Podcast: O papel da família

Viver bem em família é um desafio diário. Não é fácil conciliar a vida conjugal, a atenção com os filhos, o trabalho, a casa e o lado espiritual. Mas o casal de missionários da Comunidade Canção Nova Rosení e Alexandre de Oliveira têm a solução: viver em comunhão na oração.

:: Participe do Acampamento para Famílias

Os dois vivem na correria para cuidar dos dois filhos, dos problemas de saúde de Rosení e da missão na qual têm de evangelizar. Alexandre trabalha na produção do Portal Canção Nova e sua esposa como apresentadora do programa 'Cantinho da criança' e  como coordenadora do conteúdo infanto-juvenil da TV Canção Nova. E é sobre as dificuldades no casamento, oração e filhos a partilha do casal neste episódio do Podvir – o podcast do canal de eventos.

Alexandre, Rosení e seus filhos – Beatriz e Jonas
Foto: Arquivo Pessoal

:: Conheça o canal do 'Podvir'

Leia um resumo do bate-papo:

Podvir: Como vocês conseguem conciliar tantas atividades com a vida espiritual?
Rosení de Oliveira: São responsabilidades sobre as quais eu preciso tomar uma decisão. Eu quero rezar e eu preciso rezar, sem a oração tudo isso perde a força. Preciso de Deus, preciso rezar, preciso ouvi-Lo e estar em sintonia com Ele. Se eu não tiver essa base da oração o resto perderá o sentido.

Alexandre de Oliveira: Nosso carisma (como casal consagrado da Canção Nova) diz respeito à oração em ritmo da vida. É vivendo e rezando, rezando e vivendo. Tudo  que a gente vai fazendo é permeado pela oração. Quando Rosení está cuidando das crianças em casa, ela também está rezando. Ela está pedindo a luz de Deus e a sabedoria na educação dos nossos filhos. Isso é próprio do nosso carisma, essa oração ao ritmo da vida, esse conciliar nossa espiritualidade com as coisas próprias da casa.

Podvir: Qual deve ser a base de uma família que busca a santidade?
Alexandre: A Palavra de Deus fala sobre uma casa que foi edificada sobre a rocha e vieram os ventos, a tempestade e o mar atingindo-a. Ela não caiu porque estava edificada sobre a rocha. Para uma família estar edificada, firme, é preciso estar fundamentada na Palavra de Deus. Uma família que não vive alicerçada na Palavra de Deus, que não vive alicerçada nas promessas d'Ele, não tem como se manter em pé. A base para a família viver a santidade é esse contato diário com a Bíblia.

Rosení: Eu queria até testemunhar que neste fim de ano nós experimentamos bem isso. Nós estávamos vivendo uma determinada dificuldade em casa – tanto em saúde, como com os gastos com remédios e médicos – e nas nossas partilhas Deus nos deu uma palavra. A passagem era de Ruth, quando ela foi colher o resto da plantação e o Senhor dizia que ela precisava respigar. Nós tomamos essa palavra para nós! Respigar é pegar o resto. Não é pegar a colheita, é pegar o resto que sobrava da colheita. Diante de tudo que a gente estava vivendo, nós fomos aproveitando o "resto" de cada coisa: não deixando nada de comida estragar, limpando a casa e não desperdiçando…

Podvir: E a oração? Qual é a importância do casal rezar junto?
Rosení: É muito importante, mas eu vou ser bem sincera com você e com quem está nos ouvindo em casa: não é algo que nós temos tempo de sobra para fazer. A nossa oração é em comunhão. Tem uma intenção pela qual nós dois precisamos rezar? Então, tudo que estou fazendo, estou rezando por aquela intenção e o Alexandre também. A gente vive o que o Dom Bosco vivia e que o monsenhor Jonas Abib nos ensinou. Perguntaram uma vez para Dom Bosco quando ele rezava, pois o santo não parava de trabalhar. Um homem que estava com ele respondeu: '"Quando é que ele não reza?" Porque tudo que ele fazia, fazia rezando. Então, rezar junto não é apenas fisicamente, mas também em comunhão de espírito.

Alexandre: Monsenhor Jonas fala a respeito dos "tempos fortes". Nós percebemos que em nossa vida em família há esses tempos.  Já houve momentos em que Deus pediu que eu e a Rosení, todas as noites, antes de deitarmos, rezássemos e pegássemos a Palavra de Deus. Mas já houve tempos também em que a nossa oração era na Santa Missa. Isso também é uma oração que une o casal. É importante deixar isso claro: mais até que estar lado a lado, é importante a comunhão do coração.

Podvir: Você tem fibromialgia, não é Rosení? Como consegue superar esses momentos difíceis na família?
Rosení: Eu não sei nem como dizer da presença do Alexandre na minha vida com essa doença. Ele deixou tudo para estar comigo, cuidou de mim, me amou na alegria e na tristeza, na saúde e na doença – assim como na promessa que fizemos no matrimônio. Essa família foi um sustento, é um sustento e eu sei que continuará sendo.

Alexandre: Talvez na sua família você esteja vivendo uma situação semelhante. De repente, sua esposa já foi desenganada pelos médicos, uma situação de doença grave: é importante fazer uma escolha. Perceba que o maior tesouro que Deus está te dando hoje é a sua família, ela é sagrada, é um bem que precisa ser cuidado. Para mim, não foi fácil, eu tive que abrir mão de muitas coisas, mas eu louvo a Deus por cada coisa  de que eu abri mão, pois fiz isso em vista de algo muito maior e muito mais importante: minha esposa e meus filhos. O que Deus falou em meu coração foi que a maior pregação que eu iria fazer não seria em um ginásio, mas em casa. Eu preguei para os meus filhos que o papai ama a mamãe, custe o que custar. Hoje, meus filhos crescem em uma família segura,  na qual eles sabem que os pais se amam. Se você está temeroso por ter que abrir mão de muitas coisas, não tenha medo, porque vai valer a pena.


Como baixar:

Ao ir para a página do Podvir, você encontrará, abaixo de cada um dos episódios, uma seta; ao clicar nela você conseguirá baixar o arquivo em MP3.


Ouça:

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo