PHN

5 lições para superar o deserto

Emanuel Stênio

Emanuel Stênio | Bruno Marques/cancaonova.com

Bem-vindos a essa batalha espiritual que travamos! Acredito que Deus vai falar muito ao nosso coração hoje. Estamos num tema em que somos chamados à santidade, eu vou trazer bastantes citações de santos para nos ajudar.

Catecismo 2015: “O caminho desta perfeição passa pela cruz. Não há santidade sem renúncia e combate espiritual (70). O progresso espiritual implica a ascese e a mortificação, que conduzem gradualmente a viver na paz e na alegria das bem-aventuranças:

«Aquele que sobe, nunca mais pára de ir de princípio em princípio, por princípios que não têm fim. Aquele que sobe nunca mais deixa de desejar aquilo que já conhece» (71).”

A grande graça da santidade é continuar mesmo em meio às dificuldades. É um caminho de cruz, pois não existe santidade sem sofrimento, sem vida de oração. Nesse caminho, nós encontramos o deserto, que tem muito a nos falar. Quero convidar você a aprender com o deserto. Na Bíblia, encontramos 370 vezes a palavra “deserto”. Desde Gênesis até os Atos dos Apóstolos, o povo caminha pelo deserto, mas é amparado por Deus. Estar no caminho de santidade é, muitas vezes, caminhar pelo deserto.

Não tenha medo, pois o deserto é obra de Deus, para onde Ele dirige Seus escolhidos. Podemos cair na tentação de querer entender isso como uma punição, mas não corresponde à realidade, pois se Deus atrai os Seus eleitos para o deserto, é para mergulharem na intimidade com Ele.

Quem quer ver o Senhor de verdade? Ter intimidade com Ele? Os grandes homens das escrituras passaram por isso. A obra do deserto é uma obra de violência, um chamado à luta, porque o deserto é um ambiente hostil, e apenas os corajosos devem entrar nele. O próprio Jesus dá testemunho de João Batista, que viveu no deserto e mostrou que a Palavra de Deus é para os violentos, não para aqueles que são levados como frágeis pelo vento. A Palavra de Deus, o Seu Reino são para os violentos, pois só estes têm a coragem de permanecer no deserto e aprender com ele para, então, superá-lo e chegar ao Céu. Deus não atrai crianças para o deserto, mas homens que possam lutar. Ele nos atrai, para que despertemos do orgulho e saiamos das garras do pecado.

Várias pessoas, na Bíblia, passaram tempo no deserto. Vamos conhecer algumas delas. Há hora em que a nossa vida é um deserto! Há dificuldades, provações, secura espiritual. Isso faz parte do deserto. No entanto, precisamos aprender lições durante esse período.

Primeira lição no deserto: Depender de Deus

O deserto nos ensina a depender de Deus. Não existe água, sombra nem abrigo. Foi no deserto que o povo de Israel descobriu que o seu sustento vem de Deus. Ele providenciou tudo! Nada faltou. “No deserto, a providência de Deus se manifestou”.

Deus nos leva para o deserto para que dependamos d’Ele. Diga para você: “Nada faltará em minha vida”. Entenda isso: depender de Deus é a primeira lição. A verdade é que toda a nossa vida depende d’Ele, mas quando estamos em circunstâncias normais, muitas vezes, esquecemos disso e colocamos nossa confiança em outras coisas. No deserto, as coisas em que confiamos falham. O deserto nos ajuda a depender de Deus; e quanto mais dependemos d’Ele, mais fortes ficamos.

Deixo para você duas dicas: a primeira é nunca confiar em si mesmo. Você nunca conseguirá vencer as batalhas como guerreiros, confiando em suas forças. Você precisa evitar os lugares, as companhias que colocam em risco sua alma, sua vida.

Evite os ambientes, as amizades que o levam ao pecado. Não confie em você, mas em Deus.

Segunda dica: nas trevas e na dúvida, recorra a Deus. Ele é forte; você é fraco. Em tempo de confusão não se toma decisão. Se você não sabe o que falar, não fale nada. Se não sabe o que fazer, não faça nada. Recorra a Jesus, dependa d’Ele.

Segunda lição: Encontrar o essencial

João Batista vivia e pregava no deserto. Ele vivia uma vida simples, sem muita coisa, porque ele não precisava disso. O deserto ensinou para ele a encontrar o essencial. E qual é esse essencial? É ter intimidade com Deus, comunhão com Ele. Ele é o essencial da nossa vida. e quem tem Jesus tem tudo! Eu prefiro Deus a Suas graças somente, porque, se eu tenho Deus, eu tenho as Suas graças também.

Podemos, muitas vezes, perder as comodidades da nossa vida, ficarmos no deserto. mas é ai que descobrimos que muitas coisas que achávamos essencial, mas são supérfluas, desnecessárias. O essencial é Jesus. Somente Deus dá sentido para a nossa vida e nos sustenta. Quando centramos nossa vida n’Ele, encontramos a paz.

Emanuel Stênio

“Estar no caminho de santidade é, muitas vezes, caminhar pelo deserto.” Emanuel Stênio – Bruno Marques/cancaonova.com

 

Terceira lição: Encontrar a solução

Vários homens foram levados para o deserto, dentre eles, Elias.

Reflexão da palavra: Reis 19,7-8

Deus levou Elias para o deserto, para falar com ele, para lhe dar a solução. Elias estava sozinho com Deus, e ouvir a voz do Senhor e encontrar a solução para suas dificuldades. No monte, Deus restaurou Elias, e quando ele saiu de lá, estava pronto. Por vezes, encontramo-nos no deserto emocional e espiritual. Sentimo-nos acabados e sem forças para nada, e queremos fugir. Deus nos leva para o deserto, para nos restaurar e ajudar a enxergar a solução que está n’Ele.

Quarta lição: Vencer a tentação

“1.Cheio do Espírito Santo, voltou Jesus do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto, 2.onde foi tentado pelo demônio durante quarenta dias. Durante esse tempo ele nada comeu e, terminados esses dias, teve fome. 3.Disse-lhe então o demônio: “Se és o Filho de Deus, ordena a esta pedra que se torne pão”. 4.Jesus respondeu: “Está escrito: Não só de pão vive o homem, mas de toda a Palavra de Deus (Dt 8,3)”. 5.O demônio levou-o em seguida a um alto monte e mostrou-lhe em um só momento todos os reinos da terra, 6.e disse-lhe: “Eu te darei todo este poder e a glória desses reinos, porque me foram dados, e dou-os a quem quero. 7.Portanto, se te prostrares diante de mim, tudo será teu”. 8.Jesus disse-lhe: “Está escrito: Adorarás o Senhor, teu Deus, e a ele só servirás” (Dt 6,13). 9.O demônio levou-o ainda a Jerusalém, ao ponto mais alto do templo, e disse-lhe: “Se és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; 10.porque está escrito: Ordenou aos seus anjos a teu respeito que te guardassem. 11.E que te sustivessem em suas mãos, para não ferires o teu pé nalguma pedra” (Sl 90,11s). 12.Jesus disse: “Foi dito: Não tentarás o Senhor, teu Deus” (Dt 6,16).” São Lucas 4,1

Se Jesus foi posto à prova pelo diabo, no deserto, imagine nós! Quem conduziu o Senhor para o deserto? O Espírito Santo. Somos levados ao deserto para sermos provados e aprovados, purificados, santificados. o deserto nos ajuda na santidade.

O Senhor conhecia a Palavra de Deus. Você conhece a Palavra? Se quer vencer as tentações, vença-as com a Palavra do Senhor. Jesus vence a tentação com a Palavra; e, aqui, Jesus vence três tentações que são as raízes da nossa vida: o prazer, o poder e a posse.

O jovem cai mais no prazer, sexo, masturbação, fornicação, alcoolismo e drogas. É o prazer. Jesus foi tentado no prazer, mas disse “não só de pão vive o homem”. E o que combate o prazer? A temperança, o jejum.

O que vence o poder? Jesus viveu a humildade, a oração. A posse: Jesus vence essa tentação com a simplicidade. As práticas da Quaresma nos ajudam a vencer essas três tentações: o jejum, a oração e a esmola.

Para ser santo você precisa vivê-las. É isso o que você quer viver ou só quer brincar com Deus? Tem de suar, porque santidade é luta. Isso não é fácil. Jesus venceu a tentação no deserto. Lá, somos confrontados com a realidade do pecado, temos uma escolha: entregar-se ao pecado ou encontrar sua força n’Ele.

Aqui vão algumas dicas: não alimente a tentação. Forte é quem foge, e não a enfrenta; coloque o amor próprio em último lugar, recorra a Deus, fuja das murmurações e dos que murmuram, porque atrai satanás; evite a mente vazia, alimente sua mente; não desanime com a gratidão. O deserto nos ajuda a vencer a tentação.

Confira também:
::Jovem, tenha uma visão curada e profética de si
::Caminho PHN: a rota começa dentro de si

Quinta lição: Ser mais forte

O deserto nos faz mais fortes. Os 40 anos que o povo vagou pelo deserto, dois homens não perderam a esperança, Calebe e Josué. O deserto fez com que eles se tornassem pessoas fortes. Não foi fácil, mas Josué nunca esqueceu de quanto Deus tinha feito por ele. Ele liderou o povo em busca da terra prometida. A verdadeira esperança não morre no deserto. Deus nos conduz para lá, para que possamos combater.

Santo Antão passou pelo deserto, foi tentado e perseverou na fé. Ele sentiu-se abandonado por Deus, mas persistiu na fé mais crua. Quando ele passa pela provação, o Céu vem em seu auxílio, então perguntou: “Onde estavas? Por que demorou para vir em meu auxílio?”. Deus respondeu: “Eu estava aí, Antão. Eu esperava para ver você combater”. Deus está lá no Céu esperando você combater. Ele quer nos ver combater.

Transcrição e adaptação: Rebeca Astuti.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo