A centralidade de Cristo

Padre Fernando Santamaria
Foto: Maria Andréa/Cancaonova.com
O Senhor continua derramando graças sobre nós neste momento e também para o próximo ano que está por vir. Que esta ação de graças possa dar um novo sentido à sua vida e que possa operar maravilhas dentro do seu coração, pois Jesus quer fazer maravilhas em nossa vida.

Nesta tarde vamos juntos refletir sobre os ensinamentos de Jesus Cristo no livro bíblico de Atos dos Apóstolos 2,42-45: “Perseveravam eles na doutrina dos apóstolos, na reunião em comum, na fração do pão e nas orações. De todos eles se apoderou o temor, pois pelos apóstolos foram feitos também muitos prodígios e milagres em Jerusalém e o temor estava em todos os corações. Todos os fiéis viviam unidos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e os seus bens, e dividiam-nos por todos, segundo a necessidade de cada um”. 

Isso porque os primeiros cristãos e as primeiras comunidades tinham uma fé que os fazia ser conduzidos pelos pastores que o Senhor mesmo havia escolhido. As pessoas tinham a certeza de que, ao ouvirem os apóstolos, estavam escutando as palavras do Senhor, pois elas viviam uma comunhão fraterna, viviam da Eucaristia, das orações, da Santa Missa e do temor pelas coisas de Deus.

A primeira comunidade cristã vivia confiante nas promessas deixadas por Cristo, que, por força do amor, venceu a morte e nos deixou a salvação. É por mérito de Jesus que todos nós hoje fomos salvos! O livro Atos dos Apóstolos nos apresenta uma comunidade fiel a Cristo crucificado e ressuscitado, porque Ele é tudo para nós.

Nós também somos chamados a viver a mesma fé dos primeiros cristãos, portanto, precisamos acreditar que, em Deus, está a nossa salvação. Era uma comunidade de pessoas que tinham sentido na vida.  

 
O que você viveu neste ano? Foi um ano de conversão e um passo a mais para vivenciar a experiência do encontro pessoal com Jesus. Até mesmo diante das situações de dificuldades, vividas por nós neste ano, precisamos testemunhar o crescimento da nossa fé, porque o Senhor é grandioso e é maior que os montes e as montanhas enfrentadao neste ano de 2013.

Talvez seu coração esteja cheio de feridas e de situações que o fazem desejar que este ano "vá para o lixo". E mesmo que você não tenha percebido que Deus não o abandonou e esteve sempre ao seu lado, é preciso dar este passo rumo à fé. Deus está conosco todos os dias até o fim dos tempos. Precisamos ter a certeza da nossa fé eclesial e pessoal. Precisamos fazer a experiência do poder da oração, porque, quando nos colamos em oração,  nos acalmamos diante dos obstáculos.

Deus quer que tenhamos uma vida em abundância e, para isso, Ele fala conosco, porque continua em nosso meio e comunica Seu amor por meio da Palavra proclamada e do sacramento da Eucaristia. Devemos aprender a crescer na nossa fé para as realidades do mundo e para as questões para as quais o Papa Francisco tem nos convocado. A exemplo do Santo Padre precisamos ser dóceis à Palavra de Deus e que possamos ir ao encontro das diversas realidades guiados por ela.

Como o Santo Padre nos propõe devemos ir ao encontro do outro e praticar a solidariedade, que deve ser marcada pela reciprocidade, comunhão e doação. O Papa está pedindo a nossa ajuda para que implantemos a cultura da solidariedade. Deus é Pai, e nós devemos aprender a ser irmãos, pois precisamos seguir um dos ensinamentos deixados por Deus: "Amarás a teu próximo como a ti mesmo''. Precisamos ter Deus como o nosso maior tesouro, é necessário ajudar as pessoas a assumirem que a centralidade da nossa vida está no Pai.

O tempo é precioso, porque é no tempo que nós declaramos que o Senhor é o nosso maior tesouro.

Transcrição e Adaptação: Alessandra Borges


Padre Fernando Santamaria


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo