É necessário ter a virtude da esperança

A virtude da esperança vem quando assumimos que não temos mais forças 

Pe. Paulo Ricardo. Foto: Paula Dizaró/cancaonova.com

O Evangelho de hoje, dentro desse tempo litúrgico que é o Natal, mostra-nos Jesus como o Salvador. Jesus acaba de ser apontado por João Batista e os discípulos começam a saber mais sobre Ele.

Vemos a revelação maravilhosa sobre Jesus a Natanael. Cristo se encontra com Natanael e diz que o viu debaixo de uma figueira. O Evangelho nos relata isso, entretanto, não esclarece o que Natanael estava fazendo debaixo da figueira.

A figueira nos faz lembrar de Adão, que quando pecou se cobriu com as folhas de uma figueira. Jesus nos viu escondidos, com vergonha dos nossos pecados, com vergonha da nossa nudez.

Gostaríamos de ir para o Céu, mas ainda estamos longe de alcança-lo, pois não damos conta de amar, não conseguimos obedecer os mandamentos de Deus.

Recordando a cena do encontro de Jesus com Natanael, é como se Ele dissesse: “Natanael, a escada chegou! O nosso acesso para o Céu chegou”. Natanael, milagrosamente, crê e naquele ato de fé podemos nos ver, pois somos chamados a ir para o Céu mesmo com nossas misérias.

Nesse Evangelho vemos dois lados: a nossa miséria, com tudo de ruim que temos e o Céu, com todas as suas maravilhas.

Se você acha que tudo vai dar certo para você, “tire o cavalo da chuva”, pois essa vida não lhe trará felicidade. Acontece que sentimos dentro de nós uma necessidade de felicidade que nada e nem ninguém são capazes de corresponder.

Queremos ser felizes, mas todos os dias quando acordamos e traçamos o sinal da cruz em nós perguntamos para Jesus: Qual é a cruz que vou carregar hoje?

Temos problemas todos os dias, contudo, não damos conta da vida, da nossa felicidade sozinhos; não damos conta de seguir Jesus sem que Ele venha ao nosso auxílio.

:: Confira as fotos do “Acampamento #RVJ 2018”

A virtude da esperança começa com a fé. Jesus disse que virá em nosso socorro, precisamos crer na promessa d’Ele, porque Ele não engana ninguém. Ele não faria surgir em nosso coração a virtude da esperança se não fosse cumprir a Sua promessa.

A virtude da esperança é um ato de confiança que diz: “Eu quero o que Ele quer”. Por mais que o mundo nos ofereça outros cardápios, outras alternativas, Ele não faria outro sentimento surgir em nosso coração porque prometeu vir em nosso auxílio.

O sentimento da esperança vem quando temos força; a virtude da esperança vem quando assumimos que não temos mais forças e precisamos do auxílio de Jesus.

Essa é uma profunda decisão que precisamos ter, precisamos decidir pela vida de oração. Se temos a experiência de que não damos conta de trilhar o caminho da salvação, necessitamos assumir que precisamos da vida de oração.

Não construa a sua casa na base dos sentimentos, na base da automotivação, porque não vai funcionar. Sentimento é volátil, eles sobem e descem. É necessário ter a virtude da esperança!

Precisamos entender que não damos conta da mínima virtude. Se você tem alguma virtude, pare de atribuí-la para si, desespere-se com uma profunda esperança em Jesus, erga os seus pés e Jesus te ajudará a subir a escada.

Cristo precisa viver em nós e precisamos nos desesperar para que isso aconteça. Desespere-se, comece a confiar. Reze, peça essa graça.

Assista um trecho da pregação:


Leia também:
.:Onde estão minhas referências?
.: Jovem, tenha a coragem de seguir!

Transcrição e adaptação: Karina Silva.

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo