Os problemas no casamento

O casamento é sagrado, porque não foi o homem quem inventou, mas foi Deus.

Professor FelipeP-269x329

Professor Felipe Aquino. Foto: Wesley Almeida

Deus fez a mulher, a fez a partir da costela do homem, por que a costela? Porque a costela protege o coração. O texto Bíblico diz: “Eu vou te dar uma companheira adequada”. Adequada é porque o fará crescer, fará bem, mais santo. Quando Adão viu Eva, ficou apaixonado, pensou:  “Agora sim tenho alguém que é osso dos meus ossos…”. Ele disse que ela se chamaria mulher, homem do hebraicó é: Ish e mulher é Isha, Adão estava diante do seu eu na versão feminina.

“Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher, e serão os dois uma só carne; e assim já não serão dois, mas uma só carne.” (Marcos 10:7-8). Existem casais que estão juntos, mas não estão unidos, Deus não quer o casal apenas juntos, os quer unidos. “Sereis uma só carne”, e o que quer dizer carne? A natureza humana.

Deus quer um casal unido, e só há um jeito deles serem unidos: Em Deus. Porque a carne é fraca, e é assim por causa do pecado original que entrou na origem, no início da humanidade. As nossas paixões deixaram de ficar submissas às nossas vontades. A carne ficou fraca, isto afeta o casamento e dificulta a unidade do casal. Há apenas um modo de o casal permanecer unido, em Jesus. Como o café com leite que nunca mais se pode separar, o casal também precisa ser, e quem faz esta união é Deus.

Deus une os casais por meio dos sacramentos: Batismo, Crisma, Confissão, Eucaristia, Matrimônio. Depois do pecado original os outros pecados entraram na vida do homem de forma avassaladora. Caim mata Abel, acontece o episódio da torre de Babel, por isto, o Cordeiro Imolado teve que entrar no mundo e salvá-lo através do Seu Sangue derramado, que nos confere os sete sacramentos.

Você pode vencer as dificuldades através dos sacramentos, pois não é fácil viver casado. Não é fácil aguentar um homem, uma mulher quarenta anos, mas o cristão na graça, na força de Deus consegue vencer as dificuldades.

O casamento é uma missão que Deus nos dá. Muitos ainda não entenderam que não é uma curtição, mas uma missão a dois. É uma missão árdua que precisa de pessoas maduras. A dignidade do padre é a mesma de um casal, de uma família, não há nada diferente. Assim como é dificil a um casal viver a fidelidade, assim é para o sacerdote.

Deus deu aos casais dois mandamentos: “Crescei e multiplicai”, isto não é conselho, pois conselho seguimos se quisermos, mas é mandamento. O casal que não entendeu isto, não entendeu o que é o matrimônio. É o amor que São Paulo diz em suas cartas que faz o casal crescer. (cf. 1 Cor 13)

Acamp. Famílias na Cancaonova-595x420

Famílias acompanham a pregação do professor Felipe: “Problemas no casamento”. Foto: Wesley Almeida

Deus não disse a Adão que daria a ele uma mulher bonita, rica ou com outras características, Ele disse que daria uma mulher adequada, uma mulher que o colocasse na linha e o fizesse crescer. Se não houver afinidade, ajustamento conjugal, o casal não cumpre a sua missão. Portanto, não fique desesperado se sua mulher não é aquele anjo que você pensava que ela fosse, se seu marido não é aquele santo que você pensava que ele fosse. Ele é uma lixa que vai lapidar o diamante que é você e vai fazê-lo mais bonito.

Amar é doar-se, dizer sim para o outro é dizer não para você. Muitos dizem: “Eu te amo”, porém se ficar desempregado, doente, sofrer um acidente e perder uma perna, ainda existirá amor?

“Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela” (Efésios 5,25). E como Cristo amou a Igreja? Dando sua vida na cruz. Não é um amor sensualizado, romântico, mas um amor que dá a vida. O Senhor na última ceia nos mandou “amar uns aos outros”, não como o amor do mundo, mas como Ele nos amou. A missão no casamento é dar a vida para o outro e pelos filhos.

O segundo mandamento do matrimônio é “multiplicai”. Caiu sobre nós uma heresia: “filho não”. As pessoas pensam que filho dá trabalho, tira o sono, até afirmam: “não sabemos o que será do futuro deles”. O governo faz campanhas e campanhas para que as pessoas não tenham filhos. Não! “O justo vive pela fé” devemos acreditar nos mandamentos de Deus e sermos obedientes a eles. Você não vai ter 10 ou 15 filhos se não tem condições, a Igreja ensina a paternidade responsável.

O casal tem muitos problemas, e todos geralmente começam nas brigas, no egoísmo. O remédio para isto é cultivar o amor. Quando o outro está nervoso, cale, espere a ira passar. Há pessoas que dizem que não tem sangue de barata, não pense assim, seja inteligente e saiba o momento de calar, você estará salvando o seu casamento.  Não se apaga fogo jogando gasolina, é água que apaga o fogo. Que seja a água da sua humildade a apagar o fogo da ira do seu cônjuge. 

O casal precisa ter humildade. O amor não é arrogante. Não posso ser arrogante, prepotente, autossuficiente. Duas cabeças juntas pensam melhor que uma, decidam juntos. Existem muitas coisas bonitas no casamento, mas uma das mais bonitas é um ajudar o outro a ser melhor, a vencer os defeitos. Não reclame porque o seu cônjuge tem defeito, ajude-o a vencer, lute até o sangue, até as lágrimas, até o joelho sangrar no chão se for preciso. Quantos conseguiram salvar os seus esposos deste modo.

Sabe por que Deus deu a você um esposo, esposa imperfeito? Porque Ele acredita que você pode devolvê-lo perfeito a ele. Você vai chegar ao céu e Deus vai agradecer a você porque te deu uma pessoa defeituosa, e você cooperou devolvendo uma pessoa perfeita a Ele.

“As tribulações desta vida, não se comparam as glórias futuras” (Rm 8,16 -17). Quando você dá um para Deus, Ele te dá cem, é o cêntuplo de Deus.

A pior coisa que pode existir no casamento é a mentira, porque quebra a unidade entre os esposos. O Espírito Santo é a verdade, a mentira é do demônio, portanto não seja um servo do demônio mentindo para o seu cônjuge. Cuidado com as mentirinhas, não só com as grandes mentiras. A fidelidade é um leque muito amplo, não é só relação sexual fora do casamento não.

Há uma diferença entre dialogar e discutir, discussão é como uma luta de box, em que apenas um vence. O amor não aceita isso, o amor quer que os dois saiam vencedores. Quando eles dialogam a verdade não é de um, nem de outro, juntos eles vão procurá-la.

Muitas brigas acontecem quando um vai corrigir o outro. Ninguém gosta de ser apontado em seus erros, portanto, cuidado quando for chamar a atenção uns dos outros, faça-o com carinho, com cuidado. E isto não é só para os esposos, serve para os filhos, empregados, as pessoas do seu convívio. Reze antes de chamar a atenção da pessoa, pedindo a Deus que te dê palavras acertadas e que o outro acolha. Perdemos muitas batalhas porque esquecemos esse versículo tão importante: “Sem mim nada podeis fazer” (João 15,5).

Escolha a hora certa, quando o outro estiver preocupado, nervoso não vá entornar mais problemas nele. É preciso encontrar a hora certa para tratar dos problemas. Nunca na frente dos outros, se você está numa roda de amigos não faça isto. Você jurou fidelidade, como pode difamar sua esposa na frente dos outros? Vá para o quarto com portas fechadas, não faça isto nem na frente dos filhos.

Depois que você rezou, escolheu a hora certa, converse do jeito certo. Antes de apontar os defeitos, aponte as qualidades. E por que as qualidade primeiro? Porque você precisa,antes, anestesiar o doente. Anestesie o ego dele, o ego dela. Você é um homem, uma mulher boa, trabalhador, trabalhadora… Mas você está estragando a sua bondade fazendo isto que não está certo. O ego de cada um é extremamente sensível, você não pode chegar batendo, não pode ser assim.

Não podemos usar qualquer palavra no casamento. A palavra é como um palito de fósforo que coloca fogo numa floresta inteira. A palavra levanta ou afunda. É maravilhoso quando o casal elogia um ao outro, ao menos uma vez ao dia, diga uma palavra carinhosa um ao outro. Porque muitos casais caíram no esvaziamento, porque deixaram cair na inanição, não cultivaram. É como uma planta, não resolve uma vez por mês derramar um balde de água na planta, uma vez ao dia é necessário derramar um caneco de água nesta planta.

Elimine as lamúrias, o mau humor, a tristeza, não deixe essas pragas daninha entrarem no seu casamento. “Alegrai-vos no Senhor”, posso estar com o coração sangrando, mas não posso entregar meu coração a tristeza, se você não pode dizer uma palavra bonita, não diga nada. Quebre o mau humor com a brincadeira, com o bom humor. Não podemos deixar o pessimismo vencer dentro de casa.

“Se Deus é por nós quem será contra nós” (Rm 8, 31), nem o desemprego, nem o mau humor, nem a morte.

É muito importante a harmonia sexual no casamento. Há apenas um lugar legítimo para o sexo, o casamento. O sexo foi feito para o casal com duas finalidades: unitiva e procriativa. É a expressão mais forte de amor, é a liturgia conjugal. O casal celebra a liturgia no ato sexual. É por isto que a Igreja não quer que os filhos sejam gerados sem o ato sexual, é a atitude fundante da vida. O casal não vive bem o ato sexual, se eles não se amam. Existem muitas maneiras de se manifestar o amor, mas a mais radical é quando você entrega o seu corpo ao outro, você não está dando coisas, mas está se dando ao outro, por isto o sexo não pode ser fora do casamento. Antes do casamento é uma burla, uma ficção que vai trazer problemas.

Professor Felipe800x330-

“Não se apaga fogo com gasolina”, afirma professor Felipe Aquino. Foto: Wesley Almeida

Existem muitos problemas neste campo. O ato sexual é a celebração do amor, se não tem celebração não tem amor. Se o casal ficar frustrado na vida sexual, talvez queira buscar fora, aí está o perigo. Existe um código de direito do débito conjugal que diz que um não pode se negar ao outro, a não ser que haja algum impedimento. É necessário que homem e mulher entendam que são diferentes na disposição sexual, o homem é mais ativo, a mulher é mais passiva. O que não pode acontecer é que apenas o homem se satisfaça no ato sexual, pois a mulher começa a se desinteressar e não querer mais. Precisamos corrigir o problema da desarmonia sexual entre o casal, procure um padre, um casal casado, um psicólogo para ajudá-los.

Mulher, se for necessário, faça um sacrifício por amor a seu marido, por seu casamento, por sua família.

Quero dizer as pessoas que como eu, estão viúvos, podemos nos casar, se quisermos. É melhor se casar do que se abrasar, como nos diz São Paulo. Nós viúvos precisamos escolher um caminho e ficarmos em paz. Se você quer, escolha uma pessoa para você e se case, mas no Senhor, na Igreja.

São muitos os problemas no casamento, mas com Deus podemos tudo. “Aquilo que é impossível a natureza é possível para Deus”. Para Deus nada é impossível, não desanimem de jeito nenhum.

E por último os filhos, muitas vezes eles se transformam em problemas, porém não deve ser assim. Criamos os filhos para Deus, não para nós. Devemos ensiná-lo nas leis de Deus e na cidadania. Conquiste o seu filho, não o traga para a Igreja pelo pescoço. Você deve conquistá-lo e o faz a partir do tempo que gasta com ele, com o carinho, o amor. Se você o conquista o leva para onde quiser. Você não pode humilhar, dê castigo quando necessário tirando o celular, deixe-o no quarto, mas não humilhe seu filho.

Com Deus tudo é possível!

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair


Prof. Felipe Aquino


Doutor em engenharia mecânica, pregador e escritor

Facebook
Twitter
Blog

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo