Tradutor da Bíblia em Kaingang presente na 19ª Bienal do Livro

A 19ª Bienal do Livro em São Paulo pôde prestigiar a visita de Ka´egso Hery, nesta quarta-feira, dia 15 de março. Ele é integrante da equipe de tradutores do Novo Testamento Kaingang. Na Bienal, Ka´egso comentou sobre todo o processo de tradução da Bíblia para a língua indígena Kaingang e falou um pouco sobre sua história, assim como a importância da Palavra de Deus para o povo indígena.

Ka´egso também concedeu uma entrevista exclusiva para o portal cancaonova.com.
Confira um pouco de sua história e saiba mais sobre a tradução da Bíblia em Kaingang.

\”A minha vida com os índios começou antes de eu nascer. Meus pais vieram da Alemanha há 40 anos e começaram um trabalho missionário entre o povo indígena Kaingang. Eu acabei nascendo nessas circunstâncias, na aldeia do Rio das Cobras, que fica entre Curitiba e Foz do Iguaçu. Morei até os 16 anos nessa missão na aldeia, depois fui para Curitiba, onde fiz mecânica. Logo em seguida, fui para a Alemanha, onde cursei Teologia, Mestrado, Curso de Lingüística e Antropologia e já há 11 anos moro com minha esposa e meus dois filhos na aldeia indígena de Queimadas, que fica no município de Ortigueira, no Paraná.

O povo Kaingang é o segundo maior povo indígena do Brasil, com mais ou menos 35 mil pessoas, espalhadas nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A nossa missão, como é uma missão relativamente pequena, se restringe basicamente às aldeias dentro do estado do Paraná, onde temos atualmente 5 igrejas, sendo lideradas pelos próprios índios.


Clique no menu ao lado e acompanhe outros informativos, depoimentos, entrevistas e fotos desta feira


Todo esse trabalho só pôde ser feito graças ao início do trabalho de uma lingüista alemã, que veio nos anos 50 para o Brasil para pesquisar a língua Kaingang, que até então era uma língua agrafe, sem escrita. Ela pesquisou a língua Kaingang, pesquisou a gramática, grafou o Kaingang, desenvolveu o alfabeto, desenvolveu cursos de alfabetização, preparou professores bilíngües e juntamente com isso, realizou a tradução da Palavra de Deus, visto que a Palavra de Deus é um instrumento acima das culturas, que se refere à revelação da vontade de Deus para o ser humano. A Palavra de Deus é uma mensagem digna de ser transcrita em todas as línguas faladas no mundo.

No Brasil, o povo Kaingang é 1 entre 258 povos indígenas e é uma das 180 línguas faladas no país. Nós achamos importante que a Palavra de Deus seja traduzida na língua de cada povo, porque a língua é a língua do coração. Apesar de muitos povos indígenas já falarem fluentemente o português, essa língua acaba sendo somente para o comércio e para a sociedade envolvente. A língua do coração, dos sentimentos, dos valores, se expressa através da língua materna. Portanto, se nós queremos que a mensagem transformadora de Deus atinja realmente o interior do ser humano, ela precisa ser transmitida na língua de origem. É um trabalho que demanda muito tempo, persistência, paciência, e é necessário muito cuidado para que a Palavra de Deus seja traduzida de uma forma que o conteúdo não seja alterado, mas de forma adequada, para que o povo entenda o que está sendo transmitido.

Esse trabalho, que a doutora Ursula iniciou, foi concluído em 1977 com a tradução do Novo Testamento. Agora, após 30 anos essa primeira edição se esgotou. Nós ainda não concluímos a tradução do Antigo Testamento, que é o trabalho que eu estou desenvolvendo agora. Achamos interessante lançar uma segunda edição, que foi preparada já há 3 anos, pela própria doutora Ursula. Junto aos índios ela fez a revisão de todo o texto. Eu me envolvi bastante com a Sociedade Bíblica na diagramação, na parte da apresentação do livro como um todo. Esse trabalho foi concluído em janeiro de 2006. E, durante uma grande solenidade na Aldeia do Rio das Cobras ele foi apresentado. Mais de 1.200 pessoas se reuniram nesta solenidade, dentre eles, os líderes das igrejas Kaingang, para agradecer a Deus pela nova oportunidade de terem em mãos a Palavra de Deus em sua própria língua\”.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo