Por meio de Jesus, manso e humilde de coração, cremos no Pai

Porque cremos no Filho, que é manso e humilde de coração, cremos também no Pai

Primeiramente, quero apresentar a vocês o livro “12 passos para uma vida de compaixão”, de Karen Armstrong, um dos melhores livros dos últimos tempos sobre misericórdia e compaixão.

Meu testemunho é muito simples, eu creio, mas não sei explicar o que sinto. Isso é natural, pois estamos diante de um mistério. Tenho 74 anos e a 55 anos eu procuro viver ligado ao coração de Jesus. Fiz voto de tentar viver essa mística do coração de Cristo, e quem vive no coração d’Ele recebe o dom do Espírito Santo, mas do jeito d’Ele não do nosso jeito. Tudo passa pelo coração de Jesus, Ele nos mostra o Pai e nos envia o Espírito Santo.

A Mãe de Jesus viveu esse mistério. O anjo disse: “O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus.” (Lucas 1, 35). Maria levou toda uma vida para compreender o coração do filho. Ela guardava no coração e procurava entender esse mistério.

Em Lucas 4,1 lemos: “Cheio do Espírito Santo, voltou Jesus do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto”. A nossa reflexão de hoje se baseia nesse título, “por causa do coração do Filho”. Porque, cremos no filho que é manso e humilde de coração, acreditamos também no Pai.

A Igreja é Cristocêntrica e apresenta, primeiramente, Jesus. Os apóstolos também tiveram que ver e ouvir Jesus falar primeiramente. O primeiro encontro deles foi com o Senhor. Mas Jesus disse que tinha algo a mais para falar com eles que era sobre o Pai. Cristo revelou o Pai aos apóstolos para que O conhecessem, para que o Pai os ensinasse a amar.

O Espírito Santo age com o Filho e com o Pai, que Jesus mostrou. É o Filho quem envia o Espírito Santo a nós. O Paráclito vem àqueles que buscam a luz. Nossa mística, a minha (padre Zezinho) e do padre Joãozinho, está centrada no coração de Jesus, e Ele mesmo disse: “aprendam de mim que sou manso e humilde de coração”.

Vejo que muitos de vocês falam e oram ao Espírito Santo. Se já tiveram uma catequese sólida sobre Jesus, estão prontos para receber o Espírito. Com os apóstolos foi assim.

Talvez alguns de vocês falem mais do Pai, outros falarão mais do Filho. E falar mais do Filho não quer dizer que não tem o Pai. Outros falarão mais do Espírito Santo, e isso não é negar o Filho nem o Pai. Ao ler a Bíblia, vocês verão Jesus dizendo: “Aprendam comigo, eu vou apresentar o Pai. Aprendam comigo, eu enviarei o Espírito Santo”. Cada um tem uma mística.

Jesus disse que quem o buscasse descobriria uma verdade, a verdade de que o Pai, o Filho e o Espírito Santo habitará naquele que o busca. Quando adoramos o Pai, o Filho e o Espírito Santo também estão com Ele.

Paulo queria mostrar também isso às comunidades que ele dirigia. Ele dizia “eu quero que vocês cresçam, que descubram que Jesus não é só isso. Vocês vão descobrir, com o tempo, o Pai e o Espírito Santo, mas abram a cabeça.”

Tudo é uma questão de nos aprofundarmos e caminharmos numa vida de misericórdia, seguindo os passos da compaixão. Quem tem compaixão, misericórdia, sem dúvida vai descobrir a Santíssima Trindade. A mística vocês escolherão, falar mais tempo com o Pai, com o Filho ou com o Espírito Santo.

Transcrição e adaptação: Míriam Bernardes

contribuicaocn1


Padre Zezinho


Sacerdote da Congregação Sagrado Coração de Jesus – SCJ

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo