Fiéis testemunham a Misericórdia

Na manhã deste Domingo, 27, Festa da Misericórdia devotos que vieram celebrar este dia na Canção Nova subiram ao palco do Centro de Evangelização para testemunhar as graças alcançadas através de sua devoção.

Jesus, eu confio em vós!
Foto: Natalino Ueda

Francisca de Pilares Lopes é de Guaíra no Paraguai e afirma que desde criança seu pai lhe ensinou rezar as três da tarde, apesar de ser alcoólatra, ensinou-lhe essa devoção. Mais tarde, com alguns anos de casada, foi constatado um câncer que avançaria muito rápido, segundo os médicos. Francisca precisava passar por uma cirurgia.

Nos dias em que se preparava para o procedimento cirúrgico, certa madrugada em sua casa levantou-se para pegar uma arma para se matar, naquela hora seu filho mais novo acordou e pediu que fosse se deitar com ele, pois estava sentindo muito frio. Naquela mesma semana, passou pela cirurgia e obteve sucesso. Porém era preciso fazer cessões de radioterapia. A paraguaia e uma senhora que passava pelo mesmo tratamento que ela rezavam o terço da misericórdia todos os dias as três da tarde pedindo a Deus a cura. O médico pediu exames para averiguar o quadro de Francisca e todos foram surpreendidos, não havia mais câncer a devota da misericórdia estava curada. “Jesus misericordioso curou-me e permitiu-me continuar com minha família.” testemunhou a paraguaia.

“Jesus misericordioso curou-me e permitiu-me continuar com minha família”
Foto: Natalino Ueda

Gabriela de Congonhas, Minas Gerais afirma que a vida dela e de toda família fora preservada pela Misericórdia. A peregrina esteve na Festa da Misericórdia no ano passado e recorda que Elina Sá disse que quando acontece algo como uma morte, livramento ou libertação na vida de um devoto da misericórdia acontece as três horas da manhã ou da tarde. A mineira afirma que duvidou. Um tempo depois, ao retornar de uma viagem com o marido e a filha, sofreu um acidente grave em que ela e a filha estavam sem cinto de segurança. O carro a 120km/h bateu em um poste, que pela força da colisão foi arrancado. As pessoas que foram socorrer pensaram que encontrariam apenas os corpos, mas graças a misericórdia estávam todos vivos. “Era justamente na hora da misericórdia”, relatou Gabriela.

O casal nordestino Daniele e José também puderam manifestar sua gratidão a Jesus misericordioso. A nordestina afirmou que seu marido começou ter tonturas, portanto procuraram um médico e logo foi diagnósticado um cavernoma, câncer benigno no cérebro. Mas o caso de seu José era mais difícil, pois a doença se alojara em uma região muito delicada e qualquer intervenção cirúrgica deixaria sequelas ou o levaria a morte. “Pedi a Deus a cura. Meu marido foi operado as três horas da tarde, logo em seguida foi para a UTI e se recuperava bem” relata Daniele. Um mês após a cirurgia o câncer voltou ainda pior. A nordestina afirma que tinha uma mágoa com Deus por já ter perdido a mãe atropelada, mas que naquele momento o Senhor a curava, pois era preciso confiar. “Meu marido recebeu a cura física, eu recebi a cura espiritual”, testemunhou Daniele. Hoje sr. José está recuperado sem nenhuma sequela graças a misericórdia divina.

“Meu marido recebeu a cura física, eu recebi a cura espiritual”, diz Daniele
Foto: Natalino Ueda

No diário de Santa Faustina Jesus afirma que a Festa da Misericórdia é “refúgio para todas as almas”. Pode-se testificar por estes e infinitos outros testemunhos que as almas que se confiam a bondade divina não se decepcionam. Que toda Igreja a exemplo, principalmente de João Paulo II, possa refugiar-se na bondade divina afirmando com a vida: Jesus, eu confio em vós!

São João Paulo II e São João XXIII, rogai por nós!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo