Muitas de nossas feridas estão ligadas à nossa história

Missa Padre Arlon - 269x329

Padre Arlon -Foto: arquivo cancaonova.com

“Se você não descobrir quais são as fraquezas da alma, as dores do coração e da história você pode não se curar.”

Hoje o Senhor’ fala no Sinai a Moisés sobre o Jubileu. Contarás sete semanas de anos, ou seja, sete vezes sete anos, o que dará quarenta e nove anos. Então farás soar a trombeta no décimo dia do sétimo mês. No dia da Expiação fareis soar a trombeta por todo o país. Declarareis santo o quinquagésimo ano e proclamareis a libertação para todos os habitantes do país: será para vós um jubileu.

“Não vos leseis uns aos outros entre irmãos, mas temei o vosso Deus. Eu sou o Senhor, vosso Deus”. O Senhor pede que não nos machuquemos uns aos outros. Quando olhamos para nossa vida, vemos que o que nos deixa mais tristes, chateados, não são as pessoas de fora, mas as de casa. Se alguém que não nos conhece, não tem intimidade conosco fala mal, nos julga, até aceitamos melhor, porque não nos conhece, mas quando são os de nossa casa, esposo, filhos, pais, amigos ficamos muito machucados.

Muitas de nossas feridas estão ligadas à nossa história. Existem pessoas que viveram tantas dores que fazem votos íntimos como: “Nunca mais quero me lembrar disto”. Quando alguém pede que conte sua história aos outros diz, por exemplo: “de 7 a 15 anos não me lembro de nada”. Não se lembra porque quis apagar este período de sua história.
Quando vivemos uma coisa boa não queremos apagar da nossa mente. Porém, queremos esquecer os momentos de dor, só que se não conhecermos nossa história não poderemos ser curados. É como ir ao médico, não resolve tomar o remédio sem o diagnóstico, sem ele você pode tomar um medicamento para gripe estando com pneumonia, para dor de cabeça estando com câncer. Sem diagnosticar fica difícil tratar.

Se você não descobrir quais são as fraquezas da alma, as dores do coração e da história você pode não se curar. Porém, se conhece poderá lutar contra suas fraquezas. Não é porque você teve uma história difícil, que viveu bullying na escola que deve viver magoado com a vida, você pode ser um vitorioso. Cada pessoa tem o direito de olhar para seus limites e dizer: “Não quero viver assim!”.

Como é difícil ouvir sobre as nossas falhas. Muitas vezes, estamos com alguma roupa e não vemos as manchas, alguém precisa nos falar que está manchado, se formos dóceis, vamos colocar nossa roupa para lavar, do contrário não vamos aceitar o que o outro diz e ficaremos como estamos.

Padre Arlon preside Santa Missa de sábado no acampamento Fé e Milagres - Foto: arquivo cancaonova.com

Padre Arlon preside Santa Missa de sábado no acampamento Fé e Milagres – Foto: arquivo cancaonova.com

Se aceitarmos colocar a roupa para lavar, pode ser que a mancha não saia na primeira vez, talvez seja necessário colocar de molho várias vezes. É isto que Deus quer fazer conosco: tirar nossas manchas interiores para nos purificar. Ele pode não nos curar na primeira lavagem, pode precisar nos colocar de molho várias vezes.

João Batista, o batizador, foi morto por não negar sua missão. Ele estava preso por causa de Herodíades, com a qual Herodes estava adulterando, porque a mulher era sua cunhada. Eles estavam numa festa de aniversário, com bebidas, música… Assim acontece quando nos rendemos aos vícios, tomamos decisões pelo impulso, as quais nos arrependemos pelo resto de nossas vidas.

Talvez tenha acontecido isso com você, disse algo que metralhou alguém ou de cabeça cheia tomou uma decisão de que se arrependeu. Não matamos somente com armas, existem várias formas de matar as pessoas dentro de nós.

João Batista morreu porque foi fiel à missão que Deus lhe concedeu. João entendeu tanto sua missão que deu a vida por ela. Pai, mãe, vocês nunca vão dar a vida pela missão que Deus lhes deu enquanto não entender o que significa isto. Quem não entende a missão não dá a vida por ela, só dá a vida quem ama sua missão.

O autoconhecimento é muito importante. Muitas coisas que vivemos no nosso passado ainda podem estar condicionando o nosso presente. Quando alguém que foi traído no passado vê a pessoa que o traiu, mesmo que anos depois, sente de novo os mesmos sentimentos de quando aconteceu o fato, é como tirar a casca de um machucado.
Perdoar é como uma cicatriz, você se lembra, mas não dói mais. Perdoar é também acreditar no que Deus pode fazer no outro. Para você, talvez, a mudança dos seus seja impossível, mas para Deus é possível.

Você que acha que os outros sempre são melhores que você, que o cabelo dos outros, os olhos, a vida financeira, tudo é melhor, ou tem um espírito de comparação com o outro e não se dá valor… Talvez o seu milagre seja superar tudo isto. Deus pode fazer em você e em sua família. Se ele devolveu a dignidade a Paulo que era um matador, não pode dá-la de volta a você?

Em sua casa, pode ser que tudo esteja igual, porque você não mudou de casa, família ou trabalho, mas tenho uma boa notícia: você mudou, está curado, cheio do Espírito e pode fazer a diferença na vida das pessoas.

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair

Adquira esta pregação pelo telefone: (12) 3186 – 2600

contribuicaocn


Padre Arlon Cristian


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo