Semana Santa na Canção Nova

Dias de profunda oração, contrição, arrependimento e celebração. Foi assim que centenas de peregrinos passaram a Semana Santa no acampamento que aconteceu, de 27 à 31 de março, na sede da Comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP).

O evento teve início, na quarta-feira, dia 27, com uma antiga tradição própria da Semana Santa: a Procissão do Encontro. Nela, a imagem de Nosso Senhor dos Passos encontrou-se com a de Nossa Senhora das Dores.

Procissão do Encontro
Foto: Maria Andrea/Cancaonova.com

:: Veja + fotos também no Facebook


No segundo dia de encontro, os fiéis participaram da pregação do ministro de música Eugênio Jorge, cujo tema foi: “
O sacrifício na cruz é por você”. Em seguida, uma pregação de professor Felipe Aquino e do sacerdote da Comunidade Canção Nova padre Adriano Zandoná .

Para encerrar o dia, aconteceu a Missa de Lava Pés celebrada por padre Wagner Ferreira (veja o sermão), a qual faz memória à última ceia de Jesus Cristo com os doze discípulos. Ao final, o altar foi deixado pelos sacerdotes e toda a assembleia, em silêncio, retirou-se.

Sexta-feira Santa

Salvos pela obediência a Deus”. Esse foi o tema da pregação do missionário Ricardo Sá na manhã da Sexta-feira da Paixão. “Jesus é nosso modelo de obediência. Ele foi obediente até Sua morte de cruz, por amor a nós. Quando eu desobedeço, acabo rompendo a vida de graça com o Senhor”, afirmou o ministro durante sua colocação.

Hoje, é o dia em que aprendemos essa verdade: a graça veio a nós a partir de uma desgraça… Afinal, por que bateram tanto em Jesus? Por que lhe deram tapa na cara? Meus irmãos, que pecado Cristo cometeu?” Foi com esses questionamentos que diácono Nelsinho fez sua partilha com os fiéis presentes no Centro de Evangelização Dom Hipólito de Moraes e a todos que o acompanhava pelo Sistema Canção Nova de Comunicação. (veja pregação)

Com a Paixão de Jesus, segundo o Evangelho de João, foi contemplado o mistério do Crucificado. Há um ato simbólico muito expressivo e próprio deste dia: a veneração da Santa Cruz.


Às três horas da tarde, aconteceu a 'Função da Sexta-feira da Paixão' presidida pelo fundador da Comunidade Canção
monsenhor Jonas. Na homilia, padre José Augusto levou todos a compartilharem os sentimentos de Cristo durante toda Sua Paixão.

"Quem conhece verdadeiramente Jesus, não O nega!", afirma padre José Augusto
Foto: Natalino Ueda/Cancaonova.com

À noite, o público acompanhou a Via-Sacra, a qual foi encenada em forma de quadros estáticos com pequenos movimentos, proporcionando aos espectadores a contemplação da via dolorosa de Jesus até a Sua entrega no Calvário. A espiritualidade foi conduzida pela cofundadora da Comunidade Canção Nova, Luzia Santiago, e pelo ministro de música Eugênio Jorge, levando os peregrinos a rezar com a vida em cada estação. A musicalidade ficou por conta do coral da Canção Nova.


Sábado Santo

Já no Sábado Santo, na primeira pregação do dia, padre Fabrício falou sobre "O silêncio de Deus ressuscita". "O que está acontecendo hoje? Um grande silêncio de Deus, e o silêncio do Senhor é dinâmico, fecundo. Ele está trabalhando a nosso favor. Entre a Sexta-feira da Paixão até o momento de Sua Ressurreição, Jesus não viveu um 'feriadão'… Ele silenciou e trabalhou a nosso favor. Deus estende a mão para salvar no silêncio", disse o padre.

Ainda na manhã do sábado, para Roger Luís abordou o tema "Deus trabalha na Igreja mesmo no silêncio".

"Precisamos viver a experiência do silêncio que produz a esperança. É engano viver como certas “igrejas” que afirmam: “Venha para cá e não sofra mais!” Meus irmãos, o sofrimento faz parte da nossa experiência enquanto seres humanos. Infelizmente, não sabemos usar com sabedoria o nosso livre-arbítrio. Um exemplo disso é um jovem que entra para o mundo das drogas: ele acaba se viciando, porque é livre. “Ah! Mas Deus poderia controlar essa pessoa!”, pensamos. Mas não é essa a vontade d'Ele; o Senhor nos criou livres. Infelizmente, usamos mal a nossa liberdade. É no seu sofrimento, meu irmão, que Deus se faz presente ao seu lado. Ele nos carrega no colo nas horas de dor, mas não enxergamos isso. Achamos que Ele nos abandonou diante da experiência do Seu silêncio. Mas Ele nunca nos abandona e jamais nos abandonará!" ressalta o padre Roger Luís.

O ponto alto e mais esperado do evento aconteceu no sábado à noite, onde os fiéis, reunidos no Centro de Evangelização Hipólito de Moraes, participaram da Santa Missa da Vigília Pascal presidida pelo Padre José Augusto. Em seu sermão, enfatizou que Cristo venceu a morte. Comemorou-se, então, a Páscoa, a passagem de Cristo – "deste mundo para o Pai", da "morte para a vida". Durante a celebração, ainda aconteceu o batizado de duas crianças.

E para celebrar esta festa cristã, centenas de pessoas passaram a madrugada em adoração ao "Santíssimo Sacramento na Eucaristia". Encerrando com a Missa de Ressurreição, logo nas primeiras horas do Domingo de Páscoa.


Assista:

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo