Repensando a convivência familiar

Padre Roger

Padre Roger Araújo. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

“Depois que João foi preso, Jesus dirigiu-se para a Galiléia. Pregava o Evangelho de Deus, e dizia:”Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo; fazei penitência e crede no Evangelho.” (Marcos 1, 14-15)

Para que alguma coisa mude de uma realidade para outra é preciso uma postura e a postura evangélica que Jesus nos chama é fazer penitência. Muitas vezes, nós achamos que fazer penitência ou nos convertermos é fazer aqueles gestos e atos como esmola, deixar de comer algo. Essas são obras admiráveis, mas a conversão que somos chamados a viver é a metanóia, que quer dizer mudar a cabeça, mudar a mentalidade, mudar a forma de ver e de encarar as situações. Nós até podemos fazer jejum, é algo admirável, mas se continuarmos com atitudes de grosseria, sem termos educação, o jejum não tem sentido. Os nosso gestos devem acontecer a partir de uma decisão interior.

Deus quer nossa família convertida. A graça de Deus vem em nosso auxílio para nos dar a direção para que os meus, de verdade, se convertam. Mudar a mentalidade é mudar a forma como eu encaro as situações, a forma como eu lido com as coisas da minha casa. Pode ser que na sua casa as coisas não mudem, pode ser que sua família não esteja mudando, mas a sua forma de encarar o mundo, de encarar sua família, isso pode mudar e você vai ver que isso faz toda a diferença. O problema não vai deixar de ser problema, mas vou encaro-ló de outra forma.

Estamos ficando sem vida, depressivos porque vivemos atormentados pelos problemas da nossa casa. Não posso deixar que os problemas comandem minha vida,devo ter postura diferente para lidar com as situações que enfrento. Talvez, até hoje, você não tenha se aberto para essa graça de ver as situações de forma diferente. A sua vida não pode ir perdendo o sentido porque você não sabe lidar com seus problemas.

Não seja intransigente, não seja aquela pessoa dura, seja um homem inteligente, uma pessoa sábia que é capaz de se rever e de se repensar. No convívio familiar precisamos nos reinventar a cada dia se queremos que nossa família seja convertida, precisamos querer ver as coisas de forma diferente.

Convido você a trocar sua visão interior. Quando quero me converter, não posso querer que tudo seja jogado para cima, isso é desespero e precipitação, o que só nos prejudica, nos atrapalha. Quando queremos rever alguma coisa, precisamos primeiramente ver como as coisas estão dentro de nós.

Como é que você aplica seu tempo? Nossa vida é uma correria, nosso tempo é curto diante de tudo aquilo que queremos fazer. Você trabalha para dar o melhor à sua família e infelizmente, muitas vezes, não tem tempo para ela quando precisa de você.

Primeiramente, quero propor que tenha tempo para você. Quem se ama, se cuida e isso significa cuidar do seu interior, cuidar do seu coração. Reveja suas prioridades! Cuide da sua alma!

Segundo passo, é preciso rever os conceitos e atitudes. Temos respostas prontas para tudo. Nós somos aquilo que pensamos, mas muitos dos nossos conceitos sobre a vida estão errados. Precisamos ter a capacidade de entender que nossos conceitos a respeito da vida podem ser diferentes. Assuma a responsabilidade das suas escolhas. Não há sabedoria maior que olhar para si mesmo e admitir, ‘fiz uma escolha errada’. Você deve se deixar iluminar. Não seja tão egoísta e orgulhoso! A maioria das nossas crises é por causa do nosso orgulho. A pessoa orgulhosa coloca sempre a culpa no outro.

Outro ponto importante para nossa mudança, seja criterioso em escolher as pessoas com quem você convive, não coloque todo mundo para dentro da sua casa. Às vezes, sua casa está cheia de gente, mas você não tem tempo para estar com a sua família. Conviva primeiro com a sua casa. Aquilo que nós somos é consequência do que escutamos, então não deixe sua casa ser um convívio de fofoqueiros. Quando se tratava de convivência Jesus era muito criterioso. Desculpa, mas você não pode querer ser amigo de todo mundo e acreditar que todos são seus amigos.

Terceiro passo, repensar as emoções e sentimentos. Nas relações humanas é difícil não se ferir, não se machucar. É difícil não ter marcas em nossa vida a partir da convivência com os outros. Você tem uma escolha, ou deixa sua vida ser conduzida pelas feridas, pelas mágoas que adquiriu pela vida ou dá um controle àquilo que te feriu. Não é algo fácil, mas é uma questão de escolha. Quando jogamos algo na cara do outro estamos guardando veneno dentro de nós.

Meu filho, minha filha, procure alguém pra te escutar, um padre, um psicólogo, um amigo que tenha maturidade. Talvez seja algo pequeno, mas você dá tanta importância ao que aconteceu que se torna grande dentro de você e fica remoendo, não coloca pra fora. Precisamos ter sempre alguém que nos escute. Tem muita gente sofrendo, depressiva porque não desabafa aquilo que dói. Também não cometa a loucura de falar da sua vida pra todo mundo, sua intimidade é algo muito sagrado. Tem homem e mulher que é capaz até de falar da sua vida íntima, mas é preciso discernimento, ter a graça do Espírito pra saber com quem partilho a minha vida.

Peregrinos

Peregrinos acompanham a pregação durante o acampamento para as famílias – Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Reze pedindo a Deus para que, entre os seus amigos, você encontre uma pessoa madura que seja “ouvidos” para você. Talvez a pessoa não terá a solução para seus problemas, mas só o fato de colocar para fora o que você vive faz uma enorme diferença. Eu não posso ser uma pessoa que desconfia de todo mundo, mas também não posso ser aquela pessoa que confia em todo mundo. É preciso pedir ao Senhor a graça da paciência para saber lidar com quem convivo. Peça, ‘Senhor, dá-me o dom da paciência!’

Quarto passo, preciso repensar os meus relacionamentos. É preciso prudência para saber quem realmente são nossos amigos. Peça a Deus a graça de ter relacionamentos de qualidade. Para eu considerar uma pessoa como amiga é preciso três coisas: tempo, só o tempo vai dizer se essa pessoa realmente é minha amiga. O tempo é sempre amigo da paciência, amizade de verdade não vive cobrando o outro, não vou me modelar só para agradá-lo. Lealdade, na sua ausência o amigo será a primeira pessoa a te defender.

Homem, você deve ser o principal amigo da sua esposa. Esposa, seu principal amigo é seu esposo. Homem, aprenda a escutar! O que a mulher mais precisa de você é que seja amigo. Existem muitos casais que priorizam amizades fora de casa, que até são amizades maravilhosas, mas você não pode ter amizade mais importante que a do seu marido. Você não pode ter uma amizade que seu companheiro ou sua companheira não tenha conhecimento. Neste mundo virtual, cuidado! Você nunca pode colocar quem quer que seja acima do seu casamento.

Convido você a repensar sua vida, seus sentimentos e repensar seus relacionamentos para dar um novo sentido à sua casa.

Transcrição e adaptação: Miriam Santos Bernardes


Padre Roger Araújo


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo