Somos peregrinos neste mundo

Vamos passar e a Igreja vai continuar, pois nossa vida é uma peregrinação

Somosperegrinosnestemundo

Dom Alfredo Schaffler. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Meus queridos irmãos e irmãs, as leituras de hoje falam sobre o fim dos tempos, falam que o céu e a terra vão tremer. Não é para ficarmos com medo, é para nos lembrar que vamos passar, mas a Igreja vai continuar. Por isso, sempre temos que lembrar que nossa vida é uma peregrinação.

Quando chegamos no fim do ano litúrgico, temos que fazer um balanço, temos que questionar o que foi que fizemos e o que deixamos de fazer. O que poderíamos ter feito? Às vezes, cruzamos os braços e não fazemos nada, a omisssão também é um pecado. Estas leituras nos lembram, também o Antigo Testamento, que estamos peregrinando por este mundo e temos uma missão. Não estamos aqui por acaso, foi Deus quem nos escolheu. Todos temos capacidades, inteligência, e não para satisfazermos nosso “eu”, mas para servir, para que a Igreja seja sal na massa, para que o reino de Deus aconteça.

É preciso fazer um balanço e questionar: “O que foi que eu fiz?” No Evangelho, Jesus questionou. A pedagogia de Jesus foi a de perguntar. E Ele mostrou que sabemos discernir a natureza, quando as folhas começam a cair, está vindo a primavera ou o inverno e assim por diante.

O dom dos dons é o discernimento

Estamos escolhendo a partir dos nossos interesses ou a partir dos apelos que Deus no faz? Quais são os sinais dos tempos de hoje? A nossa família é o que temos de mais bonito. Como está a nossa família? Hoje, temos a ideologia do gênero que quer afirmar que quando a criança nasce não é homem ou mulher. Tudo isso é para esvaziar o que temos de mais sagrado que é a nossa família.

O amor precisa ser cultivado. O amor que temos por uma pessoa passa pelo perdão. Precisamos crescer! Nossa relação pode se desgastar, porque não temos sensibilidade e delicadeza com o outro. Um dos sinais dos tempos, hoje, é que tudo está contra a família. Será que Deus não está querendo nos dizer quer devemos ser mais família? Precisamos rezar mais com a nossa família. Precisamos sair em missão para falar às famílias.

Estamos em um tempo de muito consumismo, e às vezes valorizamos mais o lucro do que as pessoas. Um sinal dos tempos é a nossa sociedade utilitarista, olhamos para as pessoas a partir do proveito que podemos tirar delas e quando não servem mais, não produzem mais, nós descartamos. A partir da nossa fé, devemos olhar uns para os outros como irmãos. Estender as nossas mãos em direção ao outro.

Nossas matas estão sendo destruídas por causa do lucro e esquecemos que a terra deve ser uma preparação para as futuras gerações. Outro aspecto é o individualismo. Mas, precisamos ter os mesmos sentimentos de Jesus Cristo.

Tempos sempre que nos deixar ser inspirados pela Palavra de Deus, ela deve ser o norte para acompanhar nosso discernimento. Há muita riqueza na Palavra de Deus! Não devemos desanimar, porque Deus não se esquece de nós! Você quer acertar e Deus sabe disso.

A misericórdia de Deus é muito maior que os nossos pecados, Ele é um Pai que sempre nos acolhe. Façam um balanço sobre o que fizeram!

Temos que viver o momento presente com paixão e o futuro com confiança, pois Deus está no meio de nós!

Transcrição e adaptação: Míriam Bernardes

contribuicaocn1


Dom Alfredo Schaffler


Bispo de Parnaíba – PI

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo