Precisamos nos abandonar na confiança em Deus

Precisamos_nos_abandonar_na_confianca_em_Deus

Padre Adriano Zandoná. Foto: Arquivo Canção Nova

Deus pode mudar a nossa vida, mas essa mudança pressupõe nossa confiança ao nos abandonarmos n’Ele

Vamos dar início a esta pregação com uma oração do Sangue de Jesus, que está no livro de monsenhor Jonas Abib ‘Sim Sim, Não Não’: “Lava-me, Senhor, com Teu Sangue precioso. Derrama o Sangue das Tuas chagas, derrama o Sangue das Tuas mãos e dos Teus pés. Lava-me com Teu Sangue por inteiro, Jesus – corpo, alma e espírito. Envolva com Teu Sangue a minha mente, o meu coração, os meus olhos, a minha vontade, os meus sentimentos e pensamentos. Estou Te pedindo, agora, Senhor, derrama Teu Sangue precioso sobre toda a minha pessoa. Senhor Jesus, que o Teu Sangue seja agora a minha defesa, a minha fortaleza e guarda; que nada do maligno possa me atingir pelo poder do Teu Sangue precioso derramado sobre mim, sobre os meus e sobre todos os meus bens. Lava com Teu Sangue, Jesus, a minha história. Lava com Teu Sangue o meu passado, os meus pecados e a minha família. Lava com Teu Sangue todas as áreas do meu ser e tapa todas as brechas em mim e nos meus. Seu Sangue, Jesus, tem poder sobre mim, ele é a minha defesa. A minha proteção é o Sangue de Jesus. Eu acolho, agora, o Sangue precioso de Jesus, que é a minha redenção”.

Agora, renuncie a todo o mal:
“Eu (diga seu nome) renuncio, em nome de Jesus, a todo mal, a todo pecado, a tudo que me queira perder, a tudo que rouba a minha atenção, a tudo que me rouba da vontade de Deus. Eu renuncio à tristeza, à depressão, aos medos e à falta de fé. Renuncio ao desânimo, ao pecado, aos vícios e a tudo que me afasta de Deus, como os maus pensamentos. Eu renuncio aos apegos e às influências do inimigo sobre a minha sensibilidade, sobre as minhas emoções, os meus sentimentos e a minha vontade. Eu renuncio a toda contaminação espiritual, a todo mal de qualquer nome, espécie ou poder em nome de Jesus; e eu ordeno, agora, também em nome de Jesus, que todo mal deixe a mim e aos meus e que vá, agora, aos pés da cruz, para que o Senhor o encaminhe, e eu o proíbo de voltar em Seu nome. Jesus é o meu Senhor, é o Senhor deste lugar, do meu dia, da minha família. Ele é o Senhor do meu coração e eu não temerei, mas confiarei n’Ele. Hoje, eu renovo a minha fé, porque Jesus é o meu Senhor. Vem, agora, Espírito Santo, sobre mim e sobre os meus, preencha todos os espaços em nós”.

Nós precisamos confiar em Deus diante das dificuldades que enfrentamos. O lema para a cidade de São Paulo, neste ano de 2015, é “Agindo Deus, quem impedirá? Ninguém impedirá” (Is 43,13). O Senhor age, mas nós precisamos confiar n’Ele e receber todos os benefícios que Ele tem para a nossa vida e história. Sem confiança, ninguém pode ser alvo concreto de esperança.

Meus irmãos, precisamos aprender a confiar em Deus. Quantas vezes você olha para frente e só vê escuridão? Deus lhe diz: “Caminhe com confiança, que eu lhe mostrarei a luz da vitória”. O Senhor reservou graças e bênçãos para nós. Você acha que Ele é tão fraco, que não pode mudar a sua vida? Ele pode mudar, sim, mas essa mudança pressupõe uma confiança abandonada. No meio da tempestade, precisamos antever a esperança.

Eu sei que você vive muitas lutas. Como padre, escuto muitas mães dizendo: “Como é difícil ser mãe nesses dias!”. Fazer as coisas para Deus é muito mais difícil! É preciso confiar.

Como responsável da missão Canção Nova, vou explicar o lema que coloquei para São Paulo. Na Missa do último Kairos, falei um pouco sobre a teologia da ação de Deus, expliquei como Ele age. Neste ‘Canção Nova Abraça São Paulo’, fiz uma pequena teologia da ação de Deus.

Como que Deus age? Você acredita que, quando Ele age, alguém poderá impedi-Lo? Você acredita que Ele pode transformar a sua vida? Você precisa entrar na lógica de Deus.

Vou falar de uma figura da bíblia: Rei Davi. Ele nos ajudará a entender  de que maneira o Senhor age em nossa vida e história. São cinco princípios que vão nos nortear para a ação do Altíssimo e como devemos agir.

PrecisamosnosabandonarnaconfiancaemDeus

“Meus irmãos, precisamos aprender a confiar em Deus”, disse padre Adriano Zandoná. Foto: Arquivo Canção Nova

Primeira característica: o certo é mais forte que o poderoso. Golias era um gigante, era poderoso e temido. Ele fazia barulho, mas era Davi quem estava certo. Por quê? Porque Davi lutava em nome do Senhor, Ele combatia com Deus. O poderoso faz barulho, mas quem combate em Deus, ainda que enfrente uma luta grande, terá a vitória, porque o certo é mais forte que o poderoso.

Quando nós combatemos em nome de Deus, o fazemos pela Sua revelação bíblica, pela verdade acerca da família, daquilo que somos. Para a ação de Deus acontecer em nossa vida, precisamos optar por aquilo que é certo, optar pela verdade. Deus nos ama do jeito que somos.

Se você não se sente amado, mas usado por alguém, saiba que o Senhor não usa você, porque Ele o ama. Você vale o Sangue d’Ele, e esse valor é tudo! Mas para que a ação de Deus se concretize na sua vida, é preciso escolher pelo certo. Não se deixe intimidar pelo Golias das suas dificuldades, dos seus vícios e do seu desemprego.

Segunda característica: a ação de Deus prepara Seus servos para as batalhas da vida. O Senhor estava preparando Davi para o grande desafio, que era enfrentar Golias. Precisamos deixar Deus nos formar por meio de cada “leão”, de cada “urso” que Ele coloca em nossa vida todos os dias. Não podemos desistir de enfrentar esses “leões e ursos” que existem dentro de nós; precisamos lutar para matá-los todos os dias, porque eles são a fofoca, a impureza e os vícios que nos cercam diariamente.

Como Deus é pedagógico conosco! Ele já nos preparou, pelos acontecimentos da vida, para cada desafio. Um dia, li uma frase interessante: “Muitas pessoas que são vencedoras devem suas conquistas aos problemas que tiveram de enfrentar na vida”. Quando Deus quer uma obra, os obstáculos se tornam meios para a conquista. Deixemos Ele nos preparar e formar, deixemos que Ele cuide de nós. Hoje, não conseguimos ver, mas matamos um leão a cada dia.

Terceira característica: você precisa assumir a sua realidade. Davi, novo e ruivo, apareceu diante do rei e se lhe apresentou como era. O rei deu sua armadura a Davi num gesto mais político do que sincero, e este colocou toda aquela roupa com escudo e espada. Tenho certeza que, ao caminhar, Davi deva ter caído, porque era fraco e pequeno. Em outras palavras, Davi agradeceu a armadura, mas não a usou para lutar.

Precisamos ser nós mesmos e retirar toda falsa armadura de nós, ou seja, as coisas que vamos assumindo para agradar aos outros, as coisas que vamos incorporando para sermos aceitos em nosso meio social, em nosso trabalho. Mas que coisas são essas? São falsos valores, mentiras que assumimos como verdade, o medo que não nos deixa caminhar. Deus não quer a perfeição de Seus filhos, mas quer que tenhamos a coragem de dar um passo. Não deixemos de ser ousados, não nos contentemos com o que conquistamos até hoje. Às vezes, assumimos certos comportamentos e posturas na vida para sobreviver. Davi nos revela que a vitória no combate não nos é dada pelo tamanho da espada, mas pelo tamanho da fé.

Quarta característica: conheça bem as suas armas e saiba usá-las. Saul ofereceu escudo, armadura, espada e capacete real para Davi, mas este se tornou ele mesmo, tirou as máscaras e compreendeu quais eram as verdadeiras armas que tinha à disposição. Quem não descobre as próprias armas e não as usa bem, já começou a perder a batalha.

Mesmo que as armas de Davi fossem simples, como suas cinco pedrinhas, Ele as conhecia bem. Você acha que não riram dele, que não caçoaram de suas “armas”? Em primeiro lugar, a arma que Deus nos dá é a fé, a Sagrada Escritura, a obediência a Ele. A arma que Ele nos dá é o perdão, a confiança n’Ele, o Espírito Santo que age em nós. Quem luta com armas erradas não consegue vencer as batalhas.

Quinta característica: o Evangelho de hoje nos coloca um quinto e último
principio, que é a confiança. O Evangelho fala de Jesus, que estava dormindo no barco enquanto os discípulos estavam com medo e desesperados. Jesus acordou, acalmou o mar e lhes perguntou: “Por que vocês são tão medrosos? Ainda não tendes fé?”. Saiba que Jesus está no seu barco e Ele vai acalmar as tempestades da sua vida, as lutas que você enfrenta. Ele cuida de você, mas você precisa confiar que Ele está no barco da sua vida.

Transcrição e adaptação: Míriam Santos Bernardes

contribuicaocn1


Padre Adriano Zandoná


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo