Deus celebra a pessoa humana

Dom João Inácio Müller

Dom João Inácio Müller. Foto: Jorge Ribeiro/cancaonova.com

A Igreja celebra a Festa da Santíssima Trindade; e o nosso Deus, como O conhecemos, é Pai, Filho e Espírito Santo. Por que, então, a Igreja celebra essa festa? Porque Deus nos celebra. Ele celebra a pessoa humana; e nós, solenemente, celebramos a festa, porque Deus celebra toda a criação. Ele não se esquece de ninguém. Ele não nos celebra como se fossemos só um grupo, uma massa, mas cada um tem um nome, e tudo isso Ele faz gratuitamente.

Deus não espera receber nada em troca. Ele tem um carinho, um amor de predileção para nos amar. Tudo o que existe foi pensado, amado e querido por Ele: a luz, a terra, o mar, todas as criaturas que existem.

A Sagrada Escritura nos diz que Adão e Eva escolheram rejeitar Deus, que fez tudo para eles, não O queria mais escutar. Observe que o pecado de Adão e Eva é recente e presente. Você tem ouvido Deus?

Permita-se ser amado por Deus

Deus celebra o mundo, Ele nos celebra. Jesus veio por causa de nós; e todas as vocações são meios pelos quais vivemos para entrar na dinâmica d’Ele. Nós estamos neste mundo para, cada vez mais, entrar na lógica de Deus, só por isso estamos aqui.

O que é o mais importante para nós neste mundo? O que Deus mais quer de nós? Que nós nos deixemos ser amados por Ele. Isso não é fácil, e é ainda mais desafiante levar a vida depois que o Amor toca o coração. Quando o amor de Deus Pai, Filho e Espírito Santo visita o nosso coração, a partir desse momento começamos a amar com o amor de Deus, não mais com o nosso. E quando isso acontece, começamos a dar Glórias a Deus.

Quando nos permitimos ser alcançados pelo amor de Deus, começamos a fazer tudo com a força do amor que nos invade. Ele vive em nós.

Leia mais:
::Será que o mundo, hoje, precisa de um Pai?
::A relevância do Cristianismo para a formação da pessoa humana

Hoje, quantos pais sofrem, porque os filhos não se deixam mais ser amados por eles? O maior desejo que Deus tem é que O deixemos chegar em nós e viver dentro de nós. Amar no amor de Deus, acolher esse amor, amar como Ele amou. Esse amor pode tocar nossa vida, pode nos revestir. Acima de tudo, a prática de Jesus quer acontecer por meio de nós.

Quando o Espírito Santo, que vem do Pai e do Filho, nos invade, tornamo-nos pessoas de caridade. A partir daí, enxergamos as pessoas da maneira como Jesus enxerga, fazemos as coisas para elas de maneira gratuita. Você consegue amar uma pessoa ruim? Deus é assim, e isso é possível a nós se nos deixarmos ser visitados por Ele.

Deus quer ser visto por meio de nós

Por isso, a primeira coisa necessária em nossa vida é sermos passivos, no sentido de nos deixamos visitar por Deus profundamente. Todos os santos souberam gastar tempo em silêncio, recolhidos, lendo a Palavra, participando na recepção dos sacramentos com devoção e, ao mesmo tempo, saindo de si, buscando fazer o melhor que podiam.

Essa é a provocação dessa Festa da Santíssima Trindade, onde nós celebramos Deus amor, para vivermos uma vida cada vez mais de acordo com a criação.

Nós fomos criados para sermos imagem e semelhança de Deus. Que os outros possam enxergar em nós um outro Cristo. Que possamos, de fato, revelar Cristo para o mundo de hoje. E como o mundo de hoje precisa de Cristo! Deus quer ser visto de maneira material por intermédio da nossa materialidade, e nós, vivendo a vida de Cristo, estamos glorificando a Santíssima Trindade.

Transcrito e adaptado por Rebeca Astuti

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo