Sou o Rei da misericórdia

Padre Antonio Aguiar. Foto: arquivo/cancaonova.com

Padre Antonio Aguiar. Foto: arquivo/cancaonova.com

Jesus é o Rei da misericórdia

O Rei da misericórdia, quando apareceu a Santa Faustina, ordenou-lhe que fosse pintada a imagem que lhe era mostrada, para que fosse venerada em todas as partes do mundo. Quando Ele fez aquele pedido a Santa Faustina, estava pensando em você, pois queria que conhecesse a misericórdia d’Ele. O interessante é que Jesus pediu que, aos Seus pés, na pintura, fosse escrito: “Jesus, eu confio em vós”. Isso, porque Ele sabe que existe o risco de você colocar a sua confiança em outras coisas e pessoas.

Meditemos a Palavra de Deus em I João 4,1-3:

“Caríssimos, não deis fé a qualquer espírito, mas examinai se os espíritos são de Deus, porque muitos falsos profetas se levantaram no mundo. Nisso se reconhece o Espírito de Deus: todo espírito que proclama que Jesus Cristo se encarnou é de Deus; todo espírito que não proclama Jesus, esse não é de Deus, mas é o espírito do anticristo, de cuja vinda tendes ouvido, e já está agora no mundo.”

Para viver a misericórdia é preciso deixar as falsas doutrinas

O mundo está cheio de falsas doutrinas! Pelo critério que nos é dado por João, podemos pensar se estamos frequentando lugares em que Jesus não é adorado, em que Ele não é amado. Estamos em lugares que são dominados pelo pensamento do anticristo. Se Deus tem estendido essa mensagem de misericórdia a todo mundo, é porque não deseja que vivamos nas falsas doutrinas.

Com muitos anos de trabalho com as capelinhas da misericórdia, deparamo-nos com pessoas que vêm de falsas doutrinas. Essas pessoas vêm profundamente marcadas e decepcionadas. Pessoas que têm dificuldades em se desprender de suas velhas práticas e costumes. Não existe meio termo: ou pertencemos a Deus ou pertencemos ao diabo. Para viver a Divina Misericórdia, o primeiro passo é romper com as falsas doutrinas, e daí por diante, dizer com convicção: “Jesus, eu confio em Vós”.

"É preciso deixar o velho homem para viver a misericórdia de Deus" Pe Antonio Aguiar. Foto: Arquivo/cancaonova.com

“É preciso deixar o velho homem para viver a misericórdia de Deus”, diz padre Antônio Aguiar. Foto: Arquivo/cancaonova.com

O segundo passo para que possamos viver bem a Divina Misericórdia é renunciar às coisas do mundo, como está descrito em Efésios 4,17-24:

“Portanto, eis o que digo e conjuro no Senhor: não persistais em viver como os pagãos, que andam à mercê de suas ideias frívolas. Têm o entendimento obscurecido. Sua ignorância e o endurecimento de seu coração mantêm-nos afastados da vida de Deus. Indolentes, entregaram-se à dissolução, à prática apaixonada de toda espécie de impureza. Vós, porém, não foi para isto que vos tornastes discípulos de Cristo, se é que o ouvistes e dele aprendestes, como convém à verdade em Jesus. Renunciai à vida passada, despojai-vos do homem velho, corrompido pelas concupiscências enganadoras. Renovai sem cessar o sentimento da vossa alma, e revesti-vos do homem novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade.”

Para viver a misericórdia é preciso deixar a velha forma de viver

Precisamos nos despojar do velho homem e buscar uma nova forma de viver em santidade. Zaqueu é um exemplo dessa transformação. Sendo, antes de sua conversão, um homem desonesto e tendo aceitado Jesus, buscou não só mudar suas práticas, mas ressarcir as pessoas que ele havia roubado. A mulher adúltera é outro exemplo: ao ser salva por Jesus de um apedrejamento, Ele disse a ela: “Vá e não peques mais”. Talvez, o despojar-se do velho homem passe por afastar-se de velhas amizades, de deixar de frequentar velhos lugares e fazer velhas coisas. Se Jesus não puder fazer alguma coisa por você, ninguém mais pode fazer.

Hoje, precisamos ser uma Igreja em saída, não reclusos a conventos e templos, mas fazendo trabalhos de visitação nos lares. Somos os portadores do remédio para libertar pessoas, e o remédio é a misericórdia de Deus. Eu e você somos parte do pelotão de combate que o Senhor está organizando para ir ao encontro dos oprimidos. Você é um soldado do exército da misericórdia! Está em suas mãos fazer a obra de Deus, levando a misericórdia onde há pessoas carentes!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo