Novos diáconos para a Igreja

Seminaristas da Comunidade Canção Nova receberão o ministério diaconal pelas mãos de Dom Alberto Taveira Correia, Arcebispo de Palmas (TO), na sede da comunidade fundada pelo monsenhor Jonas Abib, em Cachoeira Paulista (SP), no dia 12 de julho, às 15h30, durante o Kairos 'Preciosíssimo Sangue de Jesus'.

Confira o depoimento dos cinco futuros diáconos:

Ademir Pereira
Foto: Regiane Calixto

"Sou Ademir Pereira da Costa, natural de São Bento do Sapucaí (SP), membro da Comunidade Canção Nova há seis anos. Minha família é muito católica, mas meu compromisso real com a Igreja aconteceu, no ano de 1996, a partir dos encontros da Renovação Carismática Católica (RCC).

Após um intenso apostolado na minha cidade, senti o chamado para o sacerdócio. Tudo começou com uma penitência quaresmal. Disse a Jesus que nos 40 dias de Quaresma não pensaria em casamento e dedicaria todo o meu tempo a Ele. Passados os 40 dias, achei pouco [dedicado ao Senhor] e continuei até o final do ano. Ainda descontente estendi esse tempo por mais um ano. Dentro desse período, senti o Espírito me fazendo uma pergunta: "Por que não ser padre?". Resisti bastante ao chamado, mas numa vigília em Taubaté (SP) dei minha resposta: disse meu 'sim' a Deus ao sacerdócio para o serviço da Igreja e do carisma Canção Nova.

Meu lema diaconal é: "Eu sou tua parte e tua herança" (Números 18, 24). Ele nasceu de um estudo bíblico, que produziu em mim um desejo intenso de pertencer inteiramente a Deus. Defino esse lema como uma profunda declaração de amor de Deus por mim. Eu pensava que eu O tinha escolhido, que eu havia optado pelo sacerdócio, e na verdade era o contrário, pois Ele me escolheu, Ele se decidiu por mim e se fez minha herança neste mundo. O que faço na ordenação é dar uma resposta de amor Àquele que sempre me amou e me dá hoje como herança o serviço à Sua Igreja".

Donizete Heleno
Foto: Regiane Calixto

"Sou Donizete Heleno Ferreira, tenho 28 anos, sou natural de Rio Pomba (MG) e estou há sete anos na Comunidade Canção Nova. Meu encontro com Deus se deu através da Renovação Carismática Católica (RCC) e do grupo de jovens do Encontro de Jovens com Cristo na minha paróquia em Rio Pomba (MG) no ano de 1998. Eu nunca quis ser padre. Em uma Santa Missa, no dia do Sagrado Coração de Jesus, diante da imagem do Sagrado Coração, vivi a experiência de Deus me chamando a doar minha vida pelo Reino.

Tentei fugir de todas as formas, mas a vontade de Deus prevaleceu. Conheci a Canção Nova no ano de 2000 e através de uma palestra do monsenhor Jonas Abib, sobre vocação, senti um forte apelo para me consagrar a Deus na Canção Nova. Eu queria ser padre daquele jeito do monsenhor: radicalidade e amor a Jesus.

Meu lema diaconal: “Sede misericordiosos como o Vosso Pai é misericordioso” (Lucas 6,36). Escolhi esse lema para minha ordenação porque minha vocação é fruto de uma imensa misericórdia com que fui amado e eu não poderia ser nada mais nada menos do que a expressão da misericórdia do Pai para o mundo.

Vale a pena responder a um chamado porque só Deus dá sentido à nossa existência. O Senhor quer contar conosco para anunciar Seu amor para todos. É muito bom ser companheiro de Deus na edificação do mundo”.

Ivan da Paixão
Foto: Regiane Calixto

"Eu sou Ivan Rodrigues da Paixão, tenho 36 anos, sou paulista e hoje depois de seis anos como membro da Comunidade Canção Nova e no seminário serei ordenado diácono no dia 12 de julho e, no final do ano, no dia 20 de dezembro serei ordenado padre pela Canção Nova.

Quero falar um pouco da minha história, da minha conversão e o porquê do meu lema. Minha história se dá com um nascimento conturbado, no qual quase morri, mas, Deus, através de um médico, manifestou Sua graça.

Após minha primeira comunhão afastei-me da Igreja, e com 14 anos, passei a ser rebelde dentro de casa, muitas discussões e aí fui viver o mundo com bebidas, mulheres, capoeira, ocultismo, samba, pára-quedismo. Isso até meus 25 anos, quando Deus, com certeza, enviou uma senhora de 72 anos, que me falou sobre Jesus Cristo e que eu seria padre; e lógico: na vida que eu levava, jamais queria ser padre e discuti com ela.

Daí em diante minha vida mudou, passei a frequentar a Igreja e o grupo de oração. Mais tarde conheci a Comunidade Canção Nova e fiz o caminho vocacional. Deus foi me dando muitos sinais do chamado para o sacerdócio, e eu cada vez mais me lançava em uma vida de entrega, de oração, com momentos de cura interior, reconciliação com minha história e com a família. Tudo isso foi preparando o ambiente, no qual Deus foi me conquistando a ponto de me ver impulsionado a dar o passo de fazer a experiência no seminário pela Canção Nova. E hoje posso dizer que sou muito feliz, pois, serei ordenado diácono.

O meu lema diaconal é: "O meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou e cumprir a sua obra" (João 4,34). Meu lema é fruto da experiência de 11 anos que fui fazendo, pois, minha oração sempre foi "Senhor, em Ti me encontrei, o que eu quero é fazer sempre Tua vontade, por isso, sempre quero alimentar-me de Ti, quero estar Contigo, não permita, Senhor Jesus, que eu me afaste de Ti". Amados, aqui está um pouco do meu testemunho".

Márcio José
Foto: Regiane Calixto

"Sou Márcio José do Prado, tenho 29 anos, natural de São José dos Campos (SP). Meus pais sempre me educaram na fé católica. Quando jovem estive um pouco distante da Igreja, fui crismado, mas ainda não estava inserido na Igreja. Sempre sonhei em ter uma família grande e na comunidade paroquial encontrei muitos irmãos.

Dentro do grupo de Ooação no serviço à comunidade senti que podia dar mais a Deus através do sacerdócio. Conheci a Canção Nova, fiz o discernimento vocacional e ingressei nela em 2003. Estudei filosofia no instituto Canção Nova e teologia no seminário de Palmas (TO).

Meu lema diaconal: "Como é grande ó Pai, a vossa misericórdia". Quando pensei no lema só pensei em agradecer a Deus por tão grande amor, pois percebo que sou fruto da bondade de Deus e só posso dizer "Como é grande, ó Pai, a vossa misericórdia" (Oração Eucarística VII)".

Marcos Roberto
Foto: Regiane Calixto

"Meu nome é Marcos Roberto Pereira, tenho 37 anos, nasci em Nova Esperança (PR), sou de uma família de três filhos e sempre participei da Igreja devido à formação católica que tive, graças a Deus. Nunca pensei em ser padre, porém, Deus me chamou e eu dei meu 'sim'.

Conheci a Canção Nova através de uma pregação do monsenhor Jonas pela rádio Canção Nova e me tornei sócio e nunca mais deixei de ouvi-la. Eu trabalhava como produtor de rosas, e Deus me colheu. No começo relutei um pouco, pois não queria deixar as coisas que possuía, no entanto, o chamado foi mais forte do que eu.

Hoje sou muito feliz, e estou a caminho de um grande passo com a ordenação diaconal. Tenho comigo a responsabilidade que é esse compromisso, mas estou disposto a dar tudo de mim por amor ao Reino e às almas.

Meu lema diaconal: "Não sou eu que vivo; é Cristo que vive em mim". Eu o escolhi porque é um desejo do meu coração viver como Cristo e servir com total dedicação ao meu ministério por amor à Igreja e ao povo de Deus".

"Um padre ou diácono não são pessoas que abafam o seu coração e a sua capacidade de amar. São homens que dilatam o coração na medida do coração de Jesus" (Dom Alberto Taveira).

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo