Momento de cura da relação familiar mexe com jovens no 'Aprodunfamento Radical'

Como é o seu relacionamento familiar? Inspirados por esta pergunta, cerca de 70 jovens participaram, na manhã desta sexta-feira, 14, do "Circuito da Afetividade" – uma das atividades do Acampamento 'Revolução Jesus', que acontece até domingo, 16, na sede da Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP).

A ponte de cordas tinha o objetivo de levar os jovens a entenderem que, na vida, se dá um passo de cada vez
Foto: Ariane Fonseca

Os presentes viveram momentos radicais andando em uma ponte de cordas, descendo um rio de tirolesa e participando de dinâmicas para refletir sobre a confiança e o perdão dentro de casa. A missionária Rosângela Lustosa, uma das responsáveis pelo circuito, acredita que lidar com a afetividade, para o jovem, é uma tarefa complicada, porque ele, muitas vezes, não sabe que caminho seguir. “Essa atividade tenta fazer o jovem refletir sobre a importância da família na vida dele e também a importância de perdoar. Muitas vezes, quem erra com os filhos são os próprios pais”, relata.

Na ponte de cordas, os jovens aprendiam que, na vida, é preciso dar um passo de cada vez e que, independentemente das dificuldades, a família está sempre presente para dar apoio. O exercício com a tirolesa foi um convite para que se lançassem nos braços da mãe, do pai e do Senhor, confiando-lhes a vida.

A tirolesa convidou os participantes a experimentarem se jogar nos braços do pai, da mãe e do Senhor
Foto: Ariane Fonseca

O momento mais radical, no entanto, não tinha lama, altura nem água. Na dinâmica do “Abraço”, um homem, representando a figura do pai, e uma mulher, representando a da mãe, conduziram uma oração de cura e libertação, motivando os participantes a pedir e a conceder perdão.

“Agora, vocês são convidados a perdoar os momentos em que seus pais machucaram vocês e também a pedir perdão pelas vezes em que vocês erraram. Muitas vezes, desobedecemos aos nossos pais porque os achamos caretas, achamos que nós somos os 'caras'. Outras vezes, são os pais que erram conosco. Tudo tem um motivo, às vezes, os seus pais não receberam de seus avós amor, por isso não conseguem dar afeto a vocês. Deus cura o relacionamento entre vocês aqui!”,  declarou o homem, que representava a figura paterna, num momento de oração.

Renata de Abreu, que veio de Lagoa Santa (MG), viveu um momento forte nesse circuito. Entregue à avó com apenas 15 dias de vida, tinha dificuldade de amar seus pais por causa da mágoa que levava em seu coração. Ao receber um abraço na dinâmica, foi tocada por Deus. "Por causa de ter sido rejeitada na infância, eu tive uma vida difícil. Morei na rua durante quase cinco anos, usei drogas, tive uma sexualidade totalmente desregrada. Minha madrinha me trouxe para o evento, eu não queria vir, mas estou muito tocada com tudo isso", testemunhou a jovem que tem 20 anos.

O momento mais forte foi a dinâmica do "Abraço", na qual os jovens experimentaram dar e pedir perdão
Foto: Wesley Almeida

O paulista Mateus Cabranca, de 21 anos, também viveu uma experiência de cura durante a atividade. Seus pais se separaram quando ele tinha 6 meses e o garoto viveu sem a presença paterna. “Eu tinha uma mágoa muito grande por isso, por ter crescido sem a presença dele. Fui curado dessa tristeza. Pretendo ligar para o meu pai e dizer que o amo assim que sair daqui”, contou.

O “Aprofundamento Radical” é fechado para quem fez inscrição antecipadamente, mas há outras atividades na Chácara de Santa Cruz com entrada livre e gratuita para toda a família. Dentre os destaques, estão Santa Missa, pregações e shows com nomes renomados da música católica.

.: Confira a programação do evento

Veja no vídeo como é o Circuito da Afetividade:

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo