinação, comunhão e ousadia. Ela sempre quer que eu seja de Jesus e, depois, dela. Sempre há, junto de você, um cristão verdadeiro que faz o papel dos quatro amigos de Jesus.

O pecado nos paralisa e nos impede de caminhar. “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça” (Isaías 59). É como se a pessoa tivesse sob uma chuva de graças, mas com o guarda-chuva aberto. Só Deus pode perdoar os pecados. Assim que o Senhor viu o paralítico, perdoou seus pecados e disse aos fariseus: “O que é mais fácil dizer, os teus pecados estão perdoados ou levanta-te e anda?”. O primeiro passo para a cura é o perdão. O pecado debilita a nossa alma.

Jesus quer curar a sua paralisia. Ele quer que você saia do comodismo. Toda vez que você leva o outro até Ele, você também é curado. Toda vez que você tiver uma doença, leve o outro a Jesus primeiro. Às vezes, as suas chagas são maiores do que as de alguém enfermo, mas no momento em que sai de você para amar o outro, Deus o cura. A pior ferida que nós trazemos é a do pecado, e ela só pode ser curada com o perdão e a absolvição dos seus erros, pelo sacramento da confissão.

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D’Onofrio.

Adquira esta pregação pelo telefone: (012) 31886-2600

contribuicaocn


Roberto Tannus


Pregador oficial da Renovação Carismática Católica (RCC)

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo