O sentimento de Cristo em águas mais profundas

Jesus nos convida a irmos mar adentro

 Padre João Paulo\ Foto: Wesley Almeida

Padre João Paulo\ Foto: Wesley Almeida

“E aconteceu que, apertando-o a multidão, para ouvir a palavra de Deus, estava ele junto ao lago de Genesaré; e viu estar dois barcos junto à praia do lago; e os pescadores, havendo descido deles, estavam lavando as redes. E entrando num dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da terra; e, assentando-se, ensinava do barco a multidão. E, quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao mar alto, e lançai as vossas redes para pescar. E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre a tua palavra, lançarei a rede.

E, fazendo assim, colheram uma grande quantidade de peixes, e rompia-se-lhes a rede. E fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco, para que os fossem ajudar. E foram, e encheram ambos os barcos, de maneira tal que quase iam a pique. E vendo isto Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, ausenta-te de mim, que sou um homem pecador. Pois que o espanto se apoderara dele, e de todos os que com ele estavam, por causa da pesca de peixe que haviam feito” (Lucas 5,1-10). A multidão estava perto de Jesus; não para ser curado, mas para O escutar.

As palavras de Cristo são formação para nós, e precisamos levar nossa vida por meio da Palavra de Deus. O objetivo de qualquer formação, em qualquer comunidade, é para que tenhamos os mesmos sentimentos de Jesus.

No meio da multidão havia duas barcas; Jesus escolheu a barca de Simão. Hoje, a barca de Jesus é a Igreja, e nós precisamos aprender com ela a sermos formados pela Palavra.

Simão estava cansado, pois havia pescado a noite toda, mas Jesus lhe deu uma ordem, a qual hoje se atualiza para nós: “Ide pescar mar adentro”. Mas o significa isso? Significa que precisamos ir além no nosso carisma.

Ouvir e obedecer a Palavra de Deus

Jesus era um homem afetivamente maduro, Ele não se importava com a opinião dos outros, não se importava com o que falavam d’Ele. Cristo era livre, por isso sentou-se para conversar com uma mulher samaritana. Jesus busca fazer a vontade do Pai em uma obediência livre e alegre.

Ter os mesmo sentimentos de Jesus é uma graça, é o dom.Ter os mesmo sentimentos de Jesus é uma graça, é o dom.

“Ter os mesmos sentimentos de Jesus é uma graça, é um dom”, diz pregador.

Jesus deu uma ordem ao jovem rico, mas este O negou. No entanto, quando o Mestre deu uma ordem a Pedro, este Lhe respondeu: “Tentamos a noite toda, Senhor, mas porque me mandas, Mestre, eu vou!”.

Aqui vemos a sacralidade da Palavra de Deus. Pedro obedeceu e viu o milagre acontecer. O maior milagre que vemos, nesse Evangelho, não é a pesca milagrosa, mas a conversão do coração de Pedro.

Quem é Deus e quem sou eu?

Pedro teve uma profunda experiência, que lhe permitiu enxergar em Jesus o Senhor. A nossa formação precisa iluminar quem somos e quem é Deus.

“Pobres pecadores, morrerão sem ter a alegria de conhecer Deus!” (São João Maria Vianey). E você, conhece Deus? Nossa fé e esperança são maiores que os desafios deste mundo. Precisamos buscar o Senhor e Seus ensinamentos.

“Devemos olhar o passado com gratidão, o presente com paixão e o futuro com confiança”, essas são palavras de João Paulo II, contidas na Carta Apostólica Novo Millennio Ineunte.

Como temos olhado para o passado? Com gratidão? Deus nos criou, colocou-nos neste mundo e nos deu um carisma, não por coincidência, mas porque sabia das necessidades deste tempo.

Santa Terezinha diz: “Só temos este momento para amar a Deus”. Só temos este momento para dizer ‘sim’ ao Senhor.

Não nos esqueçamos de que somos filhos muito amados de Deus. Ele não nos deu um carisma para trabalharmos, mas para que sejamos filhos amados d’Ele e, assim, possamos atrair as pessoas para perto de nós.

Deus não nos quer obrigar a amá-Lo. Ele quer que façamos a experiência do encontro com Ele com um coração livre. Não tenhamos medo de avançar. Ter os mesmos sentimentos de Jesus é uma graça, é o dom! Mas para ter essa graça precisamos nos decidir.

Pedro e o jovem rico tiveram a mesma oportunidade. Simão Pedro disse ‘sim’, e olha em quem ele se transformou! Já o jovem rico disse ‘não’, e você não ouve mais nada sobre ele na Bíblia.

Transcrição e adaptação: Elcka Torres

Adquira esta pregação pelo telefone (12) 3186 – 2600 

contribuicaocn1

 


Padre João Paulo


Sacerdote da Comunidade Mar a Dentro

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo