O amor de Deus é incondicional, pessoal, irreversível, onipresente, insubstituível e universal

O amor de Deus é um dos temas principais do Seminário de Vida no Espirito Santo, evento que acontece entre os dias 24 e 26 de abril, na sede da Comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP).

O missionário Ricardo Sá explica como é este sentimento tão puro e lindo do Senhor por seus filhos. Confira:

Ricardo Sá
Foto: Wesley Almeida/ Foto CN
“São João ensina que Deus é Amor apresentando-O em Sua essência. E tudo o que criou, o fez com este Amor que é Ele mesmo. Isto nos ajuda a compreender que Deus ama em tudo o que fez e faz; que é Amor concreto, especialmente manifestado em Seu Filho, Jesus Cristo, que se entregou à morte por todos nós, quando nem ainda o conhecíamos.

Sobre este Amor, e para que se torne uma experiência também concreta em nós, precisamos saber que é incondicional, pessoal, irreversível, onipresente, insubstituível e universal, entre tantas outras riquíssimas realidades.

É incondicional, porque absolutamente não existem condições impostas à sua presença. A verdade é que não precisamos ser bons, perfeitos, puros, boas pessoas, santos ou qualquer outra coisa boa, justa, correta para que o recebamos. É, portanto, incondicional!

É pessoal,
porque para Deus não existem 6.000.000.000 de pessoas no planeta. Cada um é como o inteiro universo, por quem Ele entregaria Seu Filho à morte e para quem Ele criaria todo o mundo, se preciso fosse, de novo!

É irreversível,
porque nunca volta atrás, não desiste mesmo que esqueçamos Sua presença. É sinal de que está sempre em nós, dentro e fora de nós, esperando por nós, a nosso dispor para que nos deixemos amar.

É onipresente, porque em tudo está. O amor é o próprio Deus que em todas as circunstâncias está presente e assim nos envolve. É um pacto de Amor!

É insubstituível, pois nada pode tomar Seu lugar! Porque é o Amor que criou o céu, a terra e tudo o que existe na terra e no universo. Não pode ser substituído por nada, pelo fato de que nada a ele se iguala!

É universal,
porque existe para todos, sem exceção. Para Seus filhos, para os que estão perto e longe, dentro e fora de Sua Igreja, portanto, para os de todas as raças e credos, cores e culturas!

É claro que saber de tudo isso nada vale se não fizermos esta experiência de Amor. Rezemos assim: Meu Deus, hoje abro meu coração e toda a minha vida para que Tu me ames. Através de minha livre vontade e por causa da necessidade de Amor, eu aceito que Tu me ames e manifestes em mim o Teu Amor. Vem, meu Deus! Podes me amar! Obrigado, meu Deus”.



Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo