Ponho a minha esperança na Divina Misericórdia

“Coloquem a esperança na Minha misericórdia os maiores pecadores. Eles têm mais direito do que outros à confiança no abismo da Minha misericórdia. (…) A estas almas concedo graças que excedem os seus pedidos.” (Diário de Santa Faustina, 1146)

Padre Antonio Aguiar - Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Padre Antonio Aguiar – Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Coloque a sua esperança no Senhor, pois você que é um pecador e merece a misericórdia de Deus. Este momento precisa ser um mergulho direto na misericórdia d’Ele.

Eu, antes de fazer essa experiência, cai em pecado algumas vezes. Após essas situações, tinha medo de olhar para Deus, medo do que Ele pensaria a meu respeito. Pensava que o Senhor ficaria com raiva dos meus pecados. Então, eu chorava após pecar eu buscava a confissão cada vez mais.

Saiba que se você busca várias vezes o sacramento da confissão, não está abusando da misericórdia de Deus; pelo contrário, você demonstra que quer mudar. Aqui há um detalhe: não conseguiremos levantar do nosso pecado se não buscarmos a misericórdia de Deus pelo sacramento da reconciliação. Não conseguiremos vencer o pecado sem o auxílio da graça de Deus.

O demônio quer nos enganar, fazendo-nos acreditar que somos capazes de vencer o mal que há em nós com nossas próprias forças. Assim, deixando-se enganar, nós nos afastamos de Deus e não recebemos a Sua misericórdia.

Após as minhas quedas, eu ficava desejoso de me confessar. Queria buscar o alívio dos sentimentos que estavam dentro de mim, pois unido a eles havia o sentimento de culpa. Quanto mais eu percebia que estava angustiado, mais eu caia novamente. Então, descobri que sozinho eu não conseguiria vencer minhas fraquezas, foi quando uma mensagem do diário de Santa Faustina muito me ajudou: “Que nenhum pecador tenha medo de se aproximar de Mim”.

Jesus nunca teve medo de se aproximar de nenhum pecador; pelo contrário, ele ia ao encontro deles e dizia: “Eu vim para os pecadores”. A partir de então, comecei a exercitar-me na misericórdia de Deus. E nas vezes seguintes, quando eu caia, em vez de ir à capela e ficar lá com a cabeça abaixada, ficava com a cabeça levantada olhando para Jesus, porque Ele é o remédio.

Certa vez, Santa Faustina fez a promessa de exercitar-se mais na paciência com os outros; Ela caiu em tentação muito mais neste dia do que em outros. Então perguntou a Jesus o porquê disso, e Ele respondeu que ela havia contado muito consigo e pouco com Ele.

Somente na confiança em Deus e na Sua misericórdia poderemos dar o salto de qualidade em nossa vida. Se cairmos, não fiquemos com vergonha de olhar para Jesus. Ele não quer que nos sintamos derrotados, mas que coloquemos em prática o que diz o parágrafo 1146 do Diário de Santa Faustina, citado no início desta pregação.

Vivendo o exercício da confiança na misericórdia, após minhas quedas, eu ia à capela e, depois, imediatamente ao confessionário. Eu também não poderia cair no relativismo de achar que Deus “tapa o sol com a peneira” e, assim, continuar vivendo uma vida de pecado. Sabemos que o Senhor ama o pecador, mas odeia o pecado. Ele disse à mulher adúltera: “Vá e não peques mais”. Colocar a nossa vida na misericórdia é não sentir vergonha de Deus em nossas limitações, mas é também lutar contra o pecado.

Certo ano, vim passar o retiro de Carnaval aqui na Canção Nova. Naqueles dias, passei por um profundo momento de cura interior e descobri que havia em mim uma mágoa, e eu descontava todo esse sentimento no pecado.

FotoHorizontal01--Pregacao padre-Antonio-Aguiar

Peregrinos assistindo à pregação do padre Antônio Aguiar na Canção Nova – Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

 

Se você vive caindo e levantando do seu pecado, precisa verificar o que está acontecendo; quem sabe você precise passar por uma cura interior para ser liberto. Você, que é um grande pecador, tem mais direito à misericórdia de Deus, por isso o Senhor preparou a Festa da Divina Misericórdia.

Jesus afirma, no Diário de Santa Faustina, que Ele não pode castigar uma alma se ela recorre à Sua misericórdia. Precisamos compreender o que o Papa Francisco nos diz: Deus não cansa de nos perdoar, somos nós quem nos cansamos de pedir perdão a Ele.

Se observarmos atentamente as palavras do Papa Francisco, conseguiremos ver nas entrelinhas a atualização das palavras e dos gestos de Jesus. O coração do Papa é profundamente misericordioso; a maneira de ele lidar com as pessoas, com os enfermos, é totalmente misericordioso.

Quando ouço algumas mídias falando do Papa, lembro a forma com que os fariseus falavam de Jesus. Os fariseus não entendiam como Cristo conseguia se sentir à vontade com os pecadores. Mas Jesus afirmava: “Quero a misericórdia e não o sacrifício”.

Não e preciso ter um profundo entendimento de Deus para entender a misericórdia, mas é preciso colocar-se diante dela. Existem certas pessoas que estão na igreja, mas, quando olhamos para elas, não acreditamos no que vemos e nos perguntamos o que elas estão fazendo lá. Muitas vezes, até comentamos: “Fulano? Só pela misericórdia!”. E é isso mesmo, pois se não fosse a misericórdia do Pai, o que seria de nós? Há pessoas que parecem não entender nada sobre a misericórdia.

Deus permitiu que a depressão me visitasse no ano passado. Posso dizer a você que é uma enfermidade que não desejo a ninguém. Durante a depressão, a angústia torna-se um sentimento louco, e a única coisa que o deprimido quer é livrar-se dela e sentir vontade de sorrir novamente. Por três vezes eu quis tomar remédios para morrer, mas não fiz isso, porque eu conheço a misericórdia de Deus.

Quando somos levados pela angústia, quando estamos desesperados, somos tentados pela voz do maligno a tirar nossa própria vida. Se não fosse a Divina Misericórdia, eu não estaria aqui hoje. Quando Jesus diz que é para o maior dos pecadores confiar na misericórdia, é para realmente confiar na misericórdia.

“Ainda que a alma esteja em decomposição como um cadáver e ainda que humanamente já não haja possibilidade de restauração, e tudo já esteja perdido, Deus não vê as coisas dessa maneira. O milagre da misericórdia de Deus fará ressurgir aquela alma para uma vida plena” (Diário, 1448). O milagre da misericórdia de Deus pode restaurar qualquer alma.

Para o mundo nós somos os últimos, e o último lugar é um ponto de partida. Portanto, se você chegar ao fundo do poço, saiba que Deus chegou antes de você para ser como uma mola e impulsioná-lo de volta para cima. Ele não criou você para o fundo do poço, mas para voar. Portanto, coloque a sua esperança na misericórdia.

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair 

Adquira esta pregação pelo telefone: (12) 3186 – 2600 

contribuicaocn


Padre Antônio Aguiar


Sacerdote divulgador da devoção à Divina Misericórdia

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo