Entrega dos prêmios de comunicação da CNBB

Na noite de quinta-feira, no Auditório Rainha dos Apóstolos, durante a 44ª Assembléia Geral da CNBB, em Itaici, aconteceu uma sessão solene para a entrega dos prêmios de comunicação da CNBB: \”Margarida de Prata\”, \”Microfone de Prata\”, \”Clara de Assis\” e \”Dom Hélder Câmara\”.


Lurdinha Nunes e Padre Jonas Abib na entrega do prêmio
function open_gl(param){window.open(\’http://200.168.231.201/portal/canais/galerias/index.php?id=\’+param,\’\’,\’width=537, height=478, toolbar=no, status=no, menubar=no, scrollbars=no, resizable=no\’);}[+ fotos deste momento]
Recebeu o prêmio \”Clara de Assis\”, na categoria \”documentário\”, a produção \”Concílio Vaticano II\” da TV Canção Nova. A responsável pela matéria, Lurdinha Nunes, missionária e repórter integrante da equipe do programa \”Repórter Canção Nova\” recebeu o prêmio ao lado do Padre Jonas Abib, fundador da Comunidade Canção Nova. [foto acima]

\”Para nós, como família Canção Nova, é uma alegria muito grande receber o prêmio \’Clara de Assis\’. Primeiro porque foi um documentário sobre o Concílio Vaticano II, e é resultado de um trabalho que fizemos em Roma, em resgatar as imagens do Concílio Vaticano II. Foi uma preciosidade ter acesso aos arquivos de vídeo para a realização deste trabalho.

Foi um trabalho enorme, mas resgatamos imagens que eram em fitas de cinema, com mofo e fungos, e foram imagens como essas que usamos no documentário, e depois toda a beleza que o documentário ficou.

Deus nos premiou. Ele foi pródigo em benção quando nos deu este prêmio e o prêmio só vem confirmar a nossa adesão a Igreja e ao mesmo tempo estamos podendo dar uma contribuição, porque o Concílio Vaticano II é um celeiro com muitas sementes. Muitas já foram semeadas e já estão produzindo frutos, mas o celeiro ainda está cheio e estas sementes precisam ser semeadas, o mundo precisa conhecer a beleza que é Concilio Vaticano II\”.


Com relação ao prêmio \”Clara de Assis\”, receberam prêmios:
– categoria especial: \”Falcão, meninos do tráfico\” exibido no programa \”Fantástico\”;
– categoria jornalismo: \”Santa Maria das Barreiras, encantos e desencantos da Amazônia\”, da TV Nazaré;
– categoria dramaturgia: \”Amábile, Amável\”, da TV Século XXI;
– categoria musical: \”Ponto de Encontro\”, apresentado na Rede Vida.



Padre Jonas Abib, Dom Odilo Scherer e Dom Geraldo Magella
function open_gl(param){window.open(\’http://200.168.231.201/portal/canais/galerias/index.php?id=\’+param,\’\’,\’width=537, height=478, toolbar=no, status=no, menubar=no, scrollbars=no, resizable=no\’);}[+ fotos deste momento]

A primeira edição da Bíblia da CNBB foi publicada em comemoração aos 50 anos da Conferência Nacional dos Bispos no Brasil. Ainda nesta noite foi lançada a 3ª edição da Bíblia da CNBB por Dom Geraldo Magella. Padre Jonas Abib esteve neste momento marcante para a CNBB.

\”\’A Palavra de Deus é a Verdade; sua lei, liberdade\’.

Na comemoração dos seus 50 anos de fundação, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em 2002, lançou a 1° edição da Bíblia Sagrada – Tradução da CNBB.

Tenho a satisfação de lançar agora a 3ª edição da Bíblia da CNBB, a todos os leitores e estudiosos da Sagrada Escritura. Esta edição é fruto de uma revisão ampla das edições anteriores, com melhorias na tradução dos textos e no estilo da linguagem.

A Bíblia Sagrada – Tradução da CNBB servirá de referência para a Igreja Católica no Brasil. Dela extrair-se-ão os textos citados nos documentos eclesiais e, além da leitura individual e comunitária, seu uso é especialmente recomendado para a catequese, as reuniões, os encontros de oração e de formação.

Renovo aqui o agradecimento da CNBB ao Revmo Pe. Johan Konings, SJ, e à equipe de biblistas, tradutores e peritos, que colaboraram na tradução e na apresentação lingüística dos textos já publicados nas edições anteriores e agora, na 3ª edição.

Agradeço também, as editoras católicas que não mediram esforços para publicarem a 1ª e a 2ª edição da Bíblia.

Faço votos que a difusão constante da Sagrada Escritura possa despertar um apreço sempre maior à Palavra de Deus em nosso País, e que o tesouro da Revelação confiado à Igreja possa enriquecer cada vez mais os corações e orientar a sociedade e a cultura com a luz da santa Palavra, que \’permanece para sempre\’ (Is 40,8). \’A Palavra, se fez carne e habitou entre nós e nós vimos a sua glória\’ (Jo 1,1).

Fica, portanto, lançada a 3ª edição da Bíblia da CNBB\”.
Dom Geraldo Magella
Presidente da CNBB

Veja também:
.: Emoções de Lurdinha Nunes ao saber que receberia o prêmio
.: Entrevista: Dom Orani explica o sentido do prêmio

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo