“O mundo jaz sob o maligno”

Padre Marlon Múcio
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com
Amados irmãos, o tema desta nova reflexão está na 1ª Carta de São João 5,18-21: "Sabemos que aquele que nasceu de Deus não peca; mas o que é gerado de Deus se acautela, e o Maligno não o toca. Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o Maligno. Sabemos que o Filho de Deus veio e nos deu entendimento para conhecermos o Verdadeiro. E estamos no Verdadeiro, nós que estamos em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna. Filhinhos, guardai-vos dos ídolos!".

São João, o discípulo amado que se deitou e se jogou sob o Senhor, vem nos ajudar a termos discernimento sobre o mundo no qual estamos nos deitando e que, muitas vezes, não são os pés de Jesus.

O Catecismo da Igreja Católica, no parágrafo 409, ensina-nos que devemos amar a Igreja e sermos combatentes espirituais. Vamos falar dessa situação dolorosa do mundo, citada no versículo 19: "O mundo jaz sob o maligno". Quando eu lia a Palavra, o que mais me chamou a atenção não foi o "mundo" nem o "maligno", mas o verbo "jaz", que vou usar para guiar esta pregação.

O Papa Francisco, nesta semana, durante a Missa matinal na Casa da Santa Marta, refletiu sobre a morte, ou seja, a diferença entre aqueles que passam por ela pelas mãos do maligno e aqueles que passam pelas mãos de Deus. Devemos estar nas mãos do Senhor e pedir que Ele nos cure do inimigo, das trevas, dos pecados, dos vícios, da depressão, dos transtornos do corpo, da mente, do mal, dos relacionamentos e até de nós mesmos.

Se existem mãos nas quais quero ficar, estas são as mãos de Deus; delas não abro mão. Nas mãos d'Ele quero morrer. Meu nome está escrito na palma das mãos de Deus. O Santo Padre tem traduzido essa questão em linguagens simples. Por isso, costumo dizer que, cada tempo, tem o Papa que o mundo precisa. A nossa Igreja, que está neste mundo, precisa do Papa Francisco neste momento.

Os papas anteriores falaram com lucidez, e o Papa Francisco, desde seus primeiros discursos, tem falado sobre o demônio e sempre tem dito algo sobre ele. Logo em seu primeiro pronunciamento, o Pontífice falou aos cardeais: "Ou você acende vela para Deus ou para o diabo", citando uma frase de Léon Bloy: "Quem não reza ao Senhor, reza ao diabo".

A partir dessa reflexão, peça a Deus para que você seja, de alto a baixo, uma vela consumida de maneira apaixonada por Deus e por quem passar neste mundo, que está em trevas. Seja uma luz bem acesa! 

Voltando ao verbo "jaz", vemos apenas três letras que inspiram um significado muito forte. "Jaz" significa aquele que está rendido, jogado e morto, segundo o dicionário da Língua Portuguesa. Podemos encontrar esse termo nos epitáfios, mas no túmulo de Cristo você nunca o encontrará, porque Ele não está lá. Jesus ressuscitou!

A missão daquele que se encontra com Jesus é ressuscitar os vivos e amá-los.

'Com força em Cristo somos vencedores', afirma padre Marlon
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com
 
Nossa luta não é contra os homens de carne e osso, mas contra os espíritos do mal que estão presente nos ares. Devemos lutar contra os espíritos malignos que patrocinam as coisas do mal, pois, assim como há anjos que nos fazem ser pessoas boas, há aqueles [do mal] que nos levam a cometer o mal e nos afastam do Senhor.

Nós somos disputados "a tapa" por Deus e pelo inimigo de Deus. Muitas vezes, dizemos que ninguém se importa conosco, mas há o céu e o inferno, abaixo de nós, que se importam conosco. No entanto, apenas Deus é onipresente.

Vou refletir mais uma palavra do Papa Francisco, do dia 11 de outubro, sobre o Evangelho de São Lucas 11,15-26: "Mas alguns deles disseram: Ele expele os demônios por Beelzebul, príncipe dos demônios. E para pô-lo à prova, outros lhe pediam um sinal do céu. Penetrando nos seus pensamentos, disse-lhes Jesus: Todo o reino dividido contra si mesmo será destruído e seus edifícios cairão uns sobre os outros. Se, pois, Satanás está dividido contra si mesmo, como subsistirá o seu reino? Pois dizeis que expulso os demônios por Beelzebul. Ora, se é por Beelzebul que expulso os demônios, por quem o expulsam vossos filhos? Por isso, eles mesmos serão os vossos juízes! Mas se expulso os demônios pelo dedo de Deus, certamente é chegado a vós o Reino de Deus. Quando um homem forte guarda armado a sua casa, estão em segurança os bens que possui. Mas se sobrevier outro mais forte do que ele e o vencer, este lhe tirará todas as armas em que confiava, e repartirá os seus despojos. Quem não está comigo, está contra mim; quem não recolhe comigo, espalha. Quando um espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso; não o achando, diz: Voltarei à minha casa, donde saí. Chegando, acha-a varrida e adornada. Vai então e toma consigo outros sete espíritos piores do que ele e entram e estabelecem-se ali. E a última condição desse homem vem a ser pior do que a primeira".

O Papa Francisco afirmou que o demônio existe, assim como a vitória do Senhor se faz presente. Depois daquilo que vemos, no dia a dia, é impossível dizer que o mal não existe. Muitos daqueles que não gostam de falar do maligno, é porque andam ao lado dele.

A segunda concepção do termo "jaz" é referente à jazida, ou seja, é o lugar onde se colocam as pedras preciosas. Que você seja uma jazida de Deus! Sagrada é a nossa alma, a nossa vida, a nossa história e a nossa família consagradas a Deus. Somos uma jazida, porque temos um tesouro. Seja você, na sua casa, a maior reserva de Deus e faça dela sua maior graça!

O Santo Padre nos deu três critérios para lutarmos contra o mal:

1º – Não confunda a verdade, porque Jesus luta contra o diabo. Por amor à vida eterna, não assista mais a novelas e utilize desse tempo para rezar.

2º – Quem não está com Jesus está contra Ele. Devemos crer que Ele é o Alfa e o Ômega.

3º – Vigilância do nosso coração, porque o demônio é astuto.

Reze para que todas as libertações aconteçam conosco e com aqueles que estão ao nosso lado. Jesus reina e instaura Seu templo em nós para que sejamos uma jazida explorada somente por Deus.

Transcrição e adaptação: Alessandra Borges

Assista:


Padre Márlon Múcio


Sacerdote da Comunidade Missão Sede Santos

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo