O sofrimento prova a fidelidade e gera a esperança

Padre Bruno Costa

 

Padre Bruno Costa | Foto: Jorge Ribeiro/cancaonova.com

O maior mal que tem tentado se instalar em nossos lares é a desesperança, a ponto de criarmos dúvidas de quem somos. Fomos feitos para as coisas boas. Não somos joio; somos trigo. O mal, no entanto, tem adentrado em nossa mente, para que fiquemos naquela dúvida: “Qual é o mal? Qual é o bem?”.

A Palavra meditada está em Romanos 5,1-11: “Justificados, pois, pela fé temos a paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Por ele é que tivemos acesso a essa graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança de possuir um dia a glória de Deus. Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência, a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança. E a esperança não engana. Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Com efeito, quando éramos ainda fracos, Cristo a seu tempo morreu pelos ímpios. Com muita dificuldade, a gente aceitaria morrer por um justo, por um homem de bem, quiçá se consentiria em morrer. Mas eis aqui uma prova brilhante de amor de Deus por nós: quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós. Portanto, muito mais agora, que estamos justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Se, quando éramos ainda inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, com muito mais razão, estando já reconciliados, seremos salvos por sua vida. Ainda mais: nós nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por quem desde agora temos recebido a reconciliação!”.

A esperança não nos decepciona

Sabemos de toda a ação do inimigo para tentar nos derrubar, mas, justificados pela fé, estamos em paz com Deus.

A preocupação sempre bate à nossa porta, e precisamos estar em paz com a nossa consciência. Deus conhece o mais profundo do nosso ser, Ele sabe das nossas limitações.

Somos como um vaso de barro, somos frágeis, inconstantes e limitados, porém, quando temos o desejo de acertar, de fazermos as coisas boas, quando temos o desejo de ser luz, mesmo sendo uma chama pequena, fazemos a diferença.

A nossa paz com Deus foi firmada em Jesus. Precisamos sempre nos firmar no Senhor, precisamos nos decidir a mergulhar na Palavra, porque a esperança não decepciona. Eu não sei quais são as suas decepções, mas a esperança não decepciona.

Eu sei que passamos por muitas tribulações e enfermidades. O câncer e a depressão têm tomado tantas pessoas, mas precisamos proclamar que a esperança não nos decepciona.

Deus sabe o que cada um de nós precisa. O amor d’Ele foi derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, por isso a importância de sermos homens e mulheres do Espírito.

Sou apaixonado por Nossa Senhora! E quanto mais eu sou de Maria, mais eu sou de Jesus. Quanto mais eu sou do Espírito, mais a luz me conduz.

Leia mais:
.:Existe sentido para viver o sofrimento?
.:Se Deus existe, por que existe o sofrimento?
.:Tomar a cruz significa ter gosto pelo sofrimento?

O Espírito nos conduz

A coragem da perseverança vem por meio do homem que tem a coragem de dizer: “Senhor, eu não sou nada, mas utiliza do meu nada, para eu ser cheio de Ti”.

Precisamos abrir o nosso coração e clamar o Espírito Santo que já nos foi dado. “A esperança não decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Romanos 5,5).

Todas as tribulações que passamos na vida são oportunidades de milagres. Façamos a nossa parte, tenhamos a certeza de que o sofrimento produz em nós a resistência de que precisamos. Podemos até sofrer, mas não vamos deixar de confiar no Deus que fez, está fazendo e ainda fará muito por nós.

Na hora certa, a graça vai acontecer. A cruz não é derrota, mas vitória. Tenhamos paciência, vamos dar o passo devido, vamos entender que todos os males vão se resolver, pois não somos fracos. Em Cristo, somos vitoriosos. Enquanto houver vontade de lutar, haverá esperança para vencer.

Banner do canal PlayCancaonova no Youtube

Transcrição e adaptação: Karina Silva

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo
Catequeses