O namoro é uma oportunidade riquíssima para crescer

Prof. Felipe Aquino
Foto: Gracielle Reis

Na noite deste sábado, 12, Dia dos Namorados, professor Felipe Aquino fez uma pregação toda especial para os casais de namorados presentes no Grupo de Oração, que aconteceu no intervalo do Acampamento de Oração deste final de semana.

Durante a colocação, professor Felipe, destacou que o "namoro é um bom teste", com o objetivo de verificar se o relacionamento dá certo ou não. E, para isso, o importante é sempre manter o diálogo e não discutir. "No diálogo são os dois conversando e os dois buscando a verdade. Os dois são vencedores no amor", destacou.

Sobre as discussões no namoro, o professor salientou que há casais que insistem muito em continuar juntos, mas acontece muita briga, como uma "porca e um parafuso" que não se ajustam. E ele alerta: "Se no namoro tem muita briga, no casamento vai ter muito mais, porque envolve as questões e responsabilidades do lar".

E a fim de buscar solução para muitas questões do relacionamento, o professor Felipe Aquino enumerou os principais problemas que podem afetar a vida de um casal de namorados:

Diferença de idade: pode ser que cause problema ou não, mas quando se tem amor profundo, dá certo. Tudo pode ser vencido pelo amor. Jesus disse: "Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei". A referência do amor não são as novelas, mas Jesus Cristo. Como Jesus disse, amar é dar a vida pelos amigos. E doar a vida não é somente se entregar numa cruz, mas é renunciar a si mesmo. Esvaziar-se de si mesmo para satisfazer o outro;
Religiões diferentes: pode dar certo se tiver amor, tanto que a Igreja não proíbe um casamento com disparidade de culto. Contudo, a Igreja pede que os filhos sejam educados na fé católica e o lado protestante não poder querer converter o outro;
-Medo de ficar sozinha: por causa desse medo, muitas meninas acabam cedendo a muitas coisas, inclusive à relação sexual. Não se case se estiver com dúvida. Estou falando de questão interior, diferença de valores. É melhor ficar sozinho do que mal acompanhada;
Desentendimento com as famílias: quando o namoro culmina no casamento, se casa com a família também. Nenhum namorado ou namorada gosta que maltrate sua mãe ou seu pai. Eu sei que tem sogros e sogras complicados, mas podemos tentar viver um bom relacionamento, na medida do possível;
Namoros muito longos: é difícil analisar o que acontece, mas um namoro muito longo não dá e nem muito curto. A média normal é de quatro ou cinco anos;
Traição: Jesus disse que não existe pecado que não receba perdão. Devemos perdoar 70X7, ou seja, sempre! Um adultério ou uma traição não podem acabar com um namoro ou casamento, se houver um verdadeiro arrependimento. É claro que é um pecado grave, não estou justificando, mas todos nós somos pecadores, todos podem cair;
Ciúme: é algo complicado e tem várias causas. Às vezes, é um ciúme válido, quando o namorado ou a namorada fica olhando para outras ou outros, mas acontece também de ter a insegurança por causa de uma experiência anterior negativa. Muitas pessoas são inseguras porque passaram por traumas na infância com o pai, mãe, avós etc. O ciúme deve ser analisado e ver se o problema está em mim ou no outro;
Distância: é um grande teste! Com o pessoal da Canção Nova acontece muito isso;
-Moda: as mulheres gostam muito, mas a primeira pessoas a ficar satisfeita deve ser o namorado. Se o meu amado não gosta de algo, eu não vou usar por amor. Porém, é claro que os dois podem chegar no equilíbrio.

Foto: Gracielle Reis/CN

Por fim, professor Felipe Aquino resumiu qual é o objetivo do namoro: a construção do outro. "Se um não ajuda o outro, não adianta. O namoro é uma oportunidade riquíssima para crescer", concluiu.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo