A Eucaristia deve nos levar a caridade!

Padre Márcio Prado

Padre Marcio Prado – Foto: Paula Dizaró/ cancaonova.com

Como eu dizia alguns dias atrás, é um misto de tristeza e alegria. O Santuário não está vazio, você está aqui conosco, pois onde está um sacerdote celebrando está toda a Igreja. O nosso sacerdócio tem valor para uma multidão, mas também para uma pessoa apenas; o nosso sacerdócio é pessoal, o sacrifício que celebramos, pessoalmente, é para toda a Igreja.

Por causa de Cristo, somos irmãos! Estamos celebrando o Tríduo Pascal, o coração da nossa fé. Para ressuscitar, é preciso morrer. Apresente seu coração para morrer nesta Eucaristia – que morra o pecado, o homem velho, e que renasça o homem e a mulher nova.

Celebramos, nesta Santa Missa, a Instituição da Eucaristia. No livro do Êxodo, vemos a representação deste dia. Você está em sua casa, meu irmão, e a leitura se encaixa com a realidade que você vive… Na sua casa, celebre a Páscoa do Senhor!

 

Por que o Senhor pediu que o povo de Israel comesse ervas amargas?

O Senhor os queria fazer relembrar a amargura e a opressão que viviam no Egito, pois era uma forma de recordar de onde Ele os havia tirado. Na nossa caminhada cristã, muitas vezes, já experimentamos essa erva amarga… Hoje, estamos experimentado dessas ervas amargas, e você também a está provando.

Talvez, este ano fique marcado para o resto de nossa vida! A erva amarga ainda persiste em nossa vida, seja por uma dificuldade em casa, a falta de ânimo ou a depressão, mas o Senhor prometeu que iria passar, e a casa que estivesse marcada não seria exterminada pelo anjo. Os que obedecessem ao Senhor não passariam pela morte.


:: 
A presença real de Cristo na Eucaristia
:: A Eucaristia
:
: O sacramento da Eucaristia é o ápice de toda a vida cristã
:: O exercício da caridade

Não foi há dois mil anos que a Páscoa aconteceu. Hoje, o Senhor se entrega a nós; hoje, comemoramos a Instituição da Eucaristia, o Pão do Céu que nos visita e alimenta. A comunhão espiritual tem o seu valor, e tão logo você fará a sua comunhão sacramental. Amém?

A Eucaristia é o amor de Deus por nós até o fim, e, diante desse amor, vamos nos alegrar, apesar da tristeza. Ele, até o fim, amou-nos e continua a nos amar. Jesus instituiu a Eucaristia e também lavou os pés dos discípulos, foi para o concreto, e quer nos mostrar também que devemos fazer isso, lavar os pés uns dos outros. A Eucaristia precisa nos levar para a caridade.

“Não se trata apenas de comungar, mas de se tornar eucarístico” Foto: Paula Dizaró/cancaonova.com

 

Neste Tríduo Pascal, peçamos ao Senhor a graça de nos tornarmos Eucaristia.

Como lavar os pés dos meus irmãos?

Dando de comer a quem tem fome, de beber a quem tem sede, vestindo os que estão nus, deixando de falar mal do outro, de pensar mal… Nós podemos lavar os pés uns dos outros mesmo estando longe. Peçamos ao Senhor essa graça!

Reze pelas vocações sacerdotais. Reze pelos seminaristas. Valorize os sacerdotes, inclusive o seu pároco, que talvez nem saiba falar direito, mas que leva Jesus até você.

Peço perdão pelas vezes que não os atendemos bem, pelas homilias que não foram tão boas, e digo também que estamos com saudade de vocês, de estar com o povo. Estamos unidos em oração, e nós rezamos por vocês.

Neste tempo, também descobrimos o valor do sacerdócio no silêncio, a exemplo de Jesus.

Aos sacerdotes que estão em casa, não desanimem! Seminaristas, não desanimem. Vale a pena! Não se preocupem com a mídia, somos padres para Deus!

“A Eucaristia é a fonte e o centro de toda vida cristã.” (Lumen Gentium 11)

Não se trata apenas de comungar, mas de se tornar eucarístico, sendo aquele que serve, que está à disposição do outro. A Eucaristia deve nos levar a sermos alimento para o outro, a sermos força, a sermos homens e mulheres de bem!

Transcrição e adaptação: Bruna Marta

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo
Estudo da Palavra