Filho e filha, dom do pai e da mãe

O dom maior que Deus confiou a cada um de nós chama-se ‘vida’

Eugênio Jorge:

Bom dia, meus irmãos!

Deus abençoe você que veio de longe e de perto. Deus o guarde e restaure as suas forças. Também àqueles que estão assistindo de longe a esse acampamento, peço que se programem para que, um dia, estejamos juntos aqui. A Canção Nova é um lugar para renovarmos nossas esperanças, lugar de oração e encontro com Deus.

Eu sei que você participa desse acampamento, em primeiro lugar, para ter um encontro pessoal com Deus. E Ele é o mais interessado nesse encontro, pois quer alcançá-lo. Lembre-se de que o Senhor é o Bom Pastor e não descansa enquanto não alcançar a última ovelha.

O tema desse encontro é: “Filho, filha: dom do pai e da mãe”. Tome, por favor, a sua Bíblia no Evangelho de João 3,16: “Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Por falar em dom, o mesmo que presente, olhamos para essa passagem do Evangelho e compreendemos, ainda melhor, o presente maior que o Pai reservou para cada um de nós.

Meus irmãos, o dom maior que Deus confiou a cada um de nós chama-se ‘vida’. A nossa vida é um presente tão superior e excelente que não há dinheiro neste mundo que a pague. Por isso, só poderia ser um dom, isto é, algo dado gratuitamente, porque não se pode pagar.

O Senhor, na sua infinita misericórdia, confiou a nós esta vida. A mim, Ele a confiou há 52 anos. Junto dela veio a pergunta: O que você vai fazer com esta vida que eu estou lhe dando agora? A partir daí, começou uma longa caminhada.

E você? Qual o dia que você nasceu? Bendito seja esse dia! Você é um presente de Deus para este mundo.

Quando nascemos, irmãos, Deus nos chamou para uma missão, Ele nos chamou para sermos homens segundo o coração d’Ele, cheios do Espírito Santo; e a partir desse Espírito, realizarmos uma boa obra, sermos pessoas agradáveis e felizes. Temos de passar por esta vida de maneira que, quando sairmos dela, as pessoas se lembrem de nós com gratidão e saudade.

O Pai nos chamou para fazermos as coisas desta vida com excelência, beleza e singeleza de alma. Em nossa caminhada de fé, precisamos multiplicar as ações de bondade e viver assim: “Vou ser bom agora e vou ser bom depois também!”. Temos de insistir em sermos pessoas boas, dignas e amáveis, porque assim Deus vai construir em nós o “homem novo” para este mundo.

Hoje, o Senhor não tem mais necessidade de um ventre materno para gerar Seu Filho, porque Ele já O gerou no ventre de Maria. No entanto, Ele chama cada um de nós para ficarmos todos “grávidos” de Cristo, “grávidos” do Espírito Santo em nosso coração, a fim de que possamos dar à luz esse mesmo Jesus em nossa vida, nas nossas atitudes e nas coisas mais simples.

Bem sabemos que, por vezes, movidos por sentimentos terríveis, fazemos coisas ruins também. Conheço um homem que “descadeirou” uma vaca, porque ela pulou na hora que ele foi tirar o leite dela.

Tudo exige de nós cuidado e zelo. E as pessoas que trabalham no campo sabem disso. Nada merece mais o nosso zelo do que as pessoas que convivem e trabalham conosco, que moram e dormem junto de nós, que choram e sorriem com nossa tristeza ou felicidade. Se é justo e necessário cuidarmos da vaca, do cavalo e da terra, é ainda mais justo e necessário que cuidemos das pessoas, para que também elas não se tornem ácidas, amargas e infelizes quando estiverem ao nosso lado.

Um dia, Deus acordou e saiu procurando, no Seu jardim, a flor mais bonita, porque achava que o mundo estava cinzento. No meio desse jardim, Ele encontrou você! O Senhor o levou para seu pai e sua mãe e lhes disse: “Vá e embeleze o mundo!”; então, você nasceu. Por isso está aqui, meu irmão, para embelezar o mundo como um presente de Deus. Seja louvado o nome do Senhor por isso!

Ele nos amou tanto, que nos trouxe ao mundo, trouxe-nos aqui e nos quer felizes. Deus nos amou tanto, que nos chama, neste dia, para uma experiência de fé, esperança e muito mais amor.

Irmãos, os ruídos e os barulhos, as urgências deste mundo não podem roubar o que é essencial, e o essencial é ser de Deus, é viver para Ele! Amém! Assim seja.

Filhoe_filhadomdopaiedamae

Peregrinos acompanham pregação de Eugênio Jorge e diácono Nelsinho. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Nelsinho Corrêa:

O tema deste acampamento é: “Filho, filha: dom do pai e da mãe”. Para que a vida aconteça, é preciso que haja um macho e uma fêmea. Se você pegasse duas galinhas e as deixasse numa ilha, quando voltasse, depois de cinco anos, quantas galinhas haveria lá? Se elas não morressem, haveria somente duas galinhas.

Quem já teve vontade de morrer ou de sumir? Eu quero lhe dizer, hoje, que vida é um dom de Deus! Por isso, peço a Ele que tire do seu coração toda ideia de suicídio por causa da depressão. Que Deus coloque em você o amor pela vida!

Você, que é filho, precisa agradecer seus pais, porque sua vida é um dom. Deus usou deles para você vir ao mundo.

Pai e mãe, seu filho é um dom de Deus, e, um dia, o Senhor vai pedir conta do filho que Ele lhe deu.

Quem é pai e beija seu filho? Se você não o beija, beije-o. Pode estar barbudo, casado… Isso é bênção! Isso é amor!

Quem é mãe aqui e beija o filho? Continue fazendo isso!

Hoje, há muita família desunida, e isso é uma vergonha, é um pecado! Vamos abençoar nossas famílias, porque elas são bênçãos para nossa vida.

Transcrição e adaptação: Tatiane Bastos

contribuicaocn1


Eugênio Jorge


Músico e pregador da Missão Mensagem Brasil

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo