Deus não usa relógio de pulso

Conheço um sem número de “Martas”: "Se o Senhor tivesse chegado antes (…)" (João 11,21). Gente que demonstra, sem constrangimento algum, o seu aborrecimento com Deus, como fez Marta de Betânia, há dois mil anos… Ela estava toda desconsolada, porque Lázaro, por quem Jesus também nutria grande estima, havia morrido. E Jesus, no entender dela, não havia chegado a tempo de curá-lo.

De fato: há quem imagine um Deus sempre atrasado, a exemplo de nós, que deixamos tudo para a última hora. Ou um Deus parecido com os moradores de uma metrópole: esbaforidos, em franca luta contra o relógio… Quem sabe, um “Deus-desculpador”: como alguns que sempre chegam atrasados em tudo; para eles o trânsito sempre é mais caótico, o sol mais escaldante, o dia mais curto… Ou, ainda, um Deus que necessite de autoafirmação, em meio às multidões e galáxias. Sim, a psicologia explica que quem chega atrasado, muitas vezes, quer ser é notado!

:: O que é cura e libertação?

Há quem pense que Deus tem demorando a ouvir as suas preces… Há quem esteja até zangado com o Senhor, porque, há tempos, pede-Lhe uma graça e imagina que ainda não a recebeu. Conheço gente que ficou "de mal" com Deus e enche o peito para contar, para todo o mundo ouvir, o que julga ser uma façanha, uma grande vantagem: “Estou decepcionado com Deus!”; “Não vou mais à igreja; cansei!”; “Mudei: não sou mais católico”; “Chega de rezar!”; “Para que esperar em Deus? Quem tudo conquista somos nós mesmos!” Que tristeza ouvir tudo isso!


Assista: "Receita de milagre", com padre Márlon Múcio



Grave em seu coração: devemos rezar, não até Deus ouvir a nossa voz, mas até nós ouvimos a Sua Voz! Você já deve ter ouvido que “Deus tarda, mas não falha”. Entretanto, eu digo que não é assim. O correto é: “Deus não tarda nem falha. Ele sempre age na hora certa!”. É que Deus não usa relógio de pulso, e, no céu, não há relógio de parede… O tempo de Deus Pai é diferente do nosso e a Sua maneira de agir também o é. Que bom, hein? Graças a Deus, não é mesmo?

Veja: se Deus Altíssimo atender a alguns dos Seus filhos, no mesmo tempo em que pedem, com a mesma rapidez com que foram atendidos, eles sumirão da igreja. Já não buscarão mais a Sua graça e apartar-se-ão da presença d’Ele! Há pessoas que se achegam à Santa Missa, ao grupo de oração, à comunidade de fé, em busca de uma bênção especial, específica. Com o tempo, em alguns casos, temos até a impressão de que aquela graça que elas pediram não aconteceu. Mas elas voltaram para a Igreja, para a vida sacramental, para a sua família, abandonaram a vida de pecado, tornaram-se melhores, mais equilibradas e mais comprometidas com a dor alheia.

Padre Márlon Múcio durante pregação
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com


Pergunto-lhe, então: essas pessoas receberam ou não a cura? Foram atendidas, ou não, nas suas súplicas? Claro que sim! Elas viam apenas uma ou outra necessidade. Mas Deus as via necessitadas! Quantas famílias se unem quando um familiar está enfermo… Familiares fazem as pazes quando têm que lutar contra um mal comum: pode ser uma doença, o desemprego ou a perda de um ente querido.

Acreditem, meu irmão e minha irmã: mais do que atender os pedidos do seu coração, Deus quer ganhar o seu coração, em vez de lhe dar algo você pede a Ele! Deus quer as intenções dos corações, mas, também, os corações bem intencionados. Deus quer ser o Senhor da sua vida! Amém?

Jesus quer ser o Senhor de cada dia da sua vida e de todo o seu dia, da sua agenda, do seu relógio. “O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor!” (Dt 6,4). Cheguei a uma conclusão: aquele que diz que Deus está demorando, essa pessoa está, na verdade, demorando a entrar no tempo de Deus.

Padre Márlon Múcio, mss
Fundador da Comunidade Missão Sede Santos 

 

Veja mais:
:: Processo de cura interior
:: Luzia Santiago reza por sua cura e libertação

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo