Suportados pela misericórdia

Padre Fabrício Andrade - Foto: arquivo cancaonova.com

Padre Fabrício Andrade – Foto: arquivo cancaonova.com

Irmãos: Deus é rico em misericórdia. Por causa do grande amor com que nos amou, quando estávamos mortos por causa das nossas faltas, ele nos deu a vida com Cristo. É por graça que vós sois salvos!” (Efésios 2, 4-5).

Quando estávamos caídos, como um caco, como ouvimos na homilia da sexta-feira, Deus que nos resgatou. Ontem Deus novamente, pela boca do padre Jonas, nos chamou: “volta!”.

A misericórdia é a mão de Deus que sustenta os miseráveis. O que é misericórdia senão a ação amorosa do Pai que nos suporta. É por graça que fomos salvos, em virtude de nossa união com Deus. Ele quis nos mostrar, através dos séculos, a Sua bondade e a Sua graça.

O Senhor nos chama de volta dos nossos desequilíbrios, desajustes, nos chama e nos prepara para a grande tribulação. O ápice do momento da misericórdia, vivido por Jesus, foi na cruz, quando Ele não mais tinha forças no alto do madeiro da cruz, o Pai O sustentou.

Nós temos a certeza de que Deus está nos suportando, cuidando de nós quando tudo está bem, mas não é assim. Ele cuida de nós em todos os momentos.

Este acampamento foi marcado pelo chamado de voltarmos para o Senhor. E nesta liturgia o Senhor nos mostra que quem tem a iniciativa de nos chamar é d’Ele. A luz nos traz segurança porque vemos tudo à nossa volta, mas se ela der uma piscadinha trememos de medo. Imagine se você está em algum lugar escuro e a luz se acende sozinha? Sentimos medo, ficamos desconfiados, mas por que o medo? Porque não é natural que a luz se acenda sozinha, somos nós quem queremos ter a iniciativa de acendê-la. Contudo a Luz, que é o próprio Deus, veio ao mundo por si só.

No tempo da tribulação é uma escuridão em que não vemos nada, o relógio parece até passar mais devagar. A Luz veio e brilhou, mas preferimos a escuridão.

Muitas vezes, no tempo da tribulação imaginamos que o sofrimento nunca vai passar. Vamos caindo aos poucos, parece que não temos forças. Queremos que acenda uma luzinha no fim do túnel e que Deus venha nos dar o suporte.

Deus o deixou livre, você pode escolher por quem você vai ser suportado. Quem não escolhe a Deus se agarra em qualquer outra coisa.

“Eu, porém, volto meus olhos para o Senhor, ponho minha esperança no Deus de minha salvação; meu Deus me ouvirá. Ó inimiga minha, não te alegres a meu respeito; ainda que eu tenha caído, levantar-me-ei; se morar nas trevas, o Senhor será a minha luz.(Miqueias 7, 7 – 8).

Este tempo de sermos treinados na tribulação é o tempo de treinarmos para a superação. Pode até ser que caiamos, mas nos levantaremos, pois é o Senhor quem nos sustenta.

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo