“Fortaleza em Deus: caminho de superação” (II Tim 1,7)

Professor Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino. Foto: Arquivo Canção Nova

Deus está dizendo para nós que Ele não nos deu um espírito de timidez. Deus nos deu um espírito de fortaleza, que é um dom do Espírito Santo.

As tribulações são os atritos que existem em nossa alma. A paciência é a virtude dos fortes. Quando você vence a luta interior, você vai se tornando paciente, se tornando forte. A tribulação gera paciência e a paciência gera fidelidade a Deus, não me deixando desanimar.

Todos nós temos o espinho na carne, assim como São Paulo, mas a esperança que é gerada pela fidelidade nos faz dizer, “eu sei em quem coloquei a minha confiança”, a nossa confiança está em Deus. A nossa esperança é a esperança de uma Igreja que sabe que vai vencer, a Igreja é invencível.

Jesus não nos prometeu que não iríamos sofrer, mas prometeu que iríamos vencer. A nossa alegria de ser cristãos, de ser católicos é sabermos que somos vitoriosos. Nós temos a esperança que não engana, como diz São Paulo. Infelizmente, há uma falsa esperança sendo lançada no mundo, mas a esperança em Cristo não nos decepciona.

São Paulo diz que é o Espírito Santo derramado em nosso coração que nos dá essa esperança. Nós temos que entender que o sofrimento, a tribulação existem por consequência do pecado. Em Rm 6,23 lemos: “Porque o salário do pecado é a morte, enquanto o dom de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” A morte vem do pecado, a doença vem do pecado, as lágrimas vem do pecado e não só do meu pecado, mas do pecado de toda a humanidade.

A primeira morte é quando o corpo se separa da alma e a segunda morte é quando a alma se separa de Deus, indo para o inferno. Jesus com sua morte pregou na cruz o documento de dívida que tínhamos com Ele.

O cristão sofre com sentido porque sabe que o sofrimento tem valor. Deus escolheu o sofrimento para salvar o mundo porque achou que era o melhor caminho. “Deus sempre tira o bem do mal” (Santo Agostinho). Deus sempre sabe tirar o mal do mundo e transformá-lo em bem.

“Eles desconhecem os segredos de Deus, não esperam que a santidade seja recompensada, e não acreditam na glorificação das almas puras.Ora, Deus criou o homem para a imortalidade, e o fez à imagem de sua própria natureza.” (Sabedoria 2, 22-23). Se não houvesse o pecado original não passaríamos pela morte.

Jesus deu um sentido ao sofrimento, nenhum cristão pode sofrer sem esperança, sem sentido. É possível divinizar seu sofrimento fazendo com que ela tenha valor divino, unindo o seu sofrimento com o sofrimento de Cristo. Quando o sacerdote levantar o cálice, na Santa Missa, diga “Senhor, aí eu deposito todo o meu sofrimento, toda a minha dor”.

Deus usa o sofrimento para nos salvar. Todos os santos sofriam com o crucifixo na mão. Se Jesus passou por tudo o que passou, eu vou desanimar?

ProfessorFelipeAquino

“Deus permite a cruz para te santificar”, diz professor Felipe.

 

É Deus quem nos corrige e nos santifica pelas tribulações, através das lutas, das provações. Nós vamos ganhar o céu lutando e as tribulações são essa luta, então não temos que reclamar da luta. Deus permite a cruz para te santificar.

Em Hebreus 12, 4 temos: “Ainda não tendes resistido até o sangue na luta contra o pecado”. O Espírito Santo quer que resistamos ao pecado até o sangue. Não há coisa pior para a Igreja do que o pecado, tudo o que Jesus fez foi para tirar o pecado do mundo. Mas, como vou tirar o pecado da minha carne? A tribulação é um jeito Deus tem de tirar esse pecado de nós.

Deus tira as crostas da nossa alma, o orgulho, a vaidade, a ganância, o egoísmo, o ódio, a vingança, as paixões desordenadas através das tribulações. Então, deixe Deus tratar da sua alma!

Deus te corrige porque você é filho, o bom pai corrige o filho e não é por maldade é por amor. A prova de que Deus nos ama é que Ele nos corrige. Ele nos corrige para nos comunicar a sua santidade. Deus quer que sejamos santos porque se não formos santos não entraremos no céu.

A sua alma estará purificada quando ela refletir o rosto de Cristo. A nossa alma é colocada no fogo que são as tribulações. O sofrimento nos purifica, nos santifica e salva o mundo. E como vamos suportar esse fogo, como vou aguentar ficar no fogo da purificação? Você tem que se unir a Deus, precisa ter vida espiritual.

“Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” (João 15,5). É pela oração, joelhos no chão, que vou permanecer com Jesus. Você precisa se confessar, limpar o pecado, porque o Espírito Santo só não aceita encher um vaso sujo. Tenho que receber Jesus na Eucaristia, tenho que meditar a Palavra de Deus. Na hora da tribulação, abra a Bíblia!

Assim como o peixe morre sem água, o pássaro não vive sem o ar, nós não vivemos sem Deus. Muitos cristãos desanimam, se cansam porque querem fazer o trabalho com a própria força. Você não consegue fazer nada sem Deus!

É muito importante se consagrar à Nossa Senhora, Jesus entregou sua mãe a nós. Nós precisamos dela, essa entrega não foi um capricho de Jesus. Quando você se derramar em Nossa Senhora, quando você se consagrar a ela você verá que a sua vida vai mudar.

Transcrição e adaptação: Míriam Santos Bernardes

ADQUIRA ESSA PREGAÇÃO PELO TELEFONE
(12) 31862600

contribuicaocn



Prof. Felipe Aquino


Doutor em engenharia mecânica, pregador e escritor

Facebook
Twitter
Blog

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo