A batalha entre os anjos

Frei Elias Vella
Foto: Maria Andrea/Cancaonova.com

Meus irmãos, se temos nossos anjos da guarda, conforme falado na palestra anterior, temos também perto de nós os anjos maus, e para iniciarmos esta reflexão convido vocês a pegarem comigo a Palavra de Deus em Apocalipse (12, 7-9):

“Houve então uma batalha no céu: Miguel e seus anjos guerrearam contra o Dragão. O Dragão lutou, juntamente com os seus anjos, mas foi derrotado; e eles perderam seu lugar no céu. Assim foi expulso o grande Dragão, a antiga Serpente, que é chamado Diabo e Satanás, o sedutor do mundo inteiro. Ele foi expulso para a terra, e os seus anjos foram expulsos com ele.”

A Bíblia revela a batalha entre Miguel, o líder os anjos bons, e satanás líder dos anjos maus. Os anjos não possuem nomes próprios, seus nomes estão relacionados a missão no qual eles desenvolvem. Miguel significa: “Quem como Deus”, Gabriel: “Força de Deus”, e Rafael: “Cura de Deus”.

Os anjos possuem identidade própria, seus nomes estão decorrem da missão, é interessante observamos o nome Lúcifer que significa “anjo de luz”, esta era sua missão, porém, após a queda seu nome passou a ser Satanás que significa o vencido, derrotado. Satanás tem um ódio profundo por Deus, é orgulhoso, e não deseja aceitar o perdão de Deus, ele sabe que Jesus o venceu na cruz, mas mesmo sendo derrotado ele continua a batalha, porque é viciado em ódio.

Imagine um alcoólatra, este sabe que seu vício não é uma coisa boa, mas mesmo assim, sabendo é incapaz de não beber, porque está viciado, semelhante ao demônio, que sabe que seu orgulho o faz mal, mas não consegue ficar sem odiar.

Enquanto nosso anjo da guarda procura nos mostrar a Deus, nos leva até o Senhor, o inimigo fica querendo nos tirar do caminho de Deus, colocando em nossa mente pensamentos que não somos amados, que somos derrotados, precisamos ficar bastante atentos, porque estamos cercados pelos espíritos do mal. Há, portanto, uma batalha ocorrendo perto de nós, não é por caso que São Paulo nos ensina a termos os mesmos pensamentos de Cristo.

Irmãos, quando vocês foram tomar qualquer decisão, procure tomá-la a luz da fé, raciocinando como Jesus, por isso, se alguém fizer algum tipo de mal contra você, perdoe, serva esta pessoa, faça a ela o bem. Sempre que tiver que tomar uma decisão saiba que haverá uma batalha entre seu anjo da guarda e o inimigo, esta batalha é pelo nosso coração, ter o coração de Jesus é sempre ser compassivo.

Na parábola do filho pródigo vimos toda a dificuldade do filho mais velho em querer acolher seu irmão, por outro lado vimos o pai que acolhe o seu filho pródigo, ele não estava aprovando o comportamento daquele que errou, mas estava sendo compassivo, amando, com um coração semelhante ao de Jesus, e é isto que o Senhor deseja de cada um de nós, um coração que ama o pecador, não o pecado.

O anjo que está comigo, o anjo bom, ajuda-me a construir o coração de Jesus em mim, enquanto o demônio fica querendo colocar em mim um coração cheio de ódio, e esta é a batalha que se trava entre os dois anjos que estão conosco. O inimigo inclusive tenta tomar conta inclusive do nosso corpo, por isso encontramos algumas pessoas que são possuídas pelo demônio, porém, ser atacado por ele não significa ser possuído pelo inimigo.

"O anjo que está conosco", afirma frei Elias Vella
Foto: Maria Andrea/Cancaonova.com


O maior ódio do demônio é o Senhor ter se encarnado em um corpo humano, por isso há momentos que ele tenta possuir o corpo dos homens. Não devemos ter medo do dele, porque somos filhos de Deus, e se assim somos, nos tornamos herdeiros do paraíso, somos filhos do mesmo Pai que está no céu, protegidos pelos anjos de Deus. Então é o inimigo que tem medo de nós, pois sabe que está diante de alguém que foi “comprado” pelo Senhor.

Então, ele não tem força, a não ser que lhe damos autoridade e poder, isto se dá quando entramos em seu território. Santo Agostinho dizia que o demônio é um como um cachorro que está amarrado em uma corrente comprida, se não entramos em seu território ele não poderá nos morder, quando não entramos em seu território ele não pode nos tocar. Entramos no território dele através do pecado.

O inimigo também entrar em nossa vida a partir das dependências, e isto é importante observarmos se estamos colocando alguma coisa no lugar de Deus em nossa vida, quer seja uma dependência afetiva, financeira, um vício, enfim, quando assim estamos, é o espírito do mal que vai ditando aquilo que é importante em nossa vida, e desta forma, estamos nos abrindo aos espíritos do mal. Outro ponto que precisamos observar, são as práticas ocultas relatadas nas Sagradas Escrituras, estas nos colocam no território do espírito do mal.

O demônio tenta a todo momento colocar-me em alguma armadilha através da tentação, esta ocorre quando ele deseja que eu não faça aquilo que eu devo fazer. Saiba que quanto mais amarmos a Deus, mais seremos tentados.

Todos nós temos fraquezas, porém quando sentirmos oprimidos, fracos, precisamos rezar pedindo ao Senhor a força do Espírito Santo, pois temos armas em nossas mãos e uma vez que a usamos o demônio fugirá. Como falei, existe a possessão, mas isto ocorre raramente, saiba que esta em estado de pecado mortal, é pior do que está possesso, o possesso não é alguém mau em si.

Meus irmãos, as grandes armas que o demônio deseja dar ao homem é poder, desobediência e desunião. O homem quer é poder, tudo é questão de poder, outra oferta é a desobediência, ele quer que construamos nossa vida na desobediência, por fim ele nos oferece a desunião, porque sabe que a unidade é a característica do cristão, então para tentar me afastar de Jesus me oferece a desunião.

Precisamos tomar uma decisão, imagine hoje os dois anjos diante de você de um lado Satanás, e do outro lado seu anjo da guarda, e ambos estão perguntado quem você ira escolher. Tenho certeza que tomos nós queremos renunciar o mal, e aceitar Jesus, como o Senhor em nossa vida. Agora é momento de reconhecermos que muitas vezes buscamos poder, desobedecemos, e semeamos a desunião, agora é a hora de renunciar a Satanás e aceitar o reinado de Jesus em nossa vida.

Que nosso anjo da guarde nos ajude a mantermos sempre Jesus como o centro de nossa vida.

 

Transcrição e adaptação: Ricardo Gaiotti

 

:: Confira também trecho da pregação:


Frei Elias Vella


Franciscano e exorcista

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo