Como treinar para a grande tribulação

Untitled design

Monsenhor Jonas Abib – Foto: Arquivo cancaonova.com

Nós acabamos de ouvir esse Evangelho no qual Jesus contou esta parábola, especialmente, para alguns que confiavam na própria justiça e desprezavam os outros. Foi para isso que Jesus a contou.

Na parábola, conta-se sobre dois homens: o fariseu, diante de Deus, dizendo o bem que ele fazia, enquanto que o outro, o cobrador de impostos (época em que os cobradores eram odiados, por causa disso, aproveitavam para roubar o povo, pois parte daquele dinheiro que eles cobravam nos impostos tiravam uma parte para eles). Esse homem, cobrador de impostos, estava no fundo da sinagoga e lá, diz a Palavra de Deus, ele batia no peito dizia: “Meu Deus, tem piedade de mim porque sou pecador!”

Veja, o primeiro homem só fala bem de si mesmo e o outro pede piedade para Deus. Esse último saiu justificado, perdoado, de bem com Deus, fossem quais fossem os seus pecados e os seus erros. E Jesus observa o outro, a quem nem tinha como perdoá-Lo porque não pediu perdão. Ele só se justificou e elogiava a si mesmo. Ele foi altivo, soberbo, ficou engrandecendo-se diante de Deus, e a oração que ele fez mostra a vida dele.
E isso, meus irmãos, “cutuca” a gente porque, por vezes, agimos assim, mas não podemos ser vaidosos, altivos, soberbos, pelo contrário, devemos saber que somos pecadores, porque temos todas as inclinações do pecado dentro de nós.

São Francisco de Assis dizia: “sou assassino como todos os assassinos, sou ladrão como outros ladrões, peco contra a castidade como os que pecam contra a castidade […]”. Veja, São Francisco disse isso, e se ele admitiu isso, imagine eu e você!

Ao passo que aquele segundo homem da parábola do Evangelho de hoje é todo verdade e humildade, e isso fez com que ele “arrebentasse” as portas do Reino de Deus. Claro que é uma parábola, mas na parábola ele “arrebentou” as portas do Reino de Deus porque foi humilde e teve a coragem de pedir perdão e de mudar de vida. É muito rico esse Evangelho!

Reze comigo: “Senhor, eu não quero ser como aquele primeiro homem cheio de si mesmo, orgulhoso. Pelo contrário, Senhor, eu quero ter a verdade do segundo homem, pedir perdão dos meus pecados e andar sempre nos Seus caminhos, atento para não errar e não pecar, sempre me vigiando. E neste dia dentro da Quaresma, Senhor, eu me proponho a ser vigilante comigo mesmo. Senhor, faz-me vigilante! Obrigado, Senhor!”

A segunda leitura foi muito rica. Ela é retirada do livro de Oseias, capítulo 6. Digo a você que essa passagem acompanha a Canção Nova desde o início de sua fundação. Nós recorremos sempre a esse trecho bíblico. Nós vivíamos e vivemos essa Palavra:

“Vinde, voltemos ao Senhor, ele feriu-nos, ele nos curará; ele causou a ferida, ele a pensará.  Dar-nos-á de novo a vida em dois dias; ao terceiro dia levantar-nos-á, e viveremos em sua presença. Apliquemo-nos a conhecer o Senhor; sua vinda é certa como a da aurora; ele virá a nós como a chuva, como a chuva da primavera que irriga a terra” (Oseias 6, 1-3).

Apliquemo-nos em conhecer o Senhor porque Sua vinda é certa como a aurora! Esse conhecer não deve ser apenas um conhecer intelectual, mas sim um conhecimento experiencial, de deixar-se tocar por Ele. E é isso que a Palavra está dizendo, pois a vinda do Senhor Jesus é certa como a aurora! Porque, claro, a aurora é amanhecer e todos os dias e, graças a Deus, amanhece!

Untitled design(1)

Monsenhor Jonas – Foto: Arquivo cancaonova.com

Diga comigo: Eu creio, Senhor, que Tu virás! É uma questão de esperar, assim como nós esperamos a vinda do sol, a alvorada, nós esperamos a Sua vinda gloriosa. A Sua vinda gloriosa acontecerá e esse é o fato mais lindo da humanidade!

Que beleza! Isso é o ápice da história humana. E não é para ter medo, o Senhor virá em glória. E aqueles que já estiverem mortos, com a vinda d’Ele, ressuscitarão. Eu aguardo o dia da minha ressurreição!

Todos nós temos entes queridos que já morreram, e muitos de nós vivemos entristecidos por causa da lembrança deles. Não se sinta assim, meu irmão e minha irmã, esse seu ente querido vai ressuscitar! E você vai ressuscitar também! Vai ressuscitar com este corpo e cantará as glórias de Deus e será uma criatura nova! É algo para se alegrar! É uma questão de esperar! É como a planta que precisa esperar até arrebentar a semente, e um dia se tornará uma plantinha, e depois uma árvore e dará frutos. Diga comigo: É assim que eu ressuscitarei, como uma semente que um dia vai desabrochar, será assim comigo e com a minha família. Obrigado, Senhor! Eu aguardo a feliz ressurreição!

É uma questão de aplicar-se a conhecer o Senhor, ser íntimo do Senhor, estar “agarrado” com Ele. Ser cada vez mais íntimo d’Ele, e é de intimidade em intimidade que a ressurreição de Jesus vai se fazendo dentro de nós.

Eu desejo muito estar vivo quando Jesus vier, eu não sei se Ele me concederá essa graça, mas desejo ver o Senhor vindo em glória e contemplar todas essas maravilhas. Nós seremos verdadeiramente renovados, quer dizer, feitos novos. Quem estiver vivo nem precisará morrer, será como num abrir e fechar de olhos, renovado, feito uma criatura totalmente nova.

Somente que algo acontece antes dessa maravilha toda que o Senhor nos mostra: Jesus mesmo, em Pessoa, no finalzinho de sua vida, declarou que aqueles que estiverem vivos, na Sua vinda, passarão pela grande tribulação. Se Jesus chamou tribulação é realmente uma tribulação para valer. Ele não exagera nas palavras: “Sereis entregues por vossos pais, por vossos irmãos, vossos parentes e vossos amigos”. Não vai ser mole!

Pessoas muito próximas e queridas, mas que serão verdadeiras traidores. Assim como está acontecendo no Estado Islâmico, haverá gente nos entregando para aqueles que são anticristo.

“Sereis entregues e odiados por todos por causa de mim, entretanto, não se perderá um só cabelo de vossa cabeça”. O Senhor já promete nos guardar! Diga comigo: É pela minha constância que eu alcançarei a salvação, por isso, Senhor, eu preciso ser constante, eu não posso amolecer.

Diz a Palavra que esses dias serão dias de castigo para que se cumpra aquilo que está escrito. Será uma desolação. Haverá também grandes fenômenos no céu com o sol, a lua, a estrelas; e também na Terra, como maremotos, terremotos… Será muita dor, muita tristeza. Será a grande tribulação!

E uma coisa importantíssima: nós estamos no Acampamento “Fortes na Tribulação”, e a tribulação que Jesus fala será tão grande como nunca foi vista desde o começo do mundo. Isso é relatado no Evangelho de São Mateus 24,21, mas em contrapartida, o Senhor, no evangelho de São João, 16,32 nos diz: “No mundo tereis aflições. Coragem! Eu venci o mundo”.

Nós chegaremos à grande tribulação e para chegar lá é preciso treinar. E como eu treino? Pelas tribulações que acontecem o meu dia a dia. Vamos treinando como um esportista que deve treinar muito, assim como um músico que, para tocar bem, precisa treinar. Tudo é uma questão de treino.

Você não pode se deixar abater pela tribulação! Pelo contrário, como explicou o padre Fabrício na sua pregação da manhã, é preciso ser como um surfista que vai por sobre a onda, vá você também por sobre a tribulação. E como as ondas, as tribulações também vêm uma após a outra, ser como um surfista exige muita coragem, porque é preciso vir por sobre a onda.

E a Palavra de Deus vem para nos confortar em Romanos 12, 12 :  “12 Sede alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração”. Sejamos fortes na tribulação e perseverantes na oração. Tudo pode ser mudado pela oração. Tribulações virão? Virão! Se escapamos de uma, logo em seguida virão outras.

Reze comigo: Senhor, a tribulação não pode me vencer. Dá-me a graça de dizer que eu me glorio nas minhas tribulações, assim como São Paulo disse isso na Palavra. Quero ser forte na tribulação!

A Palavra de Deus em Romanos 8,28 diz: “Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus”. E a tribulação também concorre para o nosso bem!
Se Deus é por nós, quem será contra nós?

Diga comigo: Se Deus é por mim, e Ele é por mim, quem será contra mim?
Aguenta firme! Nós estamos num grande treinamento, num treinamento difícil porque não é fácil aguentar uma tribulação, mas neste acampamento o Senhor está nos dizendo: Aguenta firme, meu filho! Aguenta firme, minha filha!

Você precisa vencer na grande tribulação, e para isso precisa treinar agora e ir vencendo e vencendo porque o Senhor virá e Ele não tardará!

Transcrição e adaptação: Tatiane Bastos

ADQUIRA ESTA PREGAÇÃO PELO TELEFONE
(12) 31862600

contribuicaocn

 

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo