Os pecados nos afastam da presença de Deus

Padre José Augusto

Padre José Augusto | Foto: Bruno Marques/cancaonova.com

Se não tivesse Missa, o catolicismo não existiria. Santo Afonso Maria de Ligório diz que: “Jesus veio do Céu para celebrar a Missa”.

A Missa é a renovação do sacrifício de Jesus no calvário. Por isso, Jesus veio do Céu para celebrar a Missa. Se nós perdêssemos a Missa, iríamos nos tornar protestantes, iríamos adorar Jesus, mas não iríamos fazer a verdadeira adoração a Ele.

Infelizmente, por volta do ano de 1500, um sacerdote, em crise e com problemas interiores, começou um devaneio de ideias, dizendo que Deus tinha colocado essas ideias. Ele tirou duas coisas importantes da vida do cristão: o sacerdócio e a Missa.  

Eu costumo dizer que Jesus é católico porque Ele fundou a Igreja Católica, essa verdade ninguém pode tirar.

O nascimento da Igreja

A Igreja nasce da cruz do nosso Senhor. No Evangelho de São João, capítulo 19, diz que quando Jesus estava no calvário e morreu, o soldado foi constatar se Jesus estava morto e pegou uma lança e introduziu do lado, diz que ali saiu sangue e água. O Catecismo da Igreja Católica vai dizer que do lado adormecido de Cristo, ou seja, onde a lança entrou a Igreja nasceu. Água: Batismo; sangue: Eucaristia.

A Igreja nasce do Batismo e da Eucaristia, da morte de Jesus na cruz que nos dá esses dois sacramentos que são essenciais para a nossa vida. Quem se salva sem o Batismo?

O batizar-se fora da Igreja significa renunciar ao verdadeiro Batismo, isso se chama apostasia.

Quero me deter na Primeira Leitura da Liturgia de hoje, onde João está dizendo: “Caríssimos, esta é a confiança que temos no Filho de Deus: se lhe pedimos alguma coisa de acordo com a sua vontade, ele nos ouve. E se sabemos que ele nos ouve em tudo o que lhe pedimos, sabemos que possuímos o que havíamos pedido”.

Muitas pessoas estão emburradas porque estão pedindo coisas a Deus e não estão sendo atendidas. Quando pedimos coisas a Deus tem de estarem de acordo com a vontade d’Ele, e o nosso pedido tem de estar de acordo com a nossa salvação.

Padre José Augusto em missa durante o Acampamento Revolução Jesus. Foto: Bruno Marques/cancaonova.com

João continua dizendo: “Se alguém vê seu irmão cometer um pecado que não conduz à morte, que ele reze e Deus lhe dará a vida; isto, se, de fato, o pecado cometido não conduz à morte. Existe um pecado que conduz à morte, mas não é a respeito desse que eu digo que se deve rezar”.

Não dá para entender o que João está dizendo, devemos rezar por aquele pecado que não nos conduz à morte? Vamos entender o que é a morte. Se todos nós vamos morrer, como o pecado não nos conduz à morte? João está se referindo à morte eterna, a morte eterna é o inferno. O sofrimento eterno é comparado à morte que é a privação eterna de Deus.

Deus nos dá a chance de vivermos eternamente com Ele no Céu, mas vacilamos e acabamos caindo no pecado que nos leva à morte.

Os pecados

Qual é o pecado que leva à morte? A Igreja vai dizer que existe o pecado mortal e o pecado venial. O pecado mortal está relacionado aos Dez Mandamentos. Tenhamos cuidado para não cairmos nos pecados mortais!

Jovens se reúnem e contam seus pecados mortais como vantagens; homens adúlteros contam aos amigos as suas vantagens do pecado mortal, mas não têm a coragem de pedirem perdão ao sacerdote por seus pecados.

Quero abrir um parêntese para dizer que muitas pessoas dizem que eu só falo sobre inferno, mas eu gosto de lembrá-los que existe Céu. Como vamos para o Céu sem saber aquilo que pode nos levar para o inferno?

É interessante que, São Paulo, na Carta aos Gálatas, traz uma relação de pecados que conduz à morte. São Paulo diz que todos aqueles que cometem os pecados não alcançarão a vida eterna.

Os pecados veniais são os pecados do dia a dia. São os pecados que nos enfraquecem. Se morremos com o pecado venial, vamos para o purgatório. Os pecados mortais nos levam para o inferno, os pecados veniais nos levam para o purgatório.

Uma vez, estava vendo um documentário em que mostrava os rios mais lindos da face da Terra, eram águas claras que davam para ver até os peixes. Assim é alma em estado de graça: limpa, sem nenhuma sujeira.

Você já foi em um chiqueiro? Quando chega já tem impacto, é uma sujeira total e os porcos se lambuzam. Assim é a alma em estado de pecado mortal.

Leia mais:
.:Jesus veio para amar você
.:Amar a Cristo, mas sem a Igreja?
.:O segredo para uma boa confissão

Os pecados nos afastam de Deus

Os pecados mortais nos afastam da graça de Deus. Se caímos em pecado mortal, perdemos Deus para sempre.

No dia do nosso nascimento, Deus nos deu uma ampulheta e a areia começou a cair, ali começou a nossa luta para sermos santos. Se você estiver nos pecados que levam à morte, elimine-os de sua vida, pois, a coisa é muito séria, e com Deus não se brinca, com diz São Paulo aos Gálatas.

Transcrição e adaptação: Karina Silva.

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo