Encontro da Obra de Maria, manifestação de alegria e união

Mais de 8 mil nordestinos estiveram reunidos na sede da Comunidade Canção Nova em Cachoeira Paulista (SP) neste final de semana para celebrar os 21 anos da Comunidade Obra de Maria.

O evento teve início na sexta-feira, dia 27, com a Santa Missa, presidida por Dom Mário Sivieri (veja o sermão).

:: Veja fotos no Flickr

No sábado, dia 28, o dia começou com a oração do terço e do oficio, que foram seguidos da pregação da cofundadora da Comunidade Obra de Maria, Maria Salomé, que falou sobre a vida de Nossa Senhora. A segunda pregação da manhã ficou por conta do Frei Josué Pereira, que enfatizou a importância de sermos testemunhas autênticas do Cristo. “Precisamos ver os momentos dolorosos como oportunidades de crescimento”, destacou o religioso.

Encontro da Obra de Maria
Foto: Mria Andrea;Fotos CN

Com o tema “Aos pés da cruz alcançaremos a vitória” o missionário Ivanildo Silva fez a terceira pregação do dia. Em seguida foi celebrada a Santa Missa, presidida pelo sacerdote da Obra de Maria Padre José Cláudio (Confira a homilia).

A dupla Ambrósio e Grampulino, missionários conhecidos como DDD, aqueceu a noite fria de sábado com ritmos contagiantes como o frevo e o forró. (Ouça trecho do Show).

A pernambucana Laura Diniz, de 45 anos, testemunhou que sempre sonhou em vir conhecer à Canção Nova, e que a Comunidade Obra de Maria a ajudou realizar essa graça. “O aniversário é da Obra de Maria, mas o presente foi meu. É muito bom vir dançar e se alegrar neste pedaço do céu. Vale a pena sair do meu Nordeste para vir aqui na Cancão Nova. Até o frio passou; a alegria aquece qualquer coração!”, ressalta a peregrina.

O último dia de encontro contou com a palestra do fundador da comunidade aniversariante, Gilberto Barbosa, que refletiu sobre a passagem bíblica do jovem rico. O ponto alto do dia ocorreu com Santa Missa de encerramento, presidida pelo fundador da Comunidade Canção Nova, monsenhor Jonas Abib.

A festa de 21 anos da Comunidade Obra de Maria contou com a presença de um grupo de africanos, do fundador da fazenda da Esperança, Frei Hans Stapel, do sacerdote boliviano padre Baulho e do diácono Sobhy Makhol da Igreja Católica Romana de Rito Maronita na Terra Santa, árabe de Jerusalém.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo