A Igreja vive da Eucaristia

\”A Igreja vive da Eucaristia\”. Essa afirmação do Papa João Paulo II, na encíclica que publicou na Quinta-feira Santa do ano da graça de 2003, renovou no coração de todos nós, da Arquidiocese de Florianópolis, uma certeza: foi acertada a decisão de aceitarmos preparar o 15º Congresso Eucarístico Nacional, a realizar-se em 2006. Portanto, se a encíclica Ecclesia de Eucharistia é importante para toda a Igreja, mais o é para nós. Com renovada disposição, queremos gritar ao Brasil: Ele está no meio de nós! Portanto, Vinde e vede!

Há diversas formas da presença de Cristo no mundo e na Igreja. Merece destaque, contudo, sua presença sob as espécies do pão e do vinho, no sacramento da Eucaristia. Já o apóstolo Paulo havia recordado as circunstâncias dramáticas em que nasceu esse sacramento: \”O Senhor Jesus\” o instituiu \”na noite em que foi entregue\”. Não se trata apenas de um dom, embora precioso, mas daquele que é \”o dom\” por excelência. Que mais poderia Ele ter feito por nós? (cf. EE, 11).

A Eucaristia edifica a Igreja. Participando do sacrifício de Cristo, não só O recebemos, mas também Ele recebe cada um de nós. \”O que é o pão? É o corpo de Cristo. E em que se transformam aqueles que O recebem? No corpo de Cristo\” (S. João Crisóstomo, = 407). Num mundo marcado pela desintegração, contrapõe-se a força da comunhão que nasce da participação na mesa do Senhor.

Os evangelistas, especialmente os três primeiros (Mateus, Marcos e Lucas), referem-se à simplicidade e ao mesmo tempo à dignidade com que Jesus, na noite da última Ceia, instituiu esse grande sacramento. Pediu aos apóstolos uma cuidadosa preparação da sala necessária para comer a ceia pascal.

Hoje, somos nós, dessa Arquidiocese que tem uma história quase centenária, que somos convidados a fazer uma preparação adequada para o grande banquete, para o qual todo o Brasil já está sendo convidado.

Demonstraremos entender a Eucaristia, esse pão repartido em nossos altares, quando dela participarmos com a humildade, a fé e a consciência do centurião do Evangelho, que disse: \”Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma só palavra e serei salvo\”.

Demonstraremos entender a importância de um Congresso Eucarístico Nacional quando nos dispusermos a colocar todas as nossas forças e todo o nosso amor em sua preparação. Estejamos convictos: antes de quaisquer outros, a nós mesmos é feito o convite: Vinde e vede! Como não aceitá-lo se Ele, Jesus Cristo, o Filho de Deus vivo, o Redentor do gênero humano, a testemunha fiel, está no meio de nós?

Dom Murilo Krieger
Arcebispo de Florianópolis/SC

Veja também:
.: Encíclica: João Paulo II fala da Eucaristia
.: Oração do 15° Congresso Eucarístico Nacional

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo